Projeto Luminotécnico

      Comentários desativados em Projeto Luminotécnico

Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo

O objetivo do Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo é criar ambientes iluminados que proporcionem e garantam bem estar aos colaboradores para realizar as atividades no caso de empresas, descanso em caso de residências, bem como enxergar com clareza todo o ambiente. O intuito do projeto é utilizar luz natural com luz artificial fornecendo beleza, funcionalidade e economia de energia elétrica. Recriar espaços, personalizar ambientes com o projeto luminotécnico facilita a localização de tomadas, pontos de som, telefônico, iluminação, equipamentos que podem ser programados e controlados através de controle remoto. É importante frisar a importância na aquisição dos produtos corretos para um projeto luminotécnico, pois devem seguir rigorosamente os padrões pré-determinados.

O que é Projeto Luminotécnico: O Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo é uma forma de conciliar técnica e arte de iluminação que deem aos projetos ambientes iluminados e agradáveis utilizando formas corretas no trabalho da luz.

Projeto Luminotécnico

Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo

Escopo: Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo.
Visitas ao local do projeto de sistemas de iluminação;
Levantamento de Modelos de Lâmpadas e Luminárias;
Personalização e Aplicações de Sistemas de Iluminação em Projetos Luminotécnicos;
Cálculos de Luminância em projetos de iluminação (Luminotécnico);
Emissão da ART;
Atestado de conformidade das instalações elétricas;
Projeto e Laudo do SPDA (Sistema de Proteção Contra Descargas Elétrica).

 

 

Saiba mais sobre Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo:
O maior desafio para quem desenvolve projetos de iluminação é aliar o conhecimento técnico da área criando um projeto que seja eficiente, sem deixar de lado a parte agradável.
O primeiro passo de um projeto luminotécnico ideal é pesquisar a incidência de luz natural nos ambientes ao longo do dia e determinar a que cada ambiente se destina e quais as suas necessidades. A luz, em si, é invisível: o que observamos é o objeto iluminado, além disso, cada pessoa tem uma sensibilidade diferente na percepção de cores e quantidade de luz, o que torna a luminotécnica uma arte especial.
Projeto Luminotécnico:
Sendo assim, para um bom projeto luminotécnico: Analisar a quantidade de luz necessária ao ambiente; ambiente com paredes, tetos ou pisos escuros merecem atenção, manter o lugar com pouca iluminação pode ser a proposta, principalmente em ambientes comerciais, porém, em uma residência,  ideal é incluir uma alternativa para que o cômodo possa ficar iluminado quando for o desejo dos moradores. Há técnicas específicas para iluminar paredes escuras; luz direta é indicada para ambientes que necessitem de mais iluminação, como a cozinha; enquanto a luz indireta é indicada para tornar ambientes mais aconchegantes, por isso deve ser usada na sala. Um mesmo ambiente pode receber iluminação direta e indireta, como um escritório – que pode ter luz indireta, desde que as mesas ou estações de trabalho sejam bem iluminadas, a temperatura da lâmpada também interfere na sensação de conforto e aconchego, por isso, deixe as lâmpadas frias para áreas de serviço e cozinha, e as quentes, para quartos e salas.
Projeto Luminotécnico:

As lâmpadas não são todas iguais e escolher o modelo certo faz a diferença no resultado final. Assim, é importante conhecer os termos utilizados na iluminação, os tipos de lâmpadas e para que se destinam
Alguns termos técnicos:
1) Temperatura: é a cor visível da lâmpada (frias e quentes).
2) Intensidade: trata-se da luz emitida em uma direção.
3) Fluxo luminoso: é a potência da lâmpada que o olho humano pode perceber.
4) Eficiência: relação fluxo produzido e potência elétrica.
5) Iluminância: o quanto um fluxo luminoso ilumina determinada superfície.
Projeto Luminotécnico:

Os tipos de lâmpadas: Alógena, fluorescente, de filamento, de LED, de descarga, dicroica também interfere no resultado final do projeto luminoso e no bolso do consumidor. Sendo, portanto, fundamental planejar quais lâmpadas serão utilizadas em cada espaço conjuntamente com o projeto arquitetônico. Por exemplo: em ambientes que necessitam de iluminação mais forte e difusa, espaços para embutir lâmpadas dicroica podem ser totalmente desnecessárias. O ideal é usar painéis de LED que são econômicos e mais apropriados.
Além da escolha das lâmpadas, a construção dos sistemas de iluminação também pode passar pela definição de sensores de presença, temporizadores, disposição e altura de interruptores e luminárias, sensores de iluminação ou aproveitamento de luz natural. Além disso, se pensarmos no impacto que a iluminação adequada tem produtividade dos trabalhadores, projetos personalizados de luminotécnica tornam-se ainda mais importantes para indústrias e escritórios.
Projeto Luminotécnico:

A complexidade do projeto se adepta as necessidades do cliente e, além do aspecto econômico, também depende da integração de processos, conforto e arquitetura (o uso de ambientes de cor branca nas indústrias, com índices de reflexão de 80% podem garantir uma economia de 65% no gasto com iluminação).
Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo:

Sobre a NR 17:
A luminosidade no ambiente de trabalho parece ser um fator primário, mas ainda sim são estabelecidos parâmetros na NR 17 que determinam a quantidade mínima de iluminação para diversas atividades. Muitos podem não saber que a iluminação é um fator muito importante, pois ela também é responsável pela garantia da qualidade dos serviços e produtos, pela produtividade da equipe, mas principalmente para evitar acidentes de trabalho. Assim como a acústica do ambiente, uma iluminação inadequada pode até prejudicar a saúde física e também psicológica do colaborador. O que a NR 17 fala sobre a luminosidade no ambiente de trabalho:
NR 17.5.3 – Em todos os locais de trabalho deve haver iluminação adequada, natural ou artificial, geral ou suplementar, apropriada à natureza da atividade.
NR 17.5.3.1 – A iluminação geral deve ser uniformemente distribuída e difusa.
NR 17.5.3.2 – A iluminação geral ou suplementar deve ser projetada e instalada de forma a evitar ofuscamento, reflexos incômodos, sombras e contrastes excessivos.
NR 17.5.3.3 – Os níveis mínimos de iluminamento a serem observados nos locais de trabalho são os valores de iluminâncias estabelecidos na NBR 5413, norma brasileira registrada no INMETRO.
Projeto Luminotécnico:

NR 17.5.3.4 – A medição dos níveis de iluminamento previstos no subitem 17.5.3.3 deve ser feita no campo de trabalho onde se realiza a tarefa visual, utilizando-se de luxímetro com fotocélula corrigida para a sensibilidade do olho humano e em função do ângulo de incidência.
NR 17.5.3.5 – Quando não puder ser definido o campo de trabalho previsto no subitem.
17.5.3.4, este será um plano horizontal a 0,75m (setenta e cinco centímetros) do piso. Como medir a luminosidade no ambiente de trabalho? Para medir a luminosidade é utilizado um aparelho chamado luxímetro, ele pode ser um instrumento digital portátil utilizado para facilitar as auditorias e fiscalizações. A medição é realizada através de um sensor que é capaz de analisar a intensidade da luz.

Projeto Luminotécnico Normatizado ou Decorativo: Consulte-nos.