Curso Instrutor de Espaço Confinado e Trabalho em Altura

O Curso visa capacitar o profissional para estabelecer estratégias de execuções proativas, de modo a consolidar as diretrizes específicas para instrutores de Espaço Confinado e Trabalho em Altura.
Conteúdo programático:
Detecção de Gases e Ventilação em Espaços Confinados:
Teoria de gases perigosos;
Tóxicos,  Inflamáveis,  Explosões,  Asfixiantes;
Técnicas de medição de gases aplicada a espaço confinado;
Estratégia de amostragem (O que amostrar, quando e onde?);
Critérios de indicação e uso de equipamentos para controle de riscos;
Calibração e teste de resposta de instrumentos para medidas atmosféricas;

Curso Instrutor de Espaço Confinado e Altura
Curso Instrutor de Espaço Confinado e Trabalho em Altura

Funcionamento de equipamentos utilizados;
Princípio de ventilação em espaços confinados;
Exercício teórico de ventilação em espaços confinados;
Atmosferas Explosivas:
Área classificada,  norma internacional – IEC, Norma nacional – ABNT, Certificação INMETRO, Código IP (Ingress Protection),  Equipamentos elétricos,
Tipos de proteção, Marcação,  Aterramento,  Eletricidade estática.
Combate a incêndio: Noções de Prevenção e Combate a Incêndio;
Materiais e equipamentos: Material de uso individual e coletivo, EPIs, EPCs;
Materiais rígidos e flexíveis;
Flexíveis: cordas, fitas e cintos, talabartes, ABS;
Rígidos: mosquetões, talabartes, ID, Grigri, freio oito, trava quedas, jumar, polias
Proteção contra quedas, Fator de quedas, Práticas seguras;
Técnicas de ancoragem: Sistemas de Redução, Alpinismo Industrial e Resgate, Equalização de Ancora;
Nós e voltas:
Demonstração e Execução:
Nós Oito duplo guiado, Coelho, Borboleta, Meia Volta, Fiel, Prursik, Pescador, Calafate, Utilização Correta;
Desenvolvimento do Sistema de Redução:
Montagem de Sistema 4X1 e 2X1, Cavalos com Utilização dos Sistemas 3X1 e 4X1, Sistema Mochila e Minhoca;
Prática em Campo:
Ascensão e Dissenção em cordas, Transferências: Curta, Longa, Simulações de Entrada e Saída em Espaço Confinado, Simulações de Resgate Simples com Movimentadores e Ventilação, Simulações de Resgate com Situações IPVS;
Noções de Resgate em Espaço Confinado:
Teoria de Resgate Técnico em Espaços Confinados, Modos de Operação e Fiscalização na Formação de Equipes de Resgate;
Resgate com Cordas:
Resgate de Alpinistas com o uso de Cinto, Imobilizadores e Fraldão;
Resgate com Macas:
Resgate e Movimentação de Vítimas com STR e Mamute;
Liberação de Serviço a Quente:
Proteção Respiratória / Proteção Autônoma:
Legislação e Normas de Segurança;
Responsabilidades do Empregador e do Empregado;

Normas e regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura;
NR 01 – Disposições Gerais;
NR 06 – EPI – Equipamentos de Proteção Individual;
NR 07 – PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional;NR 35 – Trabalho em Altura;
NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção.;
NFPA 1983 – Norma sobre Linha de Vida e Componentes de Segurança de Incêndio;
NFPA 1006 – Norma para Qualificação de Técnicos Profissionais de Resgate;
NFPA 1670 – Norma para Treinamentos e Operações Técnicas de Busca e Regate em Incidentes;
NBR 15.475 – Qualificação dos Profissionais Acessos por Corda;NBR 15.595 – Acesso por Corda Procedimentos para Aplicação do método;
NBR 16325-2 Dispositivo de Ancoragem tipo C;
NBR 16325-1 Dispositivo de Ancoragem tipo A.B.D.

Considerações:
1- Resgate e Instrutoria  é coisa séria: Se os participantes  não tiverem boa experiência em trabalhos em espaços confinados a nível autorizado vigia /Supervisor e capacitação como Pronto Socorrista, vão ter dificuldade para com os exercícios teóricos e práticos e não conseguirão atingir o aproveitamento mínimo de 80%.
2- A certificação terá validade acompanhada das Certificações de Supervisor de Espaço Confinado e Pronto Socorrista  e NR 35 Supervisor de Altura.

Requisitos básicos para Instrutoria:
Formação mínima como Técnico(a)  Segurança do Trabalho – 1200 horas
(Fundamental para participar do Curso);
Formação  em Operação de Equipamento específico 40 horas ou no mínimo 16 horas(Fundamental para participar do curso);
Formação em técnicas )de ensino com carga horária mínima – 40 horas
Formação em APH (Atendimento Pré Hospitalar) Primeiros Socorros – 240 horas
Estágio prático supervisionado por equipamento específico – 40 horas
Experiência na área de operação de equipamentos móveis
A empresa que deseja capacitar instrutores deverá compor equipe multidisciplinar sob a supervisão de PH para ministrar treinamento e recolhimento de ART.
Vale ressaltar que instrutoria feita pela própria empresa fará parte situação sujeito a questionamentos e acúmulo de funções.
Importante: Cursos e Treinamentos de Segurança e Saúde do Trabalho devem ser ministrados SEMPRE por Equipe Multidisciplinar conforme preconiza as Normas Regulamentadoras, ou seja um único instrutor não deverá ministrar todas as matérias, salvo exceções de domínio pleno do plano de aula.