Curso NR 17 Ergonomia – Análise Ergonômica do Trabalho

      Comentários desativados em Curso NR 17 Ergonomia – Análise Ergonômica do Trabalho

Curso Análise Ergonômica do Trabalho – Operadores de Checkouts

Análise Ergonômica do Trabalho;
Antropometria;
Atividades Práticas
Check Lists de Couto;
Conscientização;
Critério Quantitativo de Moore-Garg;
Ergonomia Física, Cognitiva e Organizacional;
Ergonomia operadores de checkouts;
Estresse Ocupacional;
Evolução Histórica da Ergonomia;

Curso NR 17 de Ergonomia - Análise Ergonômica de Trabalho

Curso NR 17 de Ergonomia – Análise Ergonômica de Trabalho

Fibromialgias;
Fundamentos de Biomecânica da Coluna e Causas de Lombalgias no Trabalho;
Intervenção Ergonômica;
LER/DORT – Lesões por Esforços Repetitivos/ Distúrbios Osteo musculares Relacionados
Lesões por Sobrecarga Funcional de Membros;
Lombalgias;
Método NIOSH
Metodologia de Análise Ergonômica: (Formulário de Análise Ergonômica)
Movimentos Fisiológicos dos Segmentos Corporais;
Organização do Trabalho;
OWAS- Ovako Working Posture Analysing System
Palestras de Sensibilização
Patologias do Trabalho;
Pausas e micro pausas;
Postura para o trabalho;
Prevenção das Lombalgias no Trabalho;
REBA – Rapid Entire Body Assessment
Relação das Patologias com o Trabalho;
RULA – Rapid Upper Limb Assessment
Síndrome do Impacto;
Síndrome do Túnel do Carpo;
Sobrecarga Física no Trabalho;
Soluções de Problemas Ergonômicos;
Técnicas de Administração da Produção;
Tendinite do Punho e Mão;
Tenossinovites dos Extensores dos Dedos;
Trabalho prescrito/trabalho real;
Trabalhos com Cargas;
Normativas aos dispositivos aplicáveis: NR 17;

Carga Horária: Curso NR 17 Ergonomia – Análise Ergonômica do Trabalho
Capacitação: 16 horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 08 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem):  É recomendável Periodicidade ANUAL se não ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Saiba mais sobre  Curso NR 17 Ergonomia – Análise Ergonômica do Trabalho:
Postura para o trabalho
No dia a dia dos trabalhadores, é comum vermos diversos colegas de trabalho reclamando de dores nas costas ou em outras partes do corpo, mas sabia que grande parte dessas dores pode ser solucionada com a Ergonomia!

Pois é, a ergonomia é o estudo entre a relação do homem e o trabalho que executa com o objetivo de aumentar a segurança, saúde e o conforto do trabalhador.
Ergonomia
Segurança, conforto, bem-estar e a eficácia das atividades humanas.

Ergonomia de Concepção: projeto posto, instrumento, máquina, sistemas de produção;
Ergonomia de Correção: aprimorar condições de trabalho existentes, freqüentemente parcial e de eficácia limitada e correção de situações problemáticas.
Contribuições:
Ergonomia de Concepção: projeto posto, instrumento, máquina, sistemas de produção;

Ergonomia de Correção:
Aprimorar condições de trabalho existentes, frequentemente parcial e de eficácia limitada, correção de situações problemáticas.
Conscientização;
Ergonomia de Conscientização: capacitar trabalhadores para a identificação e correção dos problemas do dia a dia;

Ergonomia de Participação: envolver usuário do sistema, na solução de problemas ergonômicos.
Trabalho prescrito/trabalho real
Distanciamento entre o Trabalho Prescrito (tarefa) e o Trabalho Real (atividade):

Problemas na organização do trabalho, distância entre o prescrito e o real, pressões de carga de trabalho.
Abordagem:
A má postura e as lesões por esforços repetitivos podem causar diversos males ao longo do tempo, assim como as condições de trabalho que também são causadores dos problemas que afetam a saúde do trabalhador. As condições do ambiente de trabalho incluem aspectos como:

Nível de ruídos;
Temperatura;
Iluminação;
Levantamento, transporte e descarga de materiais;
Condições ambientais do ambiente de trabalho;
Organização do trabalho;
Conscientização:
Ergonomia de conscientização: educa os colaboradores sobre os hábitos e métodos que podem ser prejudiciais à saúde com a realização de palestras, treinamentos e cursos para corrigir situações como, a má postura, uso incorreto dos equipamentos e o excesso de trabalho.

Ergonomia participativa:
Ergonomia participativa: Tem o objetivo de criar um Comitê Interno de Ergonomia – CIE para trabalhar a conscientização e viabilização de um projeto ergonomicamente correto e saudável

Tipos de aplicação da ergonomia:
Ergonomia de correção:

Melhora as condições de iluminação, ruídos, dimensões e temperatura.
Ergonomia de concepção:
Otimiza a organização do trabalho, ambiente laboral, sistemas de produção, uso correto dos equipamentos e melhora a postura dos trabalhadores.

Tarefas executadas pelos operadores, o tempo dedicado a elas e as posturas assumidas. > Percepção dos operadores acerca da realização da tarefa e o que considera penoso do ponto de vista físico, cognitivo e/ou psíquico.
Ergonomia e o trabalho:
Surgiu com o objetivo de aperfeiçoar o ambiente de trabalho, buscando métodos para melhorar o dia a dia dos colaboradores e promovendo condições mais adequadas de trabalho para evitar o desgaste físico e prejuízos à saúde.

A má postura e as lesões por esforços repetitivos podem causar diversos males ao longo do tempo, assim como as condições de trabalho que também são causadores dos problemas que afetam a saúde do trabalhador. As condições do ambiente de trabalho incluem aspectos como:
Análise ergonômica:
A Análise Ergonômica dos Postos de Trabalho é regida pela Norma Regulamentadora 17 e segue estritamente a Lei nº 6514 de 22 de dezembro de 1977.

Tem como objetivo analisar a capacidade do posto de trabalho/atividade em atender parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas  dos trabalhadores de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho na execução das tarefas.
Aplicar a ergonomia no ambiente do trabalho:
Para as aplicações da Ergonomia no ambiente de trabalho, é preciso da análise do local por um profissional qualificado para que o mesmo reconheça os riscos ergonômicos presentes e estabeleça as medidas de segurança, desde os móveis a serem utilizados pelos trabalhadores, até a postura durante a jornada de trabalho.

Outros riscos ergonômicos:
Gestão não co-participativa;

Relacionamento interpessoal desfavorável, conflitos não gerenciado;
Normas e regulamentos não acessíveis;
Atividades de crescimento profissional inexistente;
Identificação e prevenção dos fatores de riscos ergonômicos:
É fundamental que as empresas entendam a importância da ergonomia no dia a dia de trabalho, pois irá interferir diretamente no bem estar e a produtividade do funcionário. Além da satisfação do trabalhador ao realizar as suas atividades profissionais num ambiente agradável e com mais segurança, o empregador também só terá benefícios ao proporcionar melhor qualidade de vida no local de trabalho. Reduzirá o número de perdas de colaboradores causadas pelas doenças ocupacionais, acidentes de trabalho e aumentará a produtividade da empresa.

Pontos de Verificação ECP:
Manipulação e armazenagem de materiais;

Ferramentas manuais;
Segurança do maquinário de produção;
Design do posto de trabalho;
Iluminação;
Instalações:
Riscos ambientais;

Comodidade e bem-estar;
Equipamentos de proteção individuais e coletivos;
Organização do trabalho;
Posturas:
Há mais tensão sobre os discos intervertebrais quando se levanta, abaixa ou manipula objetos com as costas curvadas ou torcidas do que quando as costas ficam eretas;

Tarefas de manipulação que requerem um movimento repetitivo de curvar ou torcer os punhos, quadris ou ombros: grandes tensões sobre essas articulações;
Atividades onde os braços permanecem altos, acima da linha dos ombros, são especialmente estressantes para o sistema musculoesquelético;
Técnicas utilizadas na análise do trabalho;
Vídeos, fotografias, questionários, check list, observação, entrevistas;
Curso NR 17 Ergonomia – Análise Ergonômica do Trabalho Operadores de checkouts:

Consulte-nos.