Curso Produção e Aplicação de Asfalto

      Comentários desativados em Curso Produção e Aplicação de Asfalto

Curso Produção e Aplicação de Asfalto

O objetivo do Curso é passar conhecimento teórico do procedimento de produção e aplicação asfáltica, entendendo a importância do asfalto, as propriedades químicas, o processo de produção e o processo de aplicação do asfalto nas vias urbanas e rurais.
O Asfalto é um material cimentante, preto, sólido ou semi-sólido, que se liquefaz quando aquecido, composto de betume e alguns outros metais. Pode ser encontrado na natureza e denomina-se CAN, mas em geral provém do refino do petróleo que é denominado por CAP.

Treinamento de Produção e Aplicação de Asfáltica

Curso de Produção e Aplicação de Asfáltica

Conteúdo Programático: Curso Produção e Aplicação de Asfalto
Capeamento asfáltico  Etapas do serviço:
A) Preparo da base;
B) Compactação da base;
C) Lançamento da mistura asfáltica;
Compactação do asfalto;
Depósito para cimento asfáltico;
Silos para agregados;
Usina para misturas asfálticas;
Equipamento para distribuição e acabamento;

Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Caminhão para transporte da mistura;
Equipamento para compactação;
Ferramentas e equipamentos acessórios;
Projeto de Pavimentação:
Estudos geotécnicos;
Reconhecimento do subleito;
Estudo das ocorrências de materiais para pavimentação;
Dimensionamento do Pavimento;
As cargas rodoviárias;
Dimensionamento de pavimentos flexíveis (método do DNIT);
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Bases e sub-bases flexíveis:
Terminologia das bases;
Construção das camadas do pavimento;
Operações preliminares;
Operação de construção de sub-bases e bases;
Estabilização dos solos para fins de pavimentação:
Conceito de estabilização para rodovias e aeroportos;
Objetivo;
Importância;
Estudos e análises;
Métodos de estabilização;
Estabilização solo-cimento;
Tipos de misturas de solos tratados com cimento;
Mecanismos de reação da mistura solo-cimento;
Fatores que influenciam na estabilização solo-cimento;
A dosagem do solo-cimento;
A nova norma de dosagem solo-cimento (NBR 12253);
Execução na pista (Senço, 1972);
Operações básicas para solo-cimento in-situ;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Estabilização solo-cal:
A mistura solo-cal;
Mecanismos de reação da mistura solo-cal;
Fatores que influenciam no processo de estabilização dos solos com cal;
Tipos de estabilização com cal;
Estabilização solo-betume;
Tipos de misturas;
Principais funções do betume;
Teor de betume;
Métodos de dosagem;
Estabilização granulométrica;
Métodos de misturas;
Método analítico;
Método das tentativas;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Agregados para pavimentação:
Produção de agregados;
Operação na pedreira;
Amostragem de agregados;
Propriedades químicas e mineralógicas dos agregados;
Propriedades químicas de agregados;
Propriedades mineralógicas;
Propriedades físicas dos agregados;
Tenacidade, resistência abrasiva e dureza;
Durabilidade e sanidade;
Forma da partícula e textura superficial;
Limpeza e materiais deletérios;
Afinidade ao asfalto;
Porosidade e absorção;
Características expansivas;
Polimento e características de atrito;
Densidade específica / massa específica;
Análise granulométrica;
Materiais asfálticos:
Definições;
Classificação quanto à aplicação;
Classificação quanto à origem;
Asfaltos para Pavimentação;
Cimento Asfáltico do Petróleo (CAP);
Asfaltos Diluídos;
Emulsões Asfálticas;
Asfaltos Modificados (Asfaltos Polímeros);
Asfaltos Industriais;
Principais funções do asfalto na pavimentação;
Serviços de imprimação / pintura de ligação;
Imprimação;
Pintura de ligação;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Ensaios em materiais asfálticos:
Ensaios em Cimentos Asfálticos do Petróleo (CAP);
Determinação de água;
Determinação do teor de betume em CAP;
Determinação da Consistência de materiais asfálticos;
Determinação da Ductilidade de materiais asfálticos.;
Ensaio da mancha (ensaio Oliensis ou Spot Test);
Determinação do Ponto de Fulgor;
Ensaios em Asfaltos Diluídos e Emulsões;
Determinação da destilação de asfaltos diluídos;
Ensaio de Flutuação;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Revestimentos:
Principais funções;
Terminologia dos revestimentos;
Concreto de cimento;
Macadame cimentado;
Paralelepípedos rejuntados com cimento;
Em solo estabilizado;
Blocos de concreto pré-moldados e articulados;
Macadame betuminoso;
Tratamentos superficiais;
Concreto asfáltico (CBUQ);
Pré-misturado à quente (PMQ;
Areia asfalto à quente;
Camada porosa de atrito (CPA)
Stone matrix asphalt (SMA);
Pré-misturado a frio;
Areia asfalto a frio;
Lama asfáltica;
Misturas graduadas;
Areia asfalto no leito;
Revestimentos flexíveis por penetração;
Tratamento superficial simples;
Tratamento superficial duplo.;
Tratamento superficial triplo;
Macadame betuminoso por penetração direta;
Revestimentos flexíveis por mistura;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Concreto Asfáltico (Concreto Betuminoso Usinado a Quente-CBUQ);
Pré-Misturado a Quente (PMQ);
Argamassas asfálticas;
Pré-Misturado a Frio (PMF);
Areia-asfalto a frio;
Lama-asfáltica (não é revestimento);
Misturas graduadas;
Areia-asfalto no leito;
Revestimentos flexíveis em solo estabilizado (revestimento primário);
Revestimentos de alvenaria poliédrica / paralelepípedos;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
Concreto asfáltico:
Equipamentos utilizados;
Distribuição e compressão da mistura;
Controles;
Propriedades básicas;
Constituição da mistura;
Parâmetros de interesse;
Dosagem do concreto asfáltico;
O Ensaio Marshall para misturas asfálticas;
Controle do teor ótimo de ligante e granulometria;
Curso Produção e Aplicação de Asfalto:
A deformabilidade em misturas asfálticas:
O comportamento dinâmico de misturas asfálticas;
O Ensaio de tração diametral indireta;
O Conceito de Módulo de Resiliência de Misturas Asfálticas;
O Conceito de Módulo de Resiliência de Solos;
O equipamento para determinação do Módulo de Resiliência;
de Misturas Asfálticas;
O equipamento para determinação do MR de Solos;
Referências Bibliográficas
Segundo a NBR-7207/82 da ABNT tem-se a seguinte definição:
“O pavimento é uma estrutura construída após terraplenagem e destinada, econômica
e simultaneamente, em seu conjunto, a:
a) Resistir e distribuir ao subleito os esforços verticais produzidos pelo tráfego;
b) Melhorar as condições de rolamento quanto à comodidade e segurança;
c) Resistir aos esforços horizontais que nela atuam, tornando mais durável a
superfície de rolamento.”
Determinação do teor de betume em CAP (NBR 14855)
Determinação da Consistência de materiais asfálticos
Determinação da Penetração de materiais asfálticos (NBR 6576)
Ponto de Amolecimento – método do anel e bola (NBR 6560)
Determinação da viscosidade Saybolt-Furol (NBR 14950)
Determinação da Ductilidade de materiais asfálticos (NBR 6293)
Determinação do Ponto de Fulgor (NBR 11341).
Curso Produção e Aplicação de Asfalto: Consulte-nos.