Reconstituição do Prontuário NR 13

Reconstituição do Prontuário NR 13

Reconstituição Prontuário NR 13

Nome Técnico: Reconstituição do Prontuário NR 13

Cód: 28892

Reconstituição do Prontuário NR 13
A reconstituição do Prontuário NR 13  Itens: NR 13.4.1.7 e 13.5.1.7 – Quando inexistente ou extraviado, o prontuário da Caldeira e/ou Vaso de Pressão deve ser reconstituído pelo empregador, com responsabilidade técnica do fabricante ou de PH, sendo imprescindível a reconstituição das características funcionais, dos dados dos dispositivos de segurança e memória de cálculo da PMTA.

O que é prontuário NR 13?
Prontuário NR 13 é o conjunto de documentos e registros do projeto de construção, fabricação, montagem, inspeção e manutenção dos equipamentos.

 

Reconstituição do Prontuário NR 13

Ano de fabricação;
Atualizados pelo empregador sempre que alterados os originais;
Características funcionais, atualizadas pelo empregador sempre que alteradas as originais;
Categoria da caldeira;
Categoria do vaso, atualizada pelo empregador sempre que alterada a original;
Certificados de calibração dos dispositivos de segurança;
Código de projeto e ano de edição;
Conclusão do PLH;
Conjunto de desenhos e demais dados necessários para o monitoramento da sua vida útil;
Dados dos dispositivos de segurança;
Emissão da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Especificação dos materiais;
Metodologia para estabelecimento da PMTA;
Montagem e inspeção final;
Pressão máxima de operação;
Procedimentos utilizados na fabricação, montagem e inspeção final;
Projeto de alteração ou reparo;
Projeto de Instalação;
Proposta de melhorias corretivas;
Registro de Segurança;
Registro fotográfico;
Registros da execução do teste hidrostático de fabricação;
Relatórios de inspeção de segurança;

Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR – 13 – Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulação;
ABNT NBR 16035 – Caldeiras e vasos de pressão — Requisitos mínimos para a construção;
ABNT NBR 16342 – Ensaio não destrutivo – Ultrassom – Inspeção de tubos de trocadores de calor e caldeiras pela técnica IRIS;
ABNT NBR ISO 16528 – Caldeiras e vasos de pressão;
ABNT NBR 13598 Vasos de pressão para refrigeração.

Reconstituição do Prontuário NR 13

Cabe a Contratante quando for o caso:
Fornecer os meios, Projetos arquitetônicos em AutoCad ou PDF;
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos na áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 400 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.

Reconstituição do Prontuário NR 13

Validade das Inspeções: ANUAL exceto se ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, finalidades, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de nova Inspeção;
d) mudança de empresa;
e) troca de máquina ou equipamento.
Será emitido Laudo Técnico por Profissionais Legalmente Habilitados Perito e Engenheiro de Segurança do Trabalho com ART;

Os Equipamentos utilizados possuem Atestado de Aferição vigente e demais equipamentos são analógicos.

Causas do Acidente Trabalho:
Falta de cuidados do empregado;
Falta de alerta do empregador;
Mesmo efetuando todos os Treinamentos e Laudos obrigatórios de Segurança e Saúde do Trabalho em caso de acidente de trabalho o empregador estará sujeito a Processos tipo:
1- Inquérito Policial – Polícia Civil;
2- Perícia através Instituto Criminalista;
3- Procedimento de Apuração junto Delegacia Regional do Trabalho;
4- Inquérito Civil Público perante o Ministério Público do trabalho para verificação se os demais trabalhadores não estão correndo perigo;
5- O INSS questionará a causa do acidente que poderia ser evitado e se negar a efetuar o pagamento do benefício ao empregado;
6- Familiares poderão ingressar com Processo na Justiça do Trabalho pleiteando danos Morais, Materiais, Luxação, etc.;
7- Tsunami Processuais obrigando o Empregador a gerar Estratégia de Defesas mesmo estando certo;
8- Apesar da Lei da Delegação Trabalhista não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinamento (responsável em vigiar e na tem que realmente vigiar;
9- Não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando ao Empregador mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinar vale frisar que o Empregador também fica responsável em vigiar);
10- Quando ocorre um acidente além de destruir todo o “bom humor” das relações entre os empregados ou também o gravíssimo problema de se defender de uma série de procedimento ao mesmo tempo, então vale a pena investir nesta prevenção.
Salientamos que o empregado não pode exercer atividades expostos a riscos que possam comprometer sua segurança e saúde.
Sendo assim podem responder nas esferas criminal e civil, aqueles expõem os trabalhadores a tais riscos.

Reconstituição do Prontuário NR 13

Rescue Cursos

Laudos, Perícias Programas, ART's e muito mais!

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Reconstituição do Prontuário NR 13:

NR – 13:
Esta Norma Regulamentadora – NR estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas tubulações de interligação nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores.

O empregador é o responsável pela adoção das medidas determinadas nesta NR.
Esta NR deve ser aplicada aos seguintes equipamentos:
Todos os equipamentos enquadrados como caldeiras conforme item 13.4.1.1 e 13.4.1.2;
Vasos de pressão cujo produto P.V seja superior a 8 (oito), onde P é a pressão máxima de operação em kPa, em módulo, e V o seu volume interno em m³;
Vasos de pressão que contenham fluido da classe A, especificados no item 13.5.1.2, alínea “a”, independente das dimensões e do produto P.V;
Recipientes móveis com P.V superior a 8 (oito) ou com fluido da classe A, especificados no item 13.5.1.2, alínea “a”;
Tubulações ou sistemas de tubulação interligados a caldeiras ou vasos de pressão, categorizados conforme itens 13.4.1.2 e 13.5.1.2, que contenham fluidos de classe A ou B conforme item 13.5.1.2, alínea “a” desta NR.

Os vasos de pressão são reservatórios, com tipos, dimensões e finalidades diferentes, essenciais para os processos industriais que envolvam a utilização de fluidos ou gases, devendo ser projetados para resistir com segurança a pressões internas diferentes da pressão normal do ambiente, preservando os fluidos e gases em seu interior.
Os vasos de pressão servem, basicamente, para três finalidades:
Armazenar gases sob pressão, para que possam ter um maior peso num volume relativamente pequeno;
Acumulação intermediária de gases e líquidos, em sistemas onde é necessária essa função, entre as etapas de um mesmo processo ou mesmo entre processos diferenciados entre si;
Processamento de gases e líquidos, quando o processo de transformação exige que as condições sejam feitas sob pressão.
Os vasos de pressão necessitam de projetos específicos para sua construção, mantendo cuidados especiais na fabricação, na montagem e nos testes, uma vez que podem trazer riscos aos operadores, por operar com altas pressões e temperaturas elevadas.
Normalmente, os vasos de pressão também possuem um custo unitário elevado, daí vindo tantos cuidados em sua montagem, precisando assim que operem pelo máximo de tempo possível dentro das estritas condições de segurança, sem a necessidade de paradas do equipamento para manutenção, reduzindo assim os custos operacionais.
Vasos de pressão são utilizados em usinas de açúcar e etano, em indústrias químicas e petroquímicas, constituindo um conjunto de equipamentos que servem para os mais variados usos.
Os reservatórios de ar comprimido de compressores, utilizados para fins de recapagens, para uso de frigoríficos, indústrias as mais diversas, também se utilizam dos vasos de pressão, podendo ser encontrados nos digestores, nos trocadores de calor, nos boillers, cozedores de alimentos, evaporadores, reatores, etc.
Diante dos perigos que podem causar, os vasos de pressão precisam ser projetados, fabricados e operados dentro de uma série de normas, utilizando-se materiais adequados para cada tipo de aplicação, já que qualquer falha pode acarretar sérias consequências, inclusive podendo provocar perda de vidas humanas. Vasos de pressão estão entre os equipamentos considerados de alta periculosidade.

As caldeiras são sistemas projetados para aquecer ar ou água para produzir calor ou energia.
Eles podem ser incrivelmente simples ou bastante elaborados, mas os modelos básicos são compostos de um recipiente fechado onde o calor é aplicado à água, que é então circulada em todo o sistema sob a forma de água quente ou vapor.
A água deve ser fervida para criar vapor, dando o nome do dispositivo.
Muitos sistemas de aquecimento doméstico e aquecedores de água que usam caldeiras na verdade não ferram a água, no entanto.
Em vez disso, a água geralmente é aquecida a temperaturas em algum lugar entre 140 ° e 200 ° F (42,14 ° a 93,3 ° C), embora algumas pessoas baixem as configurações para economizar energia e dinheiro.
Muito parecido com um forno típico aquece o ar, as caldeiras aquecem a água ou outros fluídos de aquecimento.
O líquido aquecido, em seguida, passa através de tubos em vez de canalização para um dispositivo de aquecimento particular, como um radiador, para desembolsar calor.
Com sistemas de aquecimento radiante, às vezes designados por pisos aquecidos, os tubos podem ser colocados no chão ou no teto.
A água é aquecida e, em seguida, movido através dos tubos, que distribuem o calor em todo o espaço em vez de no final de uma linha através de alguma outra forma de dispositivo de aquecimento.

Reconstituição do Prontuário NR 13: Consulte-nos.

Reconstituição do Prontuário NR 13

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos