Curso PCM

Curso PCM
Foto Ilustrativa

Curso PCM

Nome Técnico: Curso CPM (Capacitação Planejamento e Controle de Manutenção)

Referência: 65184

Ministramos Cursos e Treinamentos em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Híndi, Mandarim, Cantonês, Japonês, entre outros.

Curso PCM
O Curso PCM visa capacitar profissionais ao abordar as técnicas e os conceitos necessários para o desenvolvimento das atividades do dia a dia no planejamento e nas ações de manutenção aplicados em qualquer segmento empresarial, principalmente no que se refere a recursos produtivos.

O que é PCM?
Planejamento e Controle de Manutenção, define-se pelos métodos aplicados por determinado setor da empresa para controlar seu sistema produtivo, visando maximizar a eficiência e evitar gastos ou desperdícios desnecessários, principalmente no que se refere a recursos produtivos.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

16 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Curso PCM

Métodos para aplicação do PCM;
Importância do bom funcionamento de equipamentos e sistemas;
Registro dos dados dos equipamentos e instalações;
Importância do PCM no sistema produtivo da empresa;
Métodos de organização de informações;
Procedimentos para gerenciamento da manutenção;
Diferentes tipos de manutenção;
Identificação e avaliação das atividades da manutenção;
Produto da empresa que necessita de manutenção;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver novas habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e aproveitar o tempo de trabalho;
Como ser produtivo e focado durante o período de trabalho;
Como devo pensar sobre produtividade;
Porque é importante equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Porque gerenciar o tempo é importante;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Fator Bem-estar dos trabalhadores;
Elaboração de fluxogramas e procedimentos de manutenção;
Indicadores de manutenção e sua importância;
Como traçar Estratégias de Manutenção;
Características de um PCM falho ou inexistente;
Princípios Básicos do Planejamento e Controle da Manutenção;
Tempo médio entre falhas e reparos;
Defeito, Sintoma, Causa e Solução;
Prevenção de acidentes;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver novas habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e aproveitar o tempo de trabalho;
Como ser produtivo e focado durante o período de trabalho;
Como devo pensar sobre produtividade;
Porque é importante equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Porque gerenciar o tempo é importante;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT); quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Referências Normativas quando for o caso aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR-12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos;
ABNT NBR 13759 – Segurança de máquinas – Equipamentos de parada de emergência – Aspectos funcionais – Princípios para projeto;
ABNT NBR ISO/CIE 8995 – Iluminação de ambientes de trabalho;
Protocolo 2015 Guidelines American Heart Association;
Protocolo 2017 – Atualizações Específicas nas Diretrizes 2017 American Heart Association p/ Suporte Básico de Vida em Pediatria/Adultos e Qualidade de Ressuscitação Cardiopulmonar.
Portaria GM N.2048 – Política Nacional de Atenção as Urgências;
OIT 161 – Serviços de Saúde do Trabalho;
ISO 10015 – Gestão da qualidade – Diretrizes para treinamento;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
ISO 56002 – Innovation management — Innovation management system.

Atenção:
EAD (Ensino a Distância), Semipresencial
O Certificado EAD também conhecido como Online, conforme LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. pode ser utilizado para:
Atividades Complementares;
Avaliações de empresas;
Concursos Públicos;
Extensão universitária;
Horas extracurriculares;
Melhora nas chances de obter  emprego;
Processos de recrutamento;
Promoções internas;
Provas de Títulos;
Seleções de doutorado;
Seleções de Mestrado;
Entras outras oportunidades.
Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EAD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica.veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Curso PCM

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem): O empregador deve realizar treinamento periódico Anualmente e sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;
d) mudança de empresa;
e) Troca de máquina ou equipamento.

Certificado: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade;
Conteúdo programático;
Carga horária; Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidências do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Curso PCM:

Os setores de manutenção passaram a ocupar um papel fundamental no planejamento das indústrias, devido à crescente necessidade de eficiência dos sistemas produtivos e de suas operações. Nesta perspectiva, esses setores não podem mais limitar-se apenas a atuar nas situações críticas, aguardando passivamente a parada do maquinário para intervenções corretivas, ou então deixando de acompanhar indicadores de motivos das paradas, os históricos de manutenção, a análise do desempenho da equipe, entre outros.
Para que a equipe de manutenção possa trabalhar de forma ativa, é necessário estabelecer metodologias para atender a demanda do sistema produtivo. Através destas metodologias são definidos, por exemplo, o número de manutentores por meio de métodos estatísticos, os tipos de manutenção, os modelos das ordens de serviço e fluxo da informação, entre outros. Essas atribuições são determinadas através do Planejamento e Controle da Manutenção (PCM).
O PCM tem a responsabilidade de assegurar a disponibilidade dos ativos utilizados nos processos produtivos (máquinas e dispositivos), sempre que os mesmos forem exigidos. Para tanto, deve-se identificar as necessidades de reparos por inspeções e monitoramentos periódicos, programando as atividades que devem ser executadas antes de acarretarem em paradas produtivas, perdas de desempenho, perdas de qualidade ou acidentes. Assim, uma vez conhecidos os dados para a análise e a tomada de decisão relativas à gestão da manutenção, programam-se as ações que devem ser desenvolvidas em casos de ociosidade das máquinas, identificando desta forma as necessidades de reparo antecipadamente.
Dentre os aspectos discutidos na gestão da manutenção, que são tratados em diversas pesquisas que discutem a respeito do PCM:
 Métodos de manutenções, pois de acordo com a estratégia adotada, devem ser avaliadas, organizadas e delegadas para o aumento da disponibilidade dos ativos;
 Ordens de manutenção, visto que o fluxo das informações é fundamental na eficiência das atividades a serem executadas;
 Controle de estoques, já que o setor de almoxarifado deve ser dimensionado conforme a demanda necessária para que as manutenções sejam executadas;
 Indicadores de manutenção, que são essenciais para analisar resultados e identificar oportunidades de melhoria.
A aplicação correta de um sistema de gestão da manutenção, permite a maximização do aproveitamento dos ativos de um sistema produtivo. A grande dificuldade encontrada, porém, é a inexistência de um modelo pronto que possa ser aplicado em todas as empresas, principalmente, devido a questões culturais, estruturais e infraestruturais.
Defeito, falha e pane
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) afirma que o defeito, a falha e a pane podem ser definidos pela Norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (NBR) 5462-1994 da seguinte maneira:  Defeito é todo desvio de característica em algum item de acordo com seus requisitos. Defeitos podem ou não afetar a capacidade de um ativo em desempenhar sua função especificada;  Falha consiste no término da capacidade de um item em desempenhar sua função especificada;  Pane é o estado em que um item fica incapaz de desempenhar sua função especificada, ela pode ser motivada por uma falha ou não.

Fonte: Felipe Jacó Hünemeyer – UNIVATES

Curso PCM: Consulte-nos.

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos