Curso Torneiro Mecânico

Curso Torneiro Mecânico
Foto Ilustrativa

Curso Torneiro Mecânico

Nome Técnico: Curso Capacitação NR-12 Segurança nas Atividades de Torneiro Mecânico

Referência: 65109

Ministramos Cursos e Treinamentos em Idioma Técnico: Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Híndi, Mandarim, Cantonês, Japonês, entre outros.

Curso Torneiro Mecânico
O Curso Torneiro Mecânico tem por objetivo capacitar os profissionais designados a operação de tornos mecânicos para cortes diversos, abordando os procedimentos seguros e métodos de trabalho para evitar acidentes, visando maximizar a segurança na operação para evitar acidentes.

O que é Torno Mecânico?
Equipamento de corte fundamental para realização de cortes em peças de variados materiais, com grande aplicação na indústria da fabricação de peças, destinada a trabalhar uma peça animada de movimento de rotação, por meio de uma ferramenta de corte. É importante para evitar acidentes que podem chegar a graves proporções que os operadores sejam devidamente capacitados.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

16 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Curso Torneiro Mecânico

Segurança com Máquinas e Equipamentos;
Normas Regulamentadoras Aplicáveis;
Tipos de torno;
Conscientização da Importância do Manual de Instrução de Operação do Equipamento;
Nomenclatura do Torno Mecânico e seus Acessórios
Classificação e Aplicação dos tornos;
Operações fundamentais;
Segurança com equipamentos de corte;
Ferramentas de Corte do Torno Mecânico;
Equipamentos de proteção para Operação de tornos mecânicos;
Fluidos de Corte;
Processos de Resfriamento;
Afiação de Ferramentas de Corte;
Torneamento Cônico;
Canaletes em Superfícies Cilíndricas;
Torneamento com Mandris;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Como descobrir o jeito mais rápido e fácil para desenvolver novas habilidades;
Como controlar a mente enquanto trabalha;
Como administrar e aproveitar o tempo de trabalho;
Como ser produtivo e focado durante o período de trabalho;
Como devo pensar sobre produtividade;
Porque é importante equilibrar a energia durante a atividade afim de obter produtividade;
Porque gerenciar o tempo é importante;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Noções sobre Árvore de Causas;
Noções sobre Árvore de Falhas;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Registro das Evidências;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação.
Nota: Este Serviço atende exclusivamente as exigências da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT); quando se tratar de atendimento a outros Órgãos, informe no ato da solicitação.

Referências Normativas quando for o caso aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
NR-12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos;
NR-17 – Ergonomia;
ABNT NBR ISO 23125 – Máquinas-ferramenta — Segurança — Tornos;
ABNT ISO/TR 9241 – Ergonomia da interação humano-sistema;
NBR NM – 272 – Segurança de máquinas – Proteções – Requisitos gerais para o projeto e construção de proteções fixas e móveis;
NBR NM – 273 – Segurança de máquinas – Dispositivos de intertravamento associados a proteções – Princípios para projeto e seleção;
ABNT NBR 13759 – Segurança de máquinas – Equipamentos de parada de emergência – Aspectos funcionais – Princípios para projeto;
ABNT NBR ISO/CIE 8995 – Iluminação de ambientes de trabalho;
Protocolo 2015 Guidelines American Heart Association;
Protocolo 2017 – Atualizações Específicas nas Diretrizes 2017 American Heart Association p/ Suporte Básico de Vida em Pediatria/Adultos e Qualidade de Ressuscitação Cardiopulmonar.
Portaria GM N.2048 – Política Nacional de Atenção as Urgências;
OIT 161 – Serviços de Saúde do Trabalho;
ISO 10015 – Gestão da qualidade – Diretrizes para treinamento;
ISO 45001 – Sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional – Requisitos com orientação para uso;
ISO 56002 – Innovation management — Innovation management system.

Atenção:
EAD (Ensino a Distância), Semipresencial
O Certificado EAD também conhecido como Online, conforme LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. pode ser utilizado para:
Atividades Complementares;
Avaliações de empresas;
Concursos Públicos;
Extensão universitária;
Horas extracurriculares;
Melhora nas chances de obter  emprego;
Processos de recrutamento;
Promoções internas;
Provas de Títulos;
Seleções de doutorado;
Seleções de Mestrado;
Entras outras oportunidades.
Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EAD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica.veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Curso Torneiro Mecânico

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem): O empregador deve realizar treinamento periódico Anualmente e sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;
d) mudança de empresa;
e) Troca de máquina ou equipamento.

Certificado: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade;
Conteúdo programático;
Carga horária; Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidências do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Curso Torneiro Mecânico:

Torno mecânico é a máquina-ferramenta, destinada a trabalhar uma peça animada de movimento de rotação, por meio de uma ferramenta de corte. Esta ferramenta pode trabalhar deslocando-se paralela ou perpendicularmente ao eixo da peça.
No primeiro caso a operação é denominada tornear e no segundo caso facear.
As curvas geradas pelos movimentos combinados da peça e da ferramenta são: uma hélice, quando se torneia, e uma espiral, quando se faceia.
O torno executa qualquer espécie de superfície de revolução uma vez que a peça que se trabalha tem o movimento principal de rotação, enquanto a ferramenta possui o movimento de avanço e translação.
O trabalho abrange obras como eixos, polias, pinos e toda espécie de peças roscadas.
Além de tornear superfícies cilíndricas externas e internas, o torno poderá usinar superfícies planas no topo das peças (facear), abrir rasgos ou entalhes de qualquer forma, ressaltos, superfícies cônicas, esféricas e perfiladas.
Qualquer tipo de peça roscada, interna ou externa, pode ser executada no torno.
Além dessas operações primárias ou comuns, o torno pode ser usado para furar, alargar, recartilhar, enrolar molas, etc.
O torno também pode ser empregado para polir peças usando-se lima fina, lixa ou esmeril.
O torno mecânico é a mais importante das máquinas-ferramenta.
É geralmente considerado como a máquina-ferramenta fundamental porque dela se tem derivado todas as outras máquinas e também porque pode executar maior número de obras do que qualquer outra máquina-ferramenta.
O primeiro torno mecânico que se tem notícia foi feito na França por volta de 1740, sendo desconhecido o seu inventor.
Era um pequeno torno de 4 a 5 polegadas de diâmetro, já possuía fuso para abrir roscas e era empregado na confecção de pequenas peças.
Em 1797, Henry Mandslay, Inglês, construiu um pequeno torno mecânico para abrir roscas de 10 polegadas de diâmetro, com fuso engrenado à árvore.
Quando este torno foi construído, a princípio era preciso um fuso diferente para cada passo de rosca que se quisesse abrir. Mais tarde, foi obtida a variação do passo por meio de engrenagens, permitindo este dispositivo, abrir roscas de mais de um passo,
com um só fuso, no mesmo torno.
Desta época até a atual, os aperfeiçoamentos introduzidos, fizeram do torno, a máquina-ferramenta eficiente e engenhosa, com o auxílio da qual a indústria mecânica atingiu o desenvolvimento extraordinário dos nossos dias.
Os tornos modernos apresentam inovações na sua construção com o fim de aumentar a capacidade produtiva e a precisão das máquinas.
Atualmente, com o aumento das exigências de mercado e da concorrência para a produção em série, já se deixaram de lado “os velhos” e tradicionais tornos, substituindo-os, mesmo com sacrifício, por tornos revólveres e automáticos.
Tornos especiais
A grande produção de peças em série tem desenvolvido os tornos de um modo extraordinário.
Existem vários tipos de máquinas que realizam operações incríveis.
Existem tornos que têm até quatro esperas num total de quinze ferramentas, cada uma com movimento diferente e independente.
O “mul-au-matic” é o mais surpreendente entre todas as máquinas-ferramenta convencionais que se conhece até o momento. É um torno vertical com 6 a 8 eixos, podendo cada um trabalhar com peças diferentes.
Este tipo de torno é capaz de produzir várias peças em poucos minutos. Este torno só é usado em grandes oficinas ou fábricas de automóveis.
O “Stub de 6” com quatro esperas em posição inclinada também é um torno de grande produção. Todos esses tornos trabalham com grande velocidade usando ferramentas especiais. Há tornos que usinam rodas para vagões que são notáveis pelo seu grande diâmetro e que são torneadas fixadas nos próprios eixos.
Extraordinário também é o torno programador; sua capacidade de produção é muito grande e, para termos uma noção, na confecção de um eixo de comprimento com dois diâmetros, um com 1 1/2” e outro com 1”, gastam-se aproximadamente 2 minutos.
Atualmente, o estado da arte já contempla tornos de última geração, os chamados tornos CNC (Comando Numérico Computadorizado), onde são programadas e executadas peças em série.

Fonte: Engineermac

12.138 A capacitação deve:
a) ocorrer antes que o trabalhador assuma a sua função;
b) ser realizada sem ônus para o trabalhador; (Alterada pela Portaria MTE n.º 857, de 25/06/2015)
c) ter carga horária mínima que garanta aos trabalhadores executarem suas atividades com segurança, sendo distribuída em no máximo oito horas diárias e realizada durante o horário normal de trabalho;
d) ter conteúdo programático conforme o estabelecido no Anexo II desta Norma; e
e) ser ministrada por trabalhadores ou profissionais qualificados para este fim, com supervisão de profissional legalmente habilitado que se responsabilizará pela adequação do conteúdo, forma, carga horária, qualificação dos instrutores e avaliação dos capacitados.

12.139 O material didático escrito ou audiovisual utilizado no treinamento e o fornecido aos participantes, devem ser produzidos em linguagem adequada aos trabalhadores, e ser mantidos à disposição da fiscalização, assim como a lista de presença dos participantes ou certificado, currículo dos ministrantes e avaliação dos capacitados.

12.147.1 O curso de capacitação deve ser específico para o tipo máquina em que o operador irá exercer suas funções e atender ao seguinte conteúdo programático:
a) histórico da regulamentação de segurança sobre a máquina especificada;
b) descrição e funcionamento;
c) riscos na operação;
d) principais áreas de perigo;
e) medidas e dispositivos de segurança para evitar acidentes;
f) proteções – portas, e distâncias de segurança;
g) exigências mínimas de segurança previstas nesta Norma e na NR 10;
h) medidas de segurança para injetoras elétricas e hidráulicas de comando manual; e
i) demonstração prática dos perigos e dispositivos de segurança.

Fonte: NR-12

Curso Torneiro Mecânico: Consulte-nos.

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos