O que é Poeira Impregnada?
Foto Ilustrativa

Laudo Inflamabilidade Poeira Impregnada

Nome Técnico: Elaboração de Relatório Técnico Pericial de Inflamabilidade de Poeira Impregnada

Referência: 120620

Ministramos Cursos e Treinamentos em Idioma Técnico: Português, Inglês (Regional), Croata, Japonês, Espanhol, Francês, Chinês (Regional), Alemão, Índia (Regional), Árabe, Coreano, Russo, entre outros.

Laudo Inflamabilidade Poeira Impregnada
O objetivo da Elaboração de Relatório Técnico Pericial de Inflamabilidade de Poeira Impregnada é a identificação e mensuração do potencial explosivo de poeiras impregnadas em estruturas, pisos e outras superfícies, levando em consideração todo o ambiente.

O que é Poeira Impregnada?
A Poeira Impregnada é o material residual de processos químicos industriais, capaz de aderir às superfícies do ambiente. Este tipo de poeira, dependendo o material originário, pode ter grande potencial prejudicial à saúde dos colaboradores, bem como explosivos, portanto, deve ser analisado de acordo com as normas aplicáveis.

Escopo do Serviço

Laudo Inflamabilidade Poeira Impregnada

Procedimentos ocupacionais para realização da inspeção;
Verificação de documentações pertinentes;
Verificação de pressões anormais e condições ambientais;
Determinação do equipamento a ser utilizado;
Inspeção de limpeza dos materiais e superfícies;
Verificação de risco de carga eletrostática;
Determinação dos filtros de coleta;
Identificação de pó combustível no ar;
Inspeção qualitativa de materiais elétricos;
Preparação das amostras;
Determinação da distribuição da partícula;
Recolhimento e teste das amostras;
Realização dos testes e verificações pertinentes;
Definição e identificação dos resultados;
Determinação do grau de inflamabilidade das amostras;
Identificação do risco de geração de faísca;
Realização de ensaios de ignição;
Determinação de temperatura mínima de ignição;
Medição da camada de poeira e temperatura ambiente;
Verificação dos itens e sistemas de segurança;
Validade e observação de vistorias e laudos anteriores;
Recomendações finais;

Disposições Finais:
Registro fotográfico;
Registro das Evidências;
Conclusão do PLH;
Proposta de melhorias corretivas;
Emissão da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica);

Cabe a Contratante fornecer quando for o caso:
Lista de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos contidos nas áreas com marca, potência modelo, tipo e temperatura;
Se tiver inflamáveis e/ou combustíveis armazenados com mais 200 litros no total torna-se obrigatório fazer o Prontuário da NR-20.
Demais documentos e procedimentos necessários previstos antes ou depois da  Inspeção técnica.

Referências Normativas quando for o caso aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR 09 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA);
NR-10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade;
NR-12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos;
NR-20 – Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis;
ABNT NBR ISO/IEC 80079-20 – Atmosferas Explosivas – Características dos Materiais – Métodos de Ensaio de Poeiras Combustíveis
ABNT NBR IEC 60079-31 – Atmosferas Explosivas – Parte 31: Proteção de equipamentos contra ignição de poeira por invólucros “t”;

ABNT NBR IEC 60079-10-2 – Atmosferas explosivas – Parte 10-2: Classificação de áreas — Atmosferas de poeiras explosivas;
NFPA 20 – Standard for the Installation of Stationary Pumps for Fire Protection;
NFPA 25 – Standard for the Inspection, Testing, and Maintenance of Water-Based Fire Protection Systems;
ABNT NBR ISO/CIE 8995 – Iluminação de ambientes de trabalho;
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT); quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Validade

Elaboração de Relatório Técnico Pericial de Inflamabilidade de Poeira Impregnada

Validade das Inspeções: ANUAL exceto se ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, finalidades, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de nova Inspeção;
c) mudança de empresa;
d) troca de máquina ou equipamento.
Será emitido Documento Técnico por Profissionais Legalmente Habilitados Perito e Engenheiro de Segurança do Trabalho com ART;

Os Equipamentos utilizados possuem Atestado de Aferição vigente e demais equipamentos são analógicos.

Rescue Cursos

Laudos, Perícias Programas, ART's e muito mais!

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Elaboração de Relatório Técnico Pericial de Inflamabilidade de Poeira Impregnada

5 Determinação das características dos poeiras combustíveis e das partículas combustíveis em suspensão
5.1 Sequência de ensaios
A sequência seguida para a determinação das propriedades dos poeiras combustíveis e das partículas combustíveis em suspensão é apresentada em 5.2, Seção 6 e Figura 1, Figura 2 e Figura 3.
NOTA 1 Consultar também as informações indicadas no Anexo G.
NOTA 2 O ensaio no tubo de Hartmann é um método fechado. O procedimento pode ser diretamente iniciado com uma esfera de 20 L ou com um forno do tipo GG.
5.2 Ensaios para determinar se um material é uma poeira combustível ou um material particulado combustível
5.2.1 Inspeção visual
Fazer uma inspeção visual do material de ensaio (por meio de microscópio, se necessário), para determinar se o material consiste em material particulado combustível:
• Se o material consistir em material particulado combustível com poeira combustível, então conti-nuar o procedimento de ensaio em um tubo de Hartmann (ver 5.2.3), para determinar se a com-binação das duas é uma poeira combustível.
• Se o material consistir somente em material particulado combustível, então continuar o procedi-mento de ensaio em um tubo de Hartmann (ver 5.2.3), para determinar que se trata de partículas combustíveis em suspensão
5.2.2 Determinação da distribuição da partícula
Para materiais que não contenham partículas combustíveis em suspensão, verificar a distribuição do tamanho da partícula:
• Se não existirem partículas menores que 500 prn em tamanho, então o material não é uma poeira combustível.
• Se existirem partículas menores que 500 lim em tamanho, continuar o procedimento de ensaio em um tubo de Hartmann, para determinar se o material é uma poeira combustível.
5.2.3 Ensaio de ignição em tubo de Hartmann.
5.2.3.1 Ensaio em um tubo de Hartmann com uma centelha (ver 7.1)
1) Se a ignição ocorrer, o material é uma poeira combustível ou um material particulado combustível (prosseguir para o procedimento de caracterização de poeira combustível ou material particulado combustível (ver Seção 6)).
2) Se nenhuma ignição ocorrer:
a) prosseguir para o ensaio em um tubo de Hartmann, com uma fonte de ignição por espira aquecida (ver 7.1);
b) pode ser assumido, neste caso, que a energia mínima de ignição é maior que 1 J e que o material de ensaio é difícil de entrar em ignição.
5.2.3.2 Ensaio em um tubo de Hartmann com uma fonte de ignição por espira aquecida (ver 7.1)
1) Se a ignição ocorrer, o material é uma poeira combustível ou um material particulado combustível, (prosseguir para a caracterização de poeira combustível ou material particulado combustível (ver Seção 6)).
2) Se nenhuma ignição ocorrer:
a) prosseguir para o ensaio na esfera de 20 L (ver 7.2);
b) pode ser assumido que a energia mínima de ignição é maior que 10 J.
5.2.4 Ensaio de ignição em uma esfera de 20 L Ensaio em uma esfera de 20 L (ver 7.2):
• Se a ignição ocorrer, o material é uma poeira combustível ou um material particulado combustível (prosseguir para a caracterização de poeira combustível ou material particulado combustível (ver Seção 6).
• Se nenhuma ignição ocorrer, então o material não é uma poeira combustível ou um material par-ticulado combustível, e o procedimento de ensaio está concluído.
NOTA Embora o material não forme misturas explosivas com o ar, ele pode ainda causar a ignição de uma camada de poeira combustível. Se existir material insuficiente disponível para o ensaio em uma esfera de 20 L, então o ensaio de um forno do tipo Godbert-Greenwald (GG), a 1 000 °C, é uma alternativa aceitável (ver 7.3):
• Se nenhuma ignição ocorrer a 1 000 °C, então o material não é uma poeira combustível ou um material particulado combustível.
• Se ocorrer uma ignição a 1 000 °C, então é recomendado que o material seja submetido a verifi-cação adicional em uma esfera de 20 L antes deste material ser considerado combustível ou não combustível.
6 Procedimento de caracterização de poeiras combustíveis ou partículas combustíveis em suspensão O procedimento indicado a seguir é o procedimento para a caracterização de poeira combustível ou material particulado combustível:
– ensaio para temperatura mínima de ignição de uma nuvem de poeira (MIT – minimum ignition temperature) (ver Seção 8):
a) forno do tipo GG (ver 8.1.2), ou
b) forno do tipo BAM (ver 8.1.3)
– ensaio para temperatura mínima de ignição (MIT) da camada de poeira (ver 8.2);
– ensaio para a energia mínima de ignição (MIE) da nuvem de poeira (ver 8.3);
– ensaio para a resistividade de poeira a granel (ver 8.4).
7.1.2 Equipamentos de ensaio
O equipamento de ensaio consiste em um tubo vertical fechado na parte de baixo com uma tampa de dispersão (volume de aproximadamente 1,2 L e com diâmetro intemo de (70 ± 5) mm).
Como fontes de ignição
– um centelhador contínuo de indução (interstício entre eletrodos de aproximadamente 4 mm, com uma tensão nominal de cerca de 15 kV e aproximadamente 0,2 kVA),
– uma espira incandescente (fio com diâmetro de aproximadamente 1,2 mm, comprimento de 470 mm, diâmetro da espira de aproximadamente 11 mm e temperatura do fio de pelo menos 1000 °C).
A separação vertical entre o fundo da tampa de dispersão e a fonte de ignição é de aproximadamente 100 mm.
Uma descrição detalhada de um equipamento de ensaio adequado pode ser encontrada no Anexo D.

*OBS: É necessário que o Plano de Inspeção Manutenção NR 12  de cada Máquina e/ou Equipamento esteja atualizado em Conformidade com as Normas Regulamentadoras.

Laudo Inflamabilidade Poeira Impregnada: Consulte-nos.

Laudo Inflamabilidade Poeira Impregnada

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos