Curso Fluxo de Caixa

Curso Fluxo de Caixa
Foto Ilustrativa

Curso Fluxo de Caixa

Nome Técnico: Curso Capacitação Fluxo de Caixa

Referência: 61564

Ministramos Cursos e Treinamentos em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Híndi, Mandarim, Cantonês, Japonês, entre outros.

Curso Fluxo de Caixa
O objetivo do Curso Fluxo de Caixa é orientar os profissionais a implementar e realizar de maneira correta o fluxo de caixa em uma empresa. Esta ferramenta deve ser usada da maneira adequada e deve ter acompanhamento constante para maximizar a confiabilidade dos resultados, uma vez que esta ferramenta é crucial para ditar o ritmo financeiro da empresa.

O que é Fluxo de Caixa?
Ferramenta gerencial com grande importância para uma empresa, cujo intuito é organizar os dados de maneira clara para que os administradores e empresários acompanhem a situação financeira da empresa, podendo prever possíveis problemas, organizar e planejar gastos e investimentos.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

16 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Curso Fluxo de Caixa

Conceitos Básicos sobre fluxo de caixa;
Aplicação na empresa;
Elaboração, implantação e controle do fluxo de caixa;
Fluxo de caixa como instrumento gerencial;
Micro e pequenas empresas;
Planejamento do fluxo de caixa;
Estruturas de capitais;
Métodos de fluxo de caixa;
Transações que afetam o caixa;
Balanço patrimonial;
Estudo de alternativas de investimento através do fluxo de caixa;
Fluxo de caixa descontado;
Fluxo de caixa líquido;
Fluxo de caixa incremental;
Demonstrativo de resultados;
Análise de indicadores econômico-financeiros;
Modelos de fluxo de caixa;
Mapas auxiliares do fluxo de caixa;
Principais itens do ativo;
Método do valor atual;
Método da taxa interna de retorno;
Plano de contas;
Empréstimos;
Sistemas de amortização;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Exercícios práticos;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação;
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da Secretária de Inspeção do Trabalho (SIT); quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Referências Normativas quando for o caso aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
ABNT NBR ISO 10014: Gestão da qualidade – Diretrizes para a percepção de benefícios financeiros e econômicos;
ABNT NBR ISO 9000 – Sistemas de gestão da qualidade – Fundamentos e vocabulário;
ABNT NBR ISO 14051 – Gestão ambiental — Contabilidade dos custos de fluxos de material — Estrutura geral;
ABNT NBR ISO 20121 – Sistemas de gestão para sustentabilidade de eventos — Requisitos com orientações de uso;
ABNT NBR ISO 37001 – Sistemas de gestão antissuborno – Requisitos com orientações para uso;
ABNT NBR ISO/CIE 8995 – Iluminação de ambientes de trabalho;
Protocolo 2015 Guidelines American Heart Association;
Protocolo 2017 – Atualizações Específicas nas Diretrizes 2017 American Heart Association p/ Suporte Básico de Vida em Pediatria/Adultos e Qualidade de Ressuscitação Cardiopulmonar.
Portaria GM N.2048 – Política Nacional de Atenção as Urgências;
ISO 10015 – Gestão da qualidade – Diretrizes para treinamento;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
ISO 56002 – Innovation management — Innovation management system.

Atenção:
EAD (Ensino a Distância), Semipresencial
O Certificado EAD também conhecido como Online, conforme LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. pode ser utilizado para:
Atividades Complementares;
Avaliações de empresas;
Concursos Públicos;
Extensão universitária;
Horas extracurriculares;
Melhora nas chances de obter  emprego;
Processos de recrutamento;
Promoções internas;
Provas de Títulos;
Seleções de doutorado;
Seleções de Mestrado;
Entras outras oportunidades.
Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EAD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica.veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Curso Fluxo de Caixa

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem): O empregador deve realizar treinamento periódico Anualmente e sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;
d) mudança de empresa;
e) Troca de máquina ou equipamento.

Certificado: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade;
Conteúdo programático;
Carga horária; Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidências do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Curso Fluxo de Caixa:

Fluxo de Caixa é um Instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo de caixa para o período projetado.
De fácil elaboração para as empresas que possuem os controles financeiros bem organizados, ele deve ser utilizado para controle e, principalmente, como instrumento na tomada de decisões.
O Fluxo de Caixa deve ser considerado como uma estrutura flexível, no qual o empresário deve inserir informações de entradas e saídas conforme as necessidades da empresa.
Com as informações do Fluxo de Caixa, o empresário pode elaborar a Estrutura Gerencial de Resultados, a Análise de Sensibilidade, calcular a Rentabilidade, a Lucratividade, o Ponto de Equilíbrio e o Prazo de retorno do investimento. O objetivo é verificar a saúde financeira do negócio a partir de análise e obter uma resposta clara sobre as possibilidades de sucesso do investimento e do estágio atual da empresa.
A gestão operacional (curto prazo) das empresas implica a definição de objetivos cuja execução é efetuada através da tomada de decisões. Após o estabelecimento das metas a tomada de decisões torna-se, no entanto, necessário que o administrador da empresa proceda ao denominado controle de gestão no sentido de garantir que os objetivos delineados sejam efetivamente alcançados.
A má gestão do fluxo de caixa é responsável pela maioria dos fracassos empresariais. Pois, se tratando das movimentações financeiras da microempresa, não poderá haver erros. A defasagem no caixa, sem dúvidas, pode levar a falência.
São vários os fatores que afetam o fluxo financeiro das microempresas, por exemplo, as taxas de juros abusivas e cortes de créditos. Por isso, a ferramenta fluxo de caixa se torna fundamental a toda empresa, seja ela de qualquer espécie, pois todas estão sujeitas a estes e outros fatores prejudiciais.
Com os dados obtidos através do fluxo de caixa será possível controlar as movimentações financeiras assim, auxiliará nas tomadas de decisões e irá preveni-la de possíveis riscos ao seu desempenho.
A rotina que a microempresa vivencia diariamente é o que determinará seu futuro. Ou seja, se as suas entradas e saídas diárias estiverem devidamente registradas, de forma metódica e organizada na ferramenta fluxo de caixa, os riscos serão menores e ela será capaz de cumprir suas obrigações e realizar novos investimentos.
Contudo, o uso da ferramenta fluxo de caixa torna-se indispensável, pois, auxilia no controle dos recursos monetários e nas tomadas de decisão. É uma importante ferramenta que necessita ser elaborada com eficiência para a maximização dos resultados econômicos da microempresa dessa forma, seu crescimento será notável.
O uso da ferramenta de fluxo de caixa auxilia o gestor na identificação (especialmente prévia, mas também posterior) das sobras e faltas no caixa, possibilitando ao gestor planejar melhor suas ações futuras ou acompanhar seu desempenho.
O ideal é o acompanhamento diário do fluxo de caixa, porém pode ser feito com períodos maiores (semanal ou até mesmo mensal) dependendo da sua movimentação. Porém, períodos menores permitem maior eficiência no controle do fluxo de caixa, mas em compensação gera maior esforço ou custo de acompanhamento. É indispensável encontrar um ponto de equilíbrio em suas finanças.
Com esta ferramenta é possível planejar, para evitar que a microempresa passe por situações de alto custo de crédito, taxas de juros elevadas, redução nos faturamentos e outros fatos que poderão prejudicá-la futuramente.
A separação do dinheiro pessoal e o dinheiro da empresa devem ser feito mensalmente ou até semanalmente, se for o caso. Mas, sangria no caixa para uso fora dos gastos da empresa não deve existir. Essa é uma ação prejudicial à mesma, pois, não se deve misturar a vida particular do administrador com as finanças da empresa. A ferramenta fluxo de caixa poderá ser mal interpretada se haver saídas para fins pessoais. Por isso, a necessidade de fazerem-se as retiradas mensalmente ou semanalmente com fim de pró-labore.
Com o uso correto desta ferramenta é possível saber se a microempresa esta dando lucro, pois pode estar ocorrendo defasagem no caixa, fruto de um ciclo financeiro inadequado.

Fonte: Sebrae

Curso Fluxo de Caixa: Consulte-nos.

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos