curso equipamentos eletromedicos, Treinamento equipamentos, Treinamento equipamentos eletromedicoo que é o curso equipamentos eletromedicos, pra que serve o curso equipamentos eletromedicos, aonde fazer o curso equipamentos eletromedicos, como fazer o curso equipamentos eletromedicos, porque fazer o curso equipamentos eletromedicos, quando fazer o curso equipamentos eletromedicos, quanto custa o curso equipamentos eletromedicos, treinamento do curso equipamentos eletromedicos, certificado do curso equipamentos eletromedicos, apostila do curso equipamentos eletromedicos, qual objetivo do curso equipamentos eletromedicos, reciclagem do curso equipamentos eletromedicos,

Treinamento Equipamentos Eletromédicos

Curso Equipamentos Eletromédicos

Nome Técnico: Como fazer Segurança Elétrica e Emissões para Instalações de Equipamentos Eletromédicos - 16 horas

Cód: 21802

O Curso Equipamentos Eletromédicos tem como objetivo saber interpretar e utilizar manuais, esquemas e outras literaturas técnicas fornecidas pelos fabricantes de equipamentos de eletromedicina, utilizar os procedimentos associados às operações de correção, ajuste e manutenção, de equipamentos de eletromedicina, segundo as instruções do fabricante.
Entender os princípios de funcionamento de equipamentos de eletromedicina, reconhecer as especificações técnicas relativas à instalação, reparação e manutenção de equipamentos de eletromedicina, atentando-se as referências normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações e aos detalhes técnicos de cada equipamento para garantir a segurança dos necessitados desse tipo de serviço.

Equipamentos eletromédicos: são dispositivos eletro-eletrônicos utilizados pelos médicos em suas clínicas e hospitais para colaborar no diagnóstico, tratamento ou monitoração de seus pacientes.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

40 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Curso Equipamentos Eletromédicos
Diretrizes gerais e justificativas;
Ensaios durante a instalação;
Sequência de ensaios;
Simbologia para marcação;
Inspeção de caminhos de isolação e circuitos de ensaio;
Aparelho de ensaio para misturas inflamáveis;
Aparelho de ensaio de impacto;
Ligações por terminais parafusados;
Transformadores de alimentação;
Exemplos de conexões de parte aplicada para medição de corrente de fuga através do paciente;
Preparar e organizar o trabalho a fim de efetuar a instalação, manutenção e/ou reparação do equipamentos;
Utilização de tecnologias, técnicas e instrumentos adequados, por forma a assegurar o seu correto funcionamento, respeitando as normas de segurança;
Efetuar manutenções preventivas e corretivas, utilizando os recursos necessários, por forma a otimizar o seu funcionamento e respeitando as normas de segurança;
Elaborar relatórios e preencher documentação técnica relativa à reparação ou manutenção de equipamentos de electromedicina.

Complementos
Prevenção de acidentes;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação;

Curso Equipamentos Eletromédicos

Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
Norma Técnica NBR IEC 60601-1 Requisitos gerais para a segurança básica e o desempenho essencial – Norma Colateral: Requisitos para equipamentos eletromédicos e sistemas eletromédicos utilizados em ambientes domésticos de cuidado à saúde;
Normas particulares ABNT NBR IEC 60601-1;
NBRIEC60601-1 Equipamento eletromédico – Parte 1: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial;
NBRIEC60601-1-2 Equipamento eletromédico – Parte 1-2: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Compatibilidade eletromagnética – Requisitos e ensaio;
NBRIEC60601-1-8 Equipamento eletromédico – Parte 1-8: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Requisitos gerais, ensaios e diretrizes para sistemas de alarme em equipamentos eletromédicos e sistemas eletromédicos;
NBRIEC60601-2-24 Equipamento eletromédico – Parte 2-24: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial de bombas de infusão e de controladores de infusão;
NBRIEC62366 Produtos para a saúde — Aplicação da engenharia de usabilidade a produtos para a saúde;
NBRIEC60601-1-9 Equipamento eletromédico – Parte 1-9: Prescrições gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Prescrições para um projeto corresponsável;
NBRISO14971 Produtos para a saúde – Aplicação de gerenciamento de risco em produtos para a saúde;
NBRIEC60601-2-37 Equipamento eletromédico – Parte 2-37: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos equipamentos médicos de monitoramento e diagnóstico por ultrassom;
Normas particulares ABNT NBR IEC 60601-2;
60601-2-2 Equipamento cirúrgico de alta freqüência;
60601-2-3 Equipamento de terapia por ondas curtas;
60601-2-4 Desfibriladores cardíacos;
60601-2-5 Equipamentos por ultra-som para terapia;
60601-2-6 Equipamento de terapia por micro-ondas;
60601-2-7 Geradores de alta tensão de geradores de raio X;
60601-2-10 Equipamento para estimulação neuromuscular;
60601-2-12 Ventilador pulmonar;
60601-2-13 Sistemas de anestesia;
60601-2-14 Equipamento para eletroconvulsoterapia;
60601-2-16 Equipamentos de hemodiálise;
60601-2-18 Equipamento de endoscopia;
60601-2-19 Incubadoras para recém-nascidos;
60601-2-20 Incubadoras de transporte;
60601-2-21 Berços aquecidos para recém-nascidos;
60601-2-22 Equipamento terapêutico e de diagnóstico a laser;
60601-2-24 Bombas e controladores de infusão;
60601-2-25 Eletrocardiógrafos;
60601-2-26 Eletroencefalógrafos;
60601-2-27 Equipamento para monitorização de eletrocardiograma;
60601-2-28 Conjuntos-fontes/emissores de radiação X;
60601-2-30 Monitores automáticos de pressão não invasiva;
60601-2-31 Marcapassos externos com fonte de alimentação interna;
60601-2-32 Equipamentos associados aos equipamentos de raios X;
60601-2-34 Monitores de pressão invasiva;
60601-2-35 Cobertores, almofadas e colchões para o aquecimento;
60601-2-36 Equipamento extracorpóreo para litotripsia induzida;
60601-2-37 Equipamento de Ultra-som;
60601-2-38 Camas hospitalares operadas eletricamente;
60601-2-40 Eletromiógrafos e equipamento de potencial evocado;
60601-2-43 Equipamentos de raios-X para proced. Intervencionistas;
60601-2-45 Mamógrafos e dispositivos de estereotaxia mamográfica;
60601-2-46 Mesas cirúrgicas;
60601-2-47 Sistema de eletrocardiografia ambulatorial;
60601-2-49 Monitor multiparamétrico de paciente;
60601-2-50 Equipamento de fototerapia;
60601-2-50 Eletrocardiógrafos gravadores e analisadores.

Curso Equipamentos Eletromédicos:

Atenção:
EAD Ensino a Distância, Presencial e Semipresencial

Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EaD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica. Veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Curso Equipamentos Eletromédicos.

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem): O empregador deve realizar treinamento periódico Anualmente  e sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;
d) mudança de empresa;
e) Troca de máquina ou equipamento.
Os operadores qualificação e treinamento específico no equipamento.

Certificado:Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade,;
Conteúdo programático;
Carga horária;Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho e relação dos tipos de espaços confinados;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidencias do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Causas do Acidente Trabalho:
Falta de cuidados do empregado;
Falta de alerta do empregador;
Mesmo efetuando todos os Treinamentos e Laudos obrigatórios de Segurança e Saúde do Trabalho em caso de acidente de trabalho o empregador estará sujeito a Processos tipo:
1- Inquérito Policial – Polícia Civil;
2- Perícia através Instituto Criminalista;
3- Procedimento de Apuração junto Delegacia Regional do Trabalho;
4- Inquérito Civil Público perante o Ministério Público do trabalho para verificação se os demais trabalhadores não estão correndo perigo;
5- O INSS questionará a causa do acidente que poderia ser evitado e se negar a efetuar o pagamento do benefício ao empregado;
6- Familiares poderão ingressar com Processo na Justiça do Trabalho pleiteando danos Morais, Materiais, Luxação, etc.;
7- Tsunami Processuais obrigando o Empregador a gerar Estratégia de Defesas mesmo estando certo;
8- Apesar da Lei da Delegação Trabalhista não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinamento (responsável em vigiar e na tem que realmente vigiar;
9- Não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando ao Empregador mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinar vale frisar que o Empregador também fica responsável em vigiar);
10- Quando ocorre um acidente além de destruir todo o “bom humor” das relações entre os empregados ou também o gravíssimo problema de se defender de uma série de procedimento ao mesmo tempo, então vale a pena investir nesta prevenção.
Salientamos que o empregado não pode exercer atividades expostos a riscos que possam comprometer sua segurança e saúde.
Sendo assim podem responder nas esferas criminal e civil, aqueles expõem os trabalhadores a tais riscos.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Sabia mais: Curso Equipamentos Eletromédicos;
A norma ABNT NBR IEC 60601-1:2010 Equipamento eletromédico – Parte 1: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial , incluindo, quando existentes, todas as suas emendas, será compulsória a todos os equipamentos sob regime de Vigilância Sanitária que estejam dentro do seu campo de aplicação;
As normas particulares das séries IEC 60601 e ISO/IEC 80601 listadas a seguir, bem como suas emendas, serão compulsórias a todos os equipamentos sob regime de Vigilância Sanitária que estejam dentro dos seus respectivos campos de aplicação:
ABNT NBR IEC 60601-2-1:2011 Equipamento eletromédico – Parte 2-1: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos aceleradores de elétrons na faixa de 1 MeV a 50 MeV;
IEC 60601-2-2: 2009 Equipamento elétrico médico – Parte 2-2: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial do equipamento cirúrgico de alta frequência e acessórios cirúrgicos de alta frequência;
IEC 60601-2-3: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2-3: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial do equipamento de terapia de ondas curtas; IEC 60601-2-4: 2010 Equipamento elétrico médico – Parte 2-4: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos desfibriladores cardíacos;
ABNT NBR IEC 60601-2-5: 2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-5: Requisitos particulares para a segurança básica e de trabalho essencial dos equipamentos de fisioterapia por ultrassom;
IEC 60601-2-6: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2-6: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial do equipamento de terapia de microondas; 
ABNT NBR IEC 60601-2-7: 2001 Equipamento eletromédico – Parte 2-7:
Chave de segurança para geradores de alta tensão de geradores de radiação X para diagnóstico médico;
IEC 60601-2-10: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 10: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial dos estimuladores nervosos e musculares; 
ISO 80601-2-12: 2011 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 12: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de ventiladores para cuidados intensivos;
ISO / IEC 80601-2-13: 2011 Equipamento elétrico médico – Parte 2-13: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de uma estação de trabalho de anestesia; 
IEC 60601-2-16: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2-16: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de equipamentos de hemodiálise, hemodiafiltração e hemofiltração; 
IEC 60601-2-18: 2009 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 18: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial do equipamento endoscópico; 
IEC 60601-2-19: 2009 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 19: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial de incubadoras infantis; 
ABNT NBR IEC 60601-2-20:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-20: Requisitos particulares para segurança básica e o desempenho essencial das incubadoras de transporte para recém-nascidos;
ABNT NBR IEC 60601-2-21:2013 Equipamento eletromédico – Parte 2-21: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial de aquecedores radiantes para recém-nascidos;
ABNT NBR IEC 60601-2-22:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-22: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de equipamento a laser para cirurgias, uso cosmético, terapêutico e diagnóstico;
ABNT NBR IEC 60601-2-23:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-23: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial de equipamentos de monitoração da pressão parcial transcutânea;
IEC 60601-2-24: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 24: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial de bombas de infusão e controladores;
IEC 60601-2-25: 2011 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 25: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos eletrocardiógrafos;
IEC 60601-2-26: 2012 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 26: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial dos eletroencefalógrafos; 
IEC 60601-2-27: 2011 Equipamento elétrico médico – Parte 2- 27: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial do equipamento de monitoramento eletrocardiográfico;
ABNT NBR IEC 60601-2-28:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-28: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos conjuntos emissores de radiação X para diagnóstico médico;
IEC 80601-2-30:2009 Medical electrical equipment – Part 2- 30: Particular requirements for the basic safety and essential performance of automated non-invasive sphygmomanometers;
ABNT NBR IEC 60601-2-31:2013 Equipamento elétromédico – Parte 2-31: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos marca-passos cardíacos externos com alimentação elétrica interna;
ABNT NBR IEC 60601-2-32:2001 Equipamento eletromédico – Parte 2-32: Prescrições particulares para segurança dos equipamentos associados aos equipamentos de raios X;
IEC 60601-2-34:2011 Medical electrical equipment – Part 2- 34: Particular requirements for the basic safety and essential performance of invasive blood pressure monitoring equipment;
ABNT NBR IEC 80601-2-35:2013 Equipamento eletromédico Parte 2-35: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos dispositivos para aquecimento que utilizam cobertores, almofadas ou colchões e são destinados para aquecimento na prática médica;
ABNT NBR IEC 60601-2-36:2006 Equipamento eletromédico – Parte 2-36: Prescrições particulares para segurança de equipamento extracorpóreo para litotripsia induzida;
IEC 60601-2-37:2007 Medical electrical equipment – Part 2- 37: Particular requirements for the basic safety and essential performance of ultrasonic medical diagnostic and monitoring equipment;
ABNT NBR IEC 60601-2-38:1998 Equipamento eletromédico – Parte 2-38: Prescrições particulares para segurança de camas hospitalares operadas eletricamente;
ABNT NBR IEC 60601-2-39:2010 Equipamento eletromédico – Parte 2-39: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial dos equipamentos de diálise peritoneal;
ABNT NBR IEC 60601-2-40:1998 Equipamento eletromédico Parte 2-40: Prescrições particulares para segurança de eletromiógrafos e equipamento de potencial evocado;
ABNT NBR IEC 60601-2-41:2012 Equipamento eletromédico Parte 2-41: Requisitos particulares para segurança básica e o desempenho essencial das luminárias cirúrgicas e das luminárias para diagnóstico;
ABNT NBR IEC 60601-2-43:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-43: Requisitos particulares para a segurança básica e desempenho essencial dos equipamentos de raios X para procedimentos intervencionistas;
IEC 60601-2-44:2009 Medical electrical equipment – Part 2- 44: Particular requirements for the basic safety and essential performance of X-ray equipment for computed tomography;
ABNT NBR IEC 60601-2-45:2013 Equipamento eletromédico – Parte 2-45: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos equipamentos de raios X para mamografia e dos dispositivos de estereotaxia mamográfica;
ABNT NBR IEC 60601-2-46:2012 Equipamento eletromédico – Parte 2-46: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de mesas de operação;
IEC 60601-2-47:2012 Medical electrical equipment – Part 2- 47: Particular requirements for the basic safety and essential performance of ambulatory electrocardiographic systems;
IEC 60601-2-49:2011 Medical electrical equipment – Part 2- 49: Particular requirements for the basic safety and essential performance of multifunction patient monitoring equipment;
ABNT NBR IEC 60601-2-50:2010 Equipamento eletromédico – Parte 2-50: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial do equipamento de fototerapia para recém nascido;
ABNT NBR IEC 60601-2-51:2005 Equipamento eletromédico – Parte 2-51: Prescrições particulares para segurança, incluindo desempenho essencial, de eletrocardiógrafos gravador e analisador monocanal e multicanal;
ABNT NBR IEC 60601-2-52:2013 Equipamento eletromédico – Parte 2-52: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial das camas hospitalares;
ABNT NBR IEC 60601-2-54:2011 Equipamento eletromédico – Parte 2-54: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos equipamentos de raios X para radiografia e radioscopia;
ABNT NBR ISO/IEC 80601-2-56:2013 Equipamento eletromédico Parte 2-56: Requisitos particulares para segurança básica e desempenho essencial de termômetros clínicos para medição da temperatura corporal;
ABNT NBR ISO/IEC 80601-2-58:2013 Equipamento eletromédico Parte 2-58: Requisitos particulares para a segurança básica e o desempenho essencial dos dispositivos para remoção do cristalino e dispositivos para vitrectomia para cirurgia oftalmológica;
ISO 80601-2-61:2011 Medical electrical equipment– Part 2- 61: Particular requirements for basic safety and essential performance of pulse oximeter equipment;
IEC 60601-2-63:2012 Medical electrical equipment – Part 2- 63: Particular requirements for the basic safety and essential performance of dental extra-oral X-ray equipment;
IEC 60601-2-65:2012 Medical electrical equipment – Part 2- 65: Particular requirements for the basic safety and essential performance of dental intra-oral X-ray equipment;
As normas colaterais da série ABNT NBR IEC 60601 listadas a seguir, bem como suas emendas, serão compulsórias a todos os equipamentos sob regime de Vigilância Sanitária que estejam dentro dos seus respectivos campos de aplicação:
ABNT NBR IEC 60601-1-1:2004 Equipamento eletromédico – Parte 1-1: Prescrições gerais para segurança – Norma colateral: Prescrições de segurança para sistemas eletromédicos;
ABNT NBR IEC 60601-1-2:2010 Equipamento eletromédico – Parte 1-2: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Compatibilidade eletromagnética – Requisitos e ensaio;
ABNT NBR IEC 60601-1-3:2011 Equipamento eletromédico – Parte 1-3: Requisitos gerais para segurança e desempenho essencial – Norma Colateral: Proteção contra radiação em equipamentos para radiodiagnóstico;
ABNT NBR IEC 60601-1-4:2004 Equipamento eletromédico – Parte 1-4: Prescrições gerais para segurança – Norma colateral: Sistemas eletromédicos programáveis;
ABNT NBR IEC 60601-1-6:2011 Equipamento eletromédico – Parte 1-6: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Usabilidade;
ABNT NBR IEC 60601-1-8:2010 Equipamento eletromédico – Parte 1-8: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Requisitos gerais, ensaios e diretrizes para sistemas de alarme em equipamentos eletromédicos e sistemas eletromédicos;
ABNT NBR IEC 60601-1-9:2010 Equipamento eletromédico – Parte 1-9: Prescrições gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Prescrições para um projeto ecoresponsável;
ABNT NBR IEC 60601-1-10:2010 Equipamento eletromédico – Parte 1-10: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – Norma colateral: Requisitos para o desenvolvimento de controladores fisiológicos em malha fechada;
ABNT NBR IEC 60601-1-11:2012 Equipamento eletromédico – Parte 1-11: Requisitos gerais para a segurança básica e o desempenho essencial – Norma Colateral: Requisitos para equipamentos eletromédicos e sistemas eletromédicos utilizados em ambientes domésticos de cuidado à saúde;
As normas técnicas listadas a seguir, bem como suas emendas, serão compulsórias a todos os equipamentos sob regime de Vigilância Sanitária que estejam dentro dos seus respectivos campos de aplicação:
ISO 14457:2012 Dentistry Handpieces and motors;
ISO 6875:2011 Dentistry Patient chair;
ISO 9680:2007 Dentistry Operating lights;
ABNT NBR ISO 11195: 2000 Misturador de gases para uso medicinal – Misturador de gases Independentes;
ABNT NBR ISO 10651-4:2011 Ventiladores pulmonares Parte 4: Requisitos particulares para reanimadores operados manualmente;
ABNT NBR ISO 7176-1:2009 Cadeira de Rodas Parte 1: Determinação da estabilidade estática;
ISO 7176-2:2001 Wheelchairs Part 2: Determination of dynamic stability of electric wheelchairs;
ABNT NBR ISO 7176-3:2009 Cadeira de Rodas Parte 3: Determinação de eficiência dos freios;
ISO 7176-4:2008 Wheelchairs Part 4: Energy consumption of electric wheelchairs and scooters for determination of theoretical distance range;
ISO 7176-5:2008 Wheelchairs Part 5: Determination of dimensions, mass and manoeuvring Space;
ISO 7176-6:2001 Wheelchairs Part 6: Determination of maximum speed, acceleration and deceleration of electric wheelchairs;
ABNT NBR ISO 7176-7:2009 Cadeira de Rodas Parte 7: Medição de dimensões de assentos e Rodas;
ABNT NBR ISO 7176-8:2009 Cadeira de Rodas Parte 8: Requisitos e métodos de ensaio para força estática, de impacto e fadiga;
ISO 7176-9:2009 Wheelchairs Part 9: Climatic tests for electric wheelchairs;
ISO 7176-10: 2008 Cadeiras de Rodas Parte 10: Determinação da capacidade de escalar obstáculos em cadeiras de rodas elétricas; 
ABNT NBR ISO 7176-13: 2009 Cade of Rodas Parte 13: Determinação do coeficiente de atrito das superfícies de ensaio;
Cadeiras de Rodas ISO 7176-14: 2008 Parte 14: Sistemas de energia e controle para cadeiras de rodas elétricas e scooters – Requisitos e métodos de teste; 
Cadeiras de Rodas ISO 7176-16: 2012 Parte 16: Resistência à ignição de dispositivos de suporte postural;
Cadeiras de rodas ISO 7176-19: 2008 Parte 19: Dispositivos de mobilidade com rodas para uso como assentos em veículos motorizados;
Cadeiras de rodas ISO 7176-21: 2009 Parte 21: Requisitos e métodos de teste para compatibilidade eletromagnética de cadeiras de rodas elétricas e scooters e carregadores de bateria; 
ABNT NBR ISO 7176-22: 2009 Cf. Rodas Parte 22: Procedimentos de Ajuste; 
ISO 7176-25: 2013 – Cadeiras de Rodas Parte 25: Baterias e carregadores para cadeiras de rodas elétricas; 
IEC 60118-0: 1983 Aparelhos auditivos. Parte 0: Medição de características eletroacústicas; 
IEC 60118-7: 2005 Electroacústica – Aparelhos auditivos – Parte 7: Medição das características de desempenho de aparelhos auditivos para fins de garantia de qualidade de produção, fornecimento e entrega; 
IEC 60118-13: 2011 Eletroacústica – Aparelhos auditivos – Parte 13: Compatibilidade eletromagnética (EMC);
ABNT NBR ISO 15883-2: 2013 Lava-louças desinfetadoras Parte 2: Requisitos e ensaios para lavadores automáticos de processo de desinfecção térmica para equipamentos cirúrgicos, equipamento anestésico, receptores, utensílios, vidrarias, entre outros; 
ISO 15883-4: 2008 Lavadora-desinfetante Parte 4: Requisitos e testes para lavadoras desinfetoras empregando desinfecção química para endoscópios termolábeis; 
ISO 15883-6: 2011 Lavadora-desinfetante Parte 6: Requisitos e testes para lavadoras desinfetoras que empregam desinfecção térmica para dispositivos médicos não invasivos e não críticos e equipamentos de saúde;
ISO 15197: 2013 Sistemas de teste de diagnóstico in vitro – Requisitos para sistemas de monitoramento de glicose no sangue para auto-teste no controle de diabetes mellitus; 
IEC 61010-2-101: 2002 Requisitos de segurança para equipamentos elétricos de medição, controle e uso em laboratório – Parte 2-101: Requisitos particulares para equipamentos médicos de diagnóstico in vitro (IVD);

Importante:
Quando se tratar de Máquinas e Equipamentos de Elevação é obrigatório, imediatamente antes da movimentação, a realização de:
01 – Elaboração da Análise Preliminar e Risco -APR
02 – Permissão de Trabalho (PT)
03 – Checar EPIs e EPCs
04 – Verificar o Manual de Instrução do Equipamento;
04 – Verificar o Laudo de Inspeção Técnica do Equipamento e dos Pontos de Ancoragem com ART
05 –  Manter Equipe de Resgate equipada;
06 – Reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos, contemplando as atividades que serão desenvolvidas, o  processo de trabalho, os riscos e as medidas de proteção, conforme análise de risco, consignado num documento a ser arquivado contendo o nome legível e assinatura dos participantes;
a) Inspeção visual;
b) Checagem do funcionamento do rádio;
c) Confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os envolvidos na operação.
07- A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de trabalho, dentre outros envolvidos na operação, no mínimo, sobre os seguintes perigos:
a) Impacto com estruturas externas;
b) Movimento inesperado;
c) Queda de altura;
i) Outros específicos associados com o içamento.
08 – A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do cesto, operador do equipamento, sinaleiro designado e supervisor da operação.
09 – A equipe de Resgate equipada deve permanecer a tempo de resposta dentro dos padrões  de  zero a 10 minutos.

Saiba Mais: Curso Equipamentos Eletromédicos – consulte-nos

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos