APR – Análise Preliminar de Riscos

      Comentários desativados em APR – Análise Preliminar de Riscos

APR – Análise Preliminar de Riscos

APR – Análise Preliminar de Riscos  são  previstas em diversas normas regulamentadoras  do MTE como fator primordial antes de ser executado qualquer atividade.
O objetivo da Análise Preliminar de Riscos (APR) é realizar análise completa do serviço antes de iniciar qualquer atividade que possa existir algum tipo de risco para os colaboradores envolvidos, visando a antecipação de possíveis falhas, incidentes e acidentes que possam danificar algum patrimônio da empresa, interferir no meio ambiente e principalmente prejudicar a Saúde e Segurança dos trabalhadores que executarão os serviços.

APR - Análise Preliminar de Riscos

APR – Análise Preliminar de Riscos

APR – Análise Preliminar de Riscos em conformidade com a NR 35:
NR 35.2.1 Cabe ao empregador:
b) assegurar a realização da Análise de Risco – AR e, quando aplicável, a emissão da Permissão de Trabalho – PT;Toda APR contém os dados referentes aos serviços que serão executados. Não há necessidade de vistoria prévia. A APR terá validade de no máximo 10 dias, após sua invalidação será efetuado novo documento.
A PT (Permissão de Trabalho) é um documento a ser emitido pela Segurança do Trabalho da Empresa.
A Análise de Risco deve, além dos riscos inerentes ao trabalho em altura, considerar:
O local em que os serviços serão executados e seu entorno;
O isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho;
O estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem;
As condições meteorológicas adversas;
A seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos sistemas de proteção coletiva e individual, atendendo às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos fatores de queda;
O risco de queda de materiais e ferramentas;
Os trabalhos simultâneos que apresentem riscos específicos;
O atendimento aos requisitos de segurança e saúde contidos nas demais normas regulamentadoras;
Os riscos adicionais;
As condições impeditivas;
As situações de emergência e o planejamento do resgate e primeiros socorros, de forma a reduzir o tempo da suspensão inerte do trabalhador;
A necessidade de sistema de comunicação;
A forma de supervisão.
35.4.5.1 A Análise de Risco deve, além dos riscos inerentes ao trabalho em altura, considerar:
a) o local em que os serviços serão executados e seu entorno;
b) o isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho;
c) o estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem;
d) as condições meteorológicas adversas;
e) a seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos sistemas de proteção coletiva e individual, atendendo às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos fatores de queda;
f) o risco de queda de materiais e ferramentas;
g) os trabalhos simultâneos que apresentem riscos específicos;
h) o atendimento aos requisitos de segurança e saúde contidos nas demais normas regulamentadoras;
i) os riscos adicionais;
j) as condições impeditivas;
k) as situações de emergência e o planejamento do resgate e primeiros socorros, de forma a reduzir o tempo da suspensão inerte do trabalhador;
l) a necessidade de sistema de comunicação;
m) a forma de supervisão.

APR – Análise Preliminar de Riscos: Consulte-nos