Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Nome Técnico: Elaboração de Relatório Técnico de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Referência: 142195

Ministramos Cursos e Treinamentos; Realizamos Traduções e Interpretações em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Mandarim, Alemão, Hindi, Japonês, Árabe e outros consultar.

Elaboração do Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovias

O Objetivo da Elaboração do Relatório Técnico de Pontes Rolantes, Talhas e Monovias, é voltado para a verificação quanto as conformidades e irregularidades encontradas em cada Máquina e/ou Equipamento.
O relatório técnico deve ser elaborado em conformidade com as determinações das Normas Regulamentadoras do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) sendo obrigatório a adequação conforme preconiza as normas.

O que são Pontes Rolantes?
A Ponte Rolante é um equipamento usado para elevação de cargas, e sua estrutura é composta basicamente por vigia, carro e talha. Geralmente são encontrados em indústrias como forma de utilização no processo de fabricação de aço. Acha – se também em portos para mover cargas de dentro dos navios para fora, ou para movimentações na região retro portuária.

  • Elaboração do Relatório Técnico
  • Elaboração do Plano de Manutenção e Inspeção
  • Execução de Ensaios Não Destrutivos (E.N.D)
  • Execução do Teste de Carga
  • Emissão de A.R.T. e C.R.T.
A partir de:
À Vista: R$ 1.980,00
ou 10x R$ 243,54

Compre Aqui Consulte outras localidades
A partir de:
À Vista: R$ Consulte.
ou 10x R$ Consulte.

Compre Aqui Consulte outras localidades
A partir de:
À Vista: R$ Consulte.
ou 10x R$ Consulte.

Compre Aqui Consulte outras localidades
A partir de:
À Vista: R$ Consulte.
ou 10x R$ Consulte.

Compre Aqui Consulte outras localidades
A partir de:
À Vista: R$ Consulte.
ou 10x R$ Consulte.

Compre Aqui Consulte outras localidades

Não perca tempo, solicite uma proposta agora mesmo!

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Identificação e dados do Equipamento (Marca; Modelo; Tipo; Ano de
Verificação das Máquinas e Equipamentos presentes no ambiente avaliado;
Verificação do Manual de Instrução Técnica Operacional e de Manutenção;
Fabricação; Ano do Modelo; Potencial; Capacidade; Placa)
Validade das vistorias, laudos, prontuários;
Verificação do Equipamento fundamentada no Manual de Instruções e Catálogo Financeiro;
Histórico de Relatórios Técnicos de conformidade;
Levantamento fotográfico e descrição da Ponte Rolante; Talha ou Monovia;
Análises qualitativas do equipamento, componentes e implementos;
Análises qualitativas das condições de operação do equipamento;
Procedimentos de Operação;
Procedimentos e movimentação de Carga/Armazenamento/Circulação;
Procedimentos de Segurança;
Na Inspeção Visual está incluso verificação de:
Barramento Elétrico;

Caminho de Rolamento;
Berço;
Pé Direito;
Verificação dos Requisitos Legais pertinentes e legislações
:

Documentações, Treinamento dos operadores, capacidade de tração, sinalização, estabilidade e segurança;
Verificações Técnicas:
Verificação da tabela de içamento de carga encontra-se legível e de fácil acesso;
Verificação visual de barramento elétrico, caminho de rolamento, berço e pé direito;
Nível de óleo hidráulico;
Tipos de Cintas;
Monovias Curvas;
Barramentos Blindados;
Cortinas de Cabos/ Festoon;
Enrolador de Cabos;
Pneus;
Lanternas;
Indicador de carga na lança;
Cabos de aço;
Anilhas;
Freios;
Retrovisores;
Avaliação dos Equipamentos de segurança;
Avaliação qualitativa;
Avaliação quantitativa;
Tagueamento de Máquinas e Equipamentos;
RETROFIT – Processo de Modernização;
Manutenções pontuais ou cíclicas.

Verificações quando for pertinentes:
Manual de Instrução de Operação da Máquina ou Equipamento;
Plano de Inspeção e Manutenção da Máquina ou Equipamento seguindo a NR 12;
Relatório Técnico com ART da Máquina ou Equipamento conforme NR 12;
Teste de Carga (com ART) conforme NR 12;
END (Ensaios Não Destrutivos) conforme NR 12;
APR (Análise Preliminar de Risco);

Disposições Finais:
Registro fotográfico;
Registro das Evidências;
Conclusão do PLH;
Proposta de melhorias corretivas;
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica) e/ou C.R.T. (Certificação de Responsabilidade Técnica).

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

 

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Referências Normativas quando for o caso aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR 01 – Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais;

NR 11 – Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais;
NR 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos;

ABNT NBR 15466 – Qualificação e certificação de operadores de ponte rolante, pórtico e semipórtico – Requisitos;
ABNT NBR 8400-5 – Equipamentos de elevação e movimentação de carga – Regras para projeto – Parte 5: Cargas para ensaio e tolerâncias de fabricação;
ABNT NBR ISSO 4309 – Equipamentos de movimentação de carga – Cabos de aço – Cuidados, manutenção, instalação, inspeção e descarte;
ABNT NBR 16083 – Manutenção de elevadores, escadas rolantes e esteiras rolantes – Requisitos para instruções de manutenção;
ABNT NBR 10981 – Talhas de corrente com acionamento motorizado – Especificado;
ABNT NBR 11327 – Requisitos de utilização de talhas de corrente com acionamento motorizado;

ABNT NBR 16746 – Segurança de máquinas – Manual de Instruções – Princípios gerais de elaboração;
ABNT NBR 13759 – Segurança de máquinas – Equipamentos de parada de emergência – Aspectos funcionais – Princípios para projeto;
ABNT NBR ISO 14121-2 – Segurança de máquinas – Apreciação de riscos;
ABNT NBR 16710-2 Resgate Técnico Industrial em Altura e/ou em Espaço Confinado – Parte 2 Requisitos para provedores de Treinamento e Instrutores para qualificação Profissional;
ABNT NBR 14276 – Brigada de incêndio – Requisitos;
ABNT NBR 14277 – Instalações e equipamentos para treinamento de combate a incêndio – Requisitos;
ABNT NBR ISO/CIE 8995 – Iluminação de ambientes de trabalho;
ABNT NBR 9735 – Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos;
Protocolo 2015 – Guidelines American Heart Association;
Portaria GM N.2048 – Política Nacional de Atenção as Urgências;
OIT 161 – Serviços de Saúde do Trabalho;
ISO 10015 – Gestão da qualidade – Diretrizes para treinamento;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
ISO 56002 – Innovation management – Innovation management system;
ANSI B.11 – Machine Safety Standards Risk assessment and safeguarding.
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT); quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Validade das Inspeções: ANUAL exceto se ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, finalidades, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de nova Inspeção;
c) mudança de empresa;
d) troca de máquina ou equipamento.
Será emitido Documento Técnico por Profissionais Legalmente Habilitados Perito e Engenheiro de Segurança do Trabalho com ART;

Os Equipamentos utilizados possuem Atestado de Aferição vigente e demais equipamentos são analógicos.

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

Cabe a Contratante fornecer quando for o caso:
Fornecer os meios, Projetos arquitetônicos em AutoCad ou PDF;
Projeto Arquitetônico da Empresa que efetuará ou efetuou a instalação e contato com os mesmos.
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos nas áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 200 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.
Demais documentos e procedimentos necessários previstos antes ou depois da  Inspeção técnica.

NÃO estão inclusos no Escopo do Serviço:
1. Elaboração de Projeto de Arquitetônico;*
2. Elaboração de Projeto de Instalação;*
3. Elaboração do Memorial de Cálculo*
4. Elaboração de Memorial de Cálculo de Suporte;*
5. Elaboração de Manual de Instrução Técnica Operacional e de Manutenção;*
* (Consultar valor)

O que são Células de Carga?
As células de carga são medidores de deformação ou flexão de um corpo, transformando grandeza física, ou seja, uma força, em um sinal elétrico. Utilizadas na análise experimental de esforços e na medição elétrica da resistência à tensão, essas células são empregadas na maioria das aplicações industriais.

Cabe a Contratante fornecer :
Procedimentos da Inspeção quando for o caso e se envolver Estruturas:

Importante: Serão realizados Teste de Solda e Sistema de Líquido Penetrante no equipamento e nas peças que contenham pontos de solda;
01- Os pontos que contém solda no decorrer da peça (Inclusive quando tiver braço articulado e apoio de cesto acoplado) deverão estar devidamente decapados, sem nenhum tipo de resíduos tais como tintas, vernizes, colas ou qualquer tipo de sujidades ou resíduos de óleo, graxa etc;
02- Passar PINTOFF em todas as bases do Equipamento e peças de apoio, limpar bem e passar pano (não deixar nenhuma sujidade);
03- Se tiver Lanças automáticas ou lança manual, lixar solda da frente;
04- Se Contratado Execução de TESTE DE CARGA e o equipamento não tiver Célula de Carga* cabe a Contratante disponibilizar compartimento para teste de carga (tipo big bag, cintas novas calibradas INMETRO, balança, tarugos de metal calibrado ou sacos de areia pesados equivalente até 125% que o equipamento suporta e fornecer Declaração de Responsabilidade  referente a Capacidade do Equipamento.
Se Contratado  ENSAIOS ELÉTRICOS em Cesto acoplado de preferência com Placa de Identificação, o mesmo  deverá estar no nível do solo juntamente com Laudo de Fabricação de aparelhos que tiver para sabermos quantos Volts suporta.

Plano de Inspeção e Manutenção do Equipamento é obrigatório conforme previsto na NR 12.

*OBS: É necessário que o Plano de Inspeção Manutenção NR 12  de cada Máquina e/ou Equipamento esteja atualizado em Conformidade com as Normas Regulamentadoras.

Entenda a relação entre Preço e Valor:
Executar uma tarefa tão estratégica como precificar um Serviço exige conhecimento sobre o mundo dos negócios.
Dois conceitos fundamentais para entender como precificar são as definições de Preço e Valor.
Valor é um conceito qualitativo, e está ligado ao potencial transformador daquele conteúdo.
Um curso tem mais valor quando ele agrega mais conhecimentos ao público-alvo. 
Preço é uma consequência do valor.
Por ser um conceito essencialmente quantitativo, ele é responsável por “traduzir” o valor em um número.
Portanto, quanto maior é o valor agregado ao conteúdo, maior será o preço justo.

Saiba Mais: Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia

5 Avaliação de riscos
5.1 Requisitos gerais
Qualquer risco deve ser limitado. tanto quanto possível, através de medida de segurança e instruções apropriadas. As instruções nunca poderão substituir uma medida de segurança apropriada que é fornecida para reduzir riscos.
É necessário que se determinem os diferentes procedimentos de intervenção das operações de manutenção e as medidas de segurança apropriadas para cada um destes procedimentos.
O uso de sistemas de diagnóstico (por exemplo sistema de monitoramento remoto) pode ajudar a detectar falhas, melhorar a possibilidade de manutenções das instalações e reduzir a exposição da(s) pessoa(s) de manutenção a danos segurança das operações de manutenção da instalação é garantida pelo cumprimento das medidas de segurança e instruções fornecidas. As medidas de segurança da instalação e do edifício devem ser fornecidas pelo instalador e pelo proprietário da instalação, respectivamente.
Para qualquer área de trabalho, é necessário identificar a lista de perigos específicos relacionados à saúde e à segurança. bem como realizar a avaliação de riscos para qualquer operação de manutenção. incluindo o acesso à área de trabalho.
Com este propósito, o seguinte deve ser levado em consideração:
a) a presença de uma ou mais pessoas de manutenção na área de trabalho;
b) ações previstas de pessoas que não sejam de manutenção (por exemplo: pessoas que liguem ou desliguem os circuitos de energia e circuitos dependentes ou que tentem usar a instalação durante a operação de manutenção etc.);
c) possíveis estados da instalação (normal ou anormal devido a falhas previstas das partes componentes. distúrbios externos, distúrbios no fornecimento de energia etc.).
O Anexo B fornece urna lista com exemplos de elementos a serem levados em consideração em qualquer avaliação de riscos para operações de manutenção. Entretanto. uma série de métodos está disponível para a avaliação sistemática de riscos. Um exemplo é dado na EN ISO 14121-1:2007.
5.2 Informações para a empresa de manutenção
Para a manutenção segura e para fornecer instruções relevantes. é necessário. primeiramente. identificar as operações de manutenção.
Ao se realizarem operações de manutenção especificas. se for necessário neutralizar algumas funções de segurança (por exemplo, um dispositivo elétrico de segurança), deve-se levar em consideração a forma para se identificar o perigo para tal situação.
É necessário informar e advertir à pessoa responsável pela manutenção as seguintes situações:
— Riscos residuais. por exemplo, aqueles nos quais a redução de riscos pelo projeto e técnicas de segurança não são – em parte ou completamente – efetivas:
— riscos que ocorrem da remoção necessária de certas proteções para realizar operações de manutenção especificas.
As instruções de manutenção e advertências devem indicar os procedimentos e modos de operação para superar estes riscos e. se necessário. especificar equipamento de proteção individual (EPI), instrumentos. ferramentas e provisões a serem usados.
6 Informações ao proprietário para operações de resgate de pessoas presas em elevadores
O resgate de pessoas presas em elevadores deve ser executado somente pela empresa de manutenção. ou pelo Corpo de Bombeiros da Policia Militar ou órgão que o substitua.
7 Marcações, sinais, pictogramas e avisos escritos
Caso a avaliação de riscos da empresa de manutenção indique que avisos específicos são necessários para a manutenção, estes devem ser afixados diretamente na instalação ou componente da instalação ou. quando não for possível, nas proximidades.
Marcações, sinais, pictogramas e avisos escritos devem ser fáceis de entender e sem ambiguidades. Deve-se dar preferência aos sinais e pictogramas fáceis de entender em vez de avisos escritos.
Sinais ou avisos escritos contendo apenas a palavra “PERIGO” não podem ser utilizados. As informações fixadas diretamente na instalação ou nos componentes da instalação devem ser permanentes e legíveis. Quaisquer marcações. sinais. pictogramas e avisos escritos fixados na instalação devem ser renovados quando ficarem ilegíveis. Avisos escritos devem estar na língua oficial do país onde a instalação se encontra.
Fonte: ABNT NBR 16083

Laudo de Ponte Rolante, Talha e Monovia: Consulte-nos.

Promoção Relâmpago - Até 70% de desconto!

-70%
Curso Projeto de Linha de Vida

Curso Operador de Jateamento

R$3.383,00
R$1.990,00
-65%
Curso Projeto de Linha de Vida

Curso Projeto de Linha de Vida – Nivel Avançado

R$4.900,05
R$2.970,00
-60%
Curso Projeto Andaime Tubo Roll Multidirecional:

Curso Projeto Andaime Tubo Roll Multidirecional

R$6.384,00
R$3.990,00
-70%
Curso NR 10 Básico

Curso NR 10 Básico

R$833,00
R$490,00