Treinamento de Empilhadeira,o que é o treinamento de empilhadeira, pra que serve o treinamento de empilhadeira, aonde fazer o treinamento de empilhadeira, como fazer o treinamento de empilhadeira, porque fazer o treinamento de empilhadeira, quando fazer o treinamento de empilhadeira, quanto é o treinamento de empilhadeira,

Treinamento Operador Empilhadeira Elétrica ou a Combustão

Treinamento de Empilhadeira

Nome Técnico: Treinamento de Empilhadeira

Cód: 8687

O Objetivo do Treinamento de Empilhadeira é capacitar os colaboradores a movimentar cargas, por meio de conhecimentos sobre a forma correta de operar empilhadeiras, dentro das normas de segurança exigidas para esse tipo de equipamento.

No final do treinamento de empilhadeira os colaboradores conhecerão as técnicas de direção do equipamento (virar à esquerda, à direita dar marcha a ré), fazer carregamento e elevação de carga, entre outras práticas.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Treinamento de Empilhadeira
Acidente: conceitos e causas;
Equilíbrio e estabilidade na empilhadeira;
Definição, classificação, seleção, conservação e guarda de empilhadeira;
Normatização (quadro geral das cores)
Simbologia de risco;
Introdução a pratica de empilhadeira;
Prática de direção na empilhadeira (esquerdo/direita/frete/ré);
Carregamento e elevação de carga;
Transporte de carga;
Manobras;
Operação de prática geral;
Checklist diário;
Noções de PGR (Plano de Gerenciamento de Risco).

Complementos
Prevenção de acidentes;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação;

Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR 06 – Equipamento de Proteção Individual – EPI;

NR 11 – Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais;
NR 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos;
NR 17 – Ergonomia;
NR-26 – Sinalização de Segurança;
ABNT NBR 11893- Componentes da alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Especificação;
ABNT NBR 11894- Filtro de combustível para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Especificação;
ABNT NBR 11895- Redutor-vaporizador para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Especificação;
ABNT NBR 11896- Válvula solenóide para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Especificação;
ABNT NBR 11897- Dosador de combustível para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Especificação;
ABNT NBR 12146- Alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Verificação da estanqueidade e funcionamento – Método de ensaio;
ABNT NBR 12147- Empilhadeiras – Filtro de combustível para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo – Método para verificação da estanqueidade;
ABNT NBR 12148- Redutor-vaporizador para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Verificação da estanqueidade – Método de ensaio;
ABNT NBR 12150- Válvula solenóide para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de pétroleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Verificação da estanqueidade do corpo da válvula – Método de ensaio;
ABNT NBR 12151- Válvula solenóide para a alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de pétroleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Verificação do funcionamento – Método de ensaio;
ABNT NBR 12152- Dosador de combustível para alimentação de motores alternativos de combustão interna por gás liquefeito de petróleo, para uso exclusivo em empilhadeiras – Verificação da estanqueidade;
ABNT NBR 13365- Recipientes transportáveis de aço para 16 kg e 20 kg de gás liquefeito de petróleo, para uso em empilhadeiras e equipamentos similares – Requisitos;
ABNT NBR 13523- Central de gás liquefeito de petróleo – GLP;

Atenção:
EAD Ensino a Distância, Presencial e Semipresencial

Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EaD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica. Veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Treinamento de Empilhadeira

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem):É recomendável anualmente: ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Certificado:Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade,;
Conteúdo programático;
Carga horária;Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho e relação dos tipos de espaços confinados;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidencias do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba mais do Treinamento de Empilhadeira:

Cuidados durante as operações:

Enumeramos a seguir alguns cuidados necessários para que a operação com empilhadeira seja um trabalho seguro.

Cuidados gerais:

1- Condições físicas e psicológicas do operador.
a) O operador só deve operar a empilhadeira quando se sentir em boas condições físicas e deverá comunicar seu superior imediato qualquer indisposição que o impeça de trabalhar corretamente.
b) O operador de empilhadeira não pode irritar-se com o trabalho ou com o colega, a calma é imprescindível para realização de trabalhos com segurança.
c) O operador deve ficar alerta enquanto opera a empilhadeira. A falta de atenção ou distração implica em riscos ao próprio operador, aos outros á empilhadeira ou a carga.
d) Enquanto estiver dirigindo, não fume.

2- Transporte de pessoas na empilhadeira:
a) Nunca transporte outras pessoas na empilhadeira. A empilhadeira não foi projetada para transportar passageiros. O operador será responsabilizado por qualquer lesão que o CARONA venha sofrer em caso de acidente.
b) Não suba, nem permita que outras pessoas subam nos garfos ou na torre de elevação da empilhadeira. Se emergencialmente for preciso utilizá-la para isso, use uma gaiola de segurança com guarda corpo e que fique firmemente fixado aos garfos. O trabalhador que estiver suspenso sobre os garfos deverá estar equipado com cinto de segurança, cujo o cabo deverá estar ancorado em um ponto fixo fora da empilhadeira. A queda de uma pessoa que esteja sobre os garfos é responsabilidade do operador.

3- Posição do operador na empilhadeira:
a) Sente-se á empilhadeira confortavelmente, após regular o banco para sua estatura física. Posicione-se de tal forma que possa alcançar todos os comandos manuais e dos pés com facilidade. Regule os espelhos.
b) Nunca opere a empilhadeira com os calçados e/ou mãos molhados ou sujos de graxa.
c) Permaneça sentado todo o tempo que estiver operando a empilhadeira. Conserve a cabeça, braços, mãos, pernas e pés dentro do compartimento do operador.

4- Outros cuidados:
a) Não permita, em locais fechados, que uma empilhadeira a combustão permaneça parada por longos períodos com o motor em funcionamento, mesmo que esta empilhadeira esteja equipada com catalizador. A fumaça e os gases, particularmente em áreas restritas, podem ser desagradáveis e até perigosas.
b) Nunca deixe ferramentas ou outros equipamentos sobre o assoalho da máquina. Mantenha desobstruído o acesso para os pedais, para maior segurança na operação.
Cuidados com a empilhadeira:
1- Antes de iniciar o trabalho faça a inspeção visual da empilhadeira.
2- Respeite os avisos existentes e siga as instruções de operação do fabricante.
3- Verifique o peso da carga. Se não estiver identificado, pergunte ao supervisor ou a quem possa informar. Não sobrecarregue a empilhadeira, colocando cargas que excedam sua capacidade nominal.
4- Nunca use a empilhadeira para empurrar ou rebocar outra empilhadeira ou equipamento. O sistema de garfos não foi projetado para ações de empurrar, assim como os pneus não foram projetados para trabalhos de arraste.
5- Proceda a limpeza da sua empilhadeira regularmente, usando intervalos de serviço. Receba e entregue a empilhadeira limpa.
6- Não faça reparos na empilhadeira, qualquer reparo ou conserto é função da manutenção.

Cuidados com os pedestres:
1- Respeite os pedestres. Não coloque ninguém em risco. Dirija com cuidado e lentamente quando houver pedestres ao redor.
2- Observe os sinais de trafego e dê preferência de passagem aos pedestres. Sinalize para os pedestres, pois eles não adivinham sua intenção.
3- Lembre-se sempre que, normalmente o pedestre reconhece uma via publica como preferência do motorista, mas é pouco provável que o faça em relação aos corredores.
4- Fique atento ao surgimento repentino e inesperado de pedestres, vindos de pontos escondidos ou detrás de obstruções temporárias.
5- Nunca provoque brincadeiras ou situações difíceis para os que se encontram próximos a empilhadeira.
6- Cuidado com os trabalhadores que estiverem próximos a paredes ou a qualquer objeto fixo pode não haver condições para que consigam escapar.
7- Não permita, sob hipótese nenhuma, que outras pessoas fiquem sob os garfos da empilhadeira, mesmo descarregada.

Cuidados durante o percurso:
1- Antes de iniciar o deslocamento, olhe ao redor, use o espelho e, quando o caminho estiver livre, ande sem atrapalhar outros usuários do corredor. Com cargas altas, que não permitem visibilidade para frente, sempre dirija em marcha-à-ré. Nos casos de emergência acione a buzina.
2- O operador deve sempre seguir o regulamento de trânsito interno da empresa.
3- Desloque em velocidade compatível. As velocidades exageradas dificultam as manobras de conversões, podem fazer a empilhadeira tombar lateralmente e prejudicam uma freada emergencial.
4- Durante o deslocamento evitar batidas contra objetos, tanto no nível de solo (maquinas, materiais armazenados, etc..), quanto aéreos, tais como: Tubulações de gás, de óleo, de ar comprimido, de exaustão, calhas elétricas, etc.
5- Remova os obstáculos antes de prosseguir no deslocamento. Retire os materiais que podem estorvá-los, evitando possíveis acidentes ou comunique se for o caso, para que sejam retirados. Não passe sobre mangueiras de ar ou fios elétricos deixado no chão, isso pode provocar avarias e curto-circuito.
6- Quando carregado, a descida de rampas deve ser feita em marcha-à-ré. Evite fazer curvas em planos inclinados. As empilhadeiras facilmente tombam lateralmente.
7- Condução lado a lado, paralelamente, é perigosa. Dirigir uma empilhadeira com uma carga já é suficientemente perigoso. Mantenha-se dirigindo em fila única.
8- Se tiver que parar a empilhadeira carregada siga as regras vistas em estacionamento de empilhadeiras.

Cuidados com a carga:
1- Teste a carga, erguendo-a um pouco, se ela inclinar para o lado, abaixe-a e mude a posição dos garfos para melhor balanceamento. Erga os garfos lentamente para que a carga se mantenha estável.
2- Evite carregar material solto, este deverá ser transportado em recipientes próprios ou plataformas com proteção lateral.
3- Evite freadas bruscas quando estiver movimentando-se para frente com cargas, pois a empilhadeira para, mas a carga desliza dos garfos vindo a cair.
4- Não use paletes com defeitos ou danificados.
5- Não arraste a carga sobre o piso.
6- Obedecer à simbologia que encontra-se afixada nas caixas e embalagens.

Cuidados no armazenamento de cargas:
1- Ao armazenar cargas não obstruir os acessos a extintores de incêndio, telefone de emergência, portas e saídas de emergência, etc., depositando cargas nestes locais.
2- Em empilhamentos altos cuidar para que as cargas não venham a cair.
3- Certifique-se de que as prateleiras ou mezaninos tem a resistência necessária para suportar o peso da carga.
4- Verifique a capacidade do piso. Esteja seguro de que o piso onde você esta operando tem capacidade de suportar o peso combinado da empilhadeira e da carga que ela carrega.
Cuidados no carregamento de caminhões ou vagões:
1- Quando carregar caminhões ou vagões, verifique as pranchas de acesso. Certifique-se de que as pranchas entre a plataforma e o caminhão ou vagões estejam bem colocadas e ofereçam segurança. Dirija lentamente sobre elas. Certifique-se também de que o caminhão ou vagão estejam com suas rodas devidamente calçadas, para evitar escorregamento.
2- Não esqueça o peso da empilhadeira. A empilhadeira pesa muito mais que o material movido. Em movimento, seu peso é acrescido das forças dinâmicas.

Ações em caso de tombamento da empilhadeira:
Caso a empilhadeira tombe lateralmente, não tente sair enquanto ela estiver em movimento, poderá ficar preso nos controles. O procedimento correto é:
a) Firme as duas mãos na direção.
b) Afaste os joelhos um do outro, procure apoio para os pés.
c) Vire a cabeça para o lado contrário da queda.
d) Permaneça dentro do compartimento do protetor do operador.

Ações em caso de incêndio:
1- Ações preventivas gerais;
a) Não obstrua nem danifique equipamentos de proteção e combate a incêndio. Equipamentos de emergência como extintores, hidrantes, macas, etc.., não podem ficar obstruídos por cargas ou outros veículos estacionados.
b) Cada empilhadeira deve ser equipada com um extintor de incêndio. O operador deve garantir que ele seja verificado e tenha recebido assistência técnica de acordo com as normas legais vigentes.
c) Procure familiarizar-se com o manejo dos extintores de incêndio.

2- Ações em caso de incêndio na empilhadeira;
a) Se estiver em área onde o incêndio possa propagar-se rapidamente e caso for possível, leve a empilhadeira para fora.
b) Desligue a chave geral.
c) Se for empilhadeira movida a GLP, feche a válvula de gás.
d) Combata o fogo com o extintor instalado na empilhadeira ou nas proximidades (CO2 ou PQS).
e) Comunique imediatamente os bombeiros se não conseguir apagar as chamas.

3- Ações em caso de incêndio no estabelecimento;
a) Ao ouvir o alarme de incêndio, encoste imediatamente e pare a empilhadeira, deixando a pista livre para pedestres. Prossiga após o termino da emergência.
b) Caso a empilhadeira faça parte do plano de combate a incêndio do estabelecimento, o operador deve conduzi-la para o local pré-determinado. Lembre-se que a prioridade é dos pedestres.

Importante:
Quando se tratar de Máquinas e Equipamentos de Elevação é obrigatório, imediatamente antes da movimentação, a realização de:
01 – Elaboração da Análise Preliminar e Risco -APR
02 – Permissão de Trabalho (PT)
03 – Checar EPIs e EPCs
04 – Verificar o Manual de Instrução do Equipamento;
04 – Verificar o Laudo de Inspeção Técnica do Equipamento e dos Pontos de Ancoragem com ART
05 –  Manter Equipe de Resgate equipada;
06 – Reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos, contemplando as atividades que serão desenvolvidas, o  processo de trabalho, os riscos e as medidas de proteção, conforme análise de risco, consignado num documento a ser arquivado contendo o nome legível e assinatura dos participantes;
a) Inspeção visual;
b) Checagem do funcionamento do rádio;
c) Confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os envolvidos na operação.
07- A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de trabalho, dentre outros envolvidos na operação, no mínimo, sobre os seguintes perigos:
a) Impacto com estruturas externas;
b) Movimento inesperado;
c) Queda de altura;
i) Outros específicos associados com o içamento.
08 – A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do cesto, operador do equipamento, sinaleiro designado e supervisor da operação.
09 – A equipe de Resgate equipada deve permanecer a tempo de resposta dentro dos padrões  de  zero a 10 minutos.

Treinamento de Empilhadeira: Consulte-nos.

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos