Curso Elevador de Cabo de Aço, o que é Curso Elevador de Cabo de Aço, como fazer Curso Elevador de Cabo de Aço, pra que serve Curso Elevador de Cabo de Aço, aonde fazer Curso Elevador de Cabo de Aço, porque fazer Curso Elevador de Cabo de Aço, quando fazer Curso Elevador de Cabo de Aço, quanto custa Curso Elevador de Cabo de Aço, certificado treinamento Curso Elevador de Cabo de Aço, treinamento Curso Elevador de Cabo de Aço, apostila de Curso Elevador de Cabo de Aço, reciclagem Curso Elevador de Cabo de Aço, Qual objetivo Curso Elevador de Cabo de Aço,

Curso destinado a profissionais que buscam se adequar as normas regulamentadoras e afins

Curso Elevador de Cabo de Aço

Nome Técnico: Curso Capacitação NR-18 - Elevador de Cabo de Aço – Cremalheira - 16 horas

Cód: 7709

Curso Elevador de Cabo de Aço
O objetivo do curso visa orientar e capacitar profissionais para o correto manuseio, armazenagem e transporte em elevador de obra, alertando sobre os riscos e ensinando boas práticas afim de preservar a integridade física e a segurança de todos os envolvidos na operação e do Patrimônio da empresa.

 

O que é um elevador de obra?
O elevador de obra é um meio de transporte vertical utilizado nas construções civis para transportar funcionários e ferramentas aos locais de difícil acesso por conta altura das construções, além de ser uma ótima ferramenta para aumentar a eficiência e produtividade, também proporciona muito mais segurança ao trabalhador e a obra.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

40 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Curso Elevador de Cabo de Aço:
Elevador de Cabo de Aço, Elevador monta carga, Cremalheira
Elevadores a Cabo de Aço – Cremalheira;
Cabos de Aço;
Recomendações de Segurança ao Operador de Elevador de Obra;
Cabos de Tração para Elevadores;
Limpeza e Lubrificação;
Tensão dos Cabos;
Critérios de Condenação de Cabos de Tração;
Torre;
Cabinas;
Cabinas Semifechadas;
Cabinas fechada;
Terreno e Base;
Guinchos;
Tipos de Elevadores;
Elevador tipo Caçamba;
Elevadores de Cremalheira;
Elementos;
Elevadores á Cabo de Aço;
Comparação Elevadores Cremalheira X Elevadores a Cabo de Aço;
Elevadores de Obra e a NR-18 e NR 35;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho (levantamento de peso, postura );
Riscos ergonômicos;
Normas Regulamentadoras: NR 12, NR 06, NR 17, NR 35 e Legislação Ambiental;

Complementos
Prevenção de acidentes;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação;

Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações: 
Protocolo 2015 Guidelines American Heart Association;
Portaria GM N.2048 – Política Nacional de Atenção as Urgências;
NR-18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção;
NR-17 – Ergonomia;
NR-6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI;
NR-35 – Trabalho em Altura;
ABNT NBR 16200 – Elevadores de canteiros de obras para pessoas e materiais com cabina guiada verticalmente — Requisitos de segurança para construção e instalação;
ABNT NBR 13759 – Segurança de máquinas – Equipamentos de parada de emergência – Aspectos funcionais – Princípios para projeto.

Atenção:
EAD Ensino a Distância, Presencial e Semipresencial

Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EaD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica. Veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Curso Elevador de Cabo de Aço

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem):É recomendável anualmente: ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Certificado:Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade,;
Conteúdo programático;
Carga horária;Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho e relação dos tipos de espaços confinados;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidencias do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.
Atenção:
NR-12.1.16 Os equipamentos de guindar que receberem cestos acoplados para elevação de pessoas devem ser submetidos a ensaios e inspeções periódicas de forma a garantir seu bom funcionamento e sua integridade estrutural.
12.1.16.1 Devem ser realizados ensaios que comprovem a integridade estrutural, tais como ultrassom e/ou emissão acústica, conforme norma ABNT NBR 14768:2015.
12.3.17 É proibida a movimentação de cargas suspensas no gancho do equipamento de guindar simultaneamente à movimentação de pessoas dentro do cesto acoplado.

Causas do Acidente Trabalho:
Falta de cuidados do empregado;
Falta de alerta do empregador;
Mesmo efetuando todos os Treinamentos e Laudos obrigatórios de Segurança e Saúde do Trabalho em caso de acidente de trabalho o empregador estará sujeito a Processos tipo:
1- Inquérito Policial – Polícia Civil;
2- Perícia através Instituto Criminalista;
3- Procedimento de Apuração junto Delegacia Regional do Trabalho;
4- Inquérito Civil Público perante o Ministério Público do trabalho para verificação se os demais trabalhadores não estão correndo perigo;
5- O INSS questionará a causa do acidente que poderia ser evitado e se negar a efetuar o pagamento do benefício ao empregado;
6- Familiares poderão ingressar com Processo na Justiça do Trabalho pleiteando danos Morais, Materiais, Luxação, etc.;
7- Tsunami Processuais obrigando o Empregador a gerar Estratégia de Defesas mesmo estando certo;
8- Apesar da Lei da Delegação Trabalhista não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinamento (responsável em vigiar e na tem que realmente vigiar;
9- Não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando ao Empregador mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinar vale frisar que o Empregador também fica responsável em vigiar);
10- Quando ocorre um acidente além de destruir todo o “bom humor” das relações entre os empregados ou também o gravíssimo problema de se defender de uma série de procedimento ao mesmo tempo, então vale a pena investir nesta prevenção.
Salientamos que o empregado não pode exercer atividades expostos a riscos que possam comprometer sua segurança e saúde.
Sendo assim podem responder nas esferas criminal e civil, aqueles expõem os trabalhadores a tais riscos.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba Mais: Curso Elevador de Cabo de Aço

Os cabos de elevador utilizados deverão ser de aço, com alma de fibra. Os cabos devem ser flexíveis, com diâmetro mínimo de 15,8 mm (5/8”). Os cabos devem possuir uma resistência mínima à ruptura de 15.000 kgf (quinze mil quilograma força) e trabalhar com um coeficiente de segurança de no mínimo 10 (dez) vezes a carga de ruptura. Na fixação do cabo de aço deverão ser utilizados, no mínimo, 03 (três) grampos (clips).

RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA AO OPERADOR DE ELEVADOR DE OBRA
a) verificar se o vão interno da torre está livre, sem a presença de madeiras, ferragens ou outros objetos que impeçam o livre deslocamento da cabina.
b) antes do início das operações transporte de carga, testar o sistema de embreagem e freio;
c) não operar o equipamento quando perceber vibrações ou barulho anormais;
d) verificar o correto enrolamento do cabo de aço no tambor;
e) manter as guias da torre lubrificadas;
f) verificar se o cabo, no trecho vertical, externamente à torre, não entra em atrito com estaiamentos, plataformas de proteção, ou na própria laje;
g) evitar o uso de frenagens bruscas;
h) verificar, periodicamente, o desgaste de bronzinas;
i) somente se afastar do posto de trabalho quando a cabina estiver na base da torre e seu comando de acionamento bloqueado;
j) manter a ordem e limpeza do ambiente no posto de trabalho;
l) observar as recomendações do manual do fabricante;
m) fazer relatório de ocorrência durante o seu turno de trabalho, mantendo informado a sua chefia sobre irregularidades do equipamento.

Curso Elevador de Cabo de Aço
2.1 Cabos de Tração para Elevadores
Os cabos de aço de tração para elevadores são cabos especiais, fabricados para este fim, e são construídos com a designação 6×19 ou 8×19 Seale. Estes cabos possuem, ainda, uma alma de fibra natural identificada pela sigla AF, ou então, uma alma de aço formada por uma perna identificada como AA. O tipo mais usado é o com alma de fibra natural. Os diâmetros mais comuns em elevadores são os seguintes: 3/8” (9,5 mm), 1/2″ (13 mm), 5/8” (16 mm). Diâmetros maiores que estes somente em aplicações especiais.
Curso Elevador de Cabo de Aço
2.1.1 Limpeza e Lubrificação
Os cabos de aço de tração devem ser mantidos limpos e lubrificados. A alma de fibra natural dos cabos novos vem impregnada de óleo, o que preserva os mesmos durante o período de armazenagem, garante a lubrificação necessária durante certo tempo de funcionamento do elevador e protege contra a corrosão. A manutenção preventiva deverá verificar quando a lubrificação deverá ser renovada.
Cabos de tração limpos e com a lubrificação adequada previnem o desgaste prematuro dos mesmos e dos bornes da polia, evitando gastos significativos com a sua substituição.
Para que a inspeção dos cabos de aço de tração possa ser feita corretamente, é imprescindível que os mesmos estejam limpos, sem borra (mistura de poeira e óleo) e incrustações.
Existem lubrificantes especialmente desenvolvidos para cabos de tração e sua aplicação deverá ser superficial, evitando o excesso que pode causar deslizamento. Os fabricantes dos cabos de tração poderão indicar os lubrificantes adequados e os métodos para a sua aplicação.
Curso Elevador de Cabo de Aço:
A primeira e mais importante consideração a fazer é não utilizar solventes para a limpeza dos cabos de aço. O solvente dilui o lubrificante que está dentro das pernas dos cabos e o lubrificante diluído drena através dos arames e pernas e, durante o funcionamento, escorre e pinga incessantemente. Você tem  prejuízos: o solvente destrói o lubrificante e o “pinga-aqui-pinga-ali” deixa a casa de máquina totalmente imunda, sem falar em outros eventuais prejuízos se os pingos caírem em rotores, tambor de freio ou componentes elétricos e até em cima da cabina do elevador.
O que é correto fazer é manter um programa regular de limpeza. Os cabos de tração precisam ser limpos por causa da constante formação do pó, fibras, etc. no edifício que são sugados pelo ar em ascensão na caixa do elevador. E, como os cabos normalmente estão úmidos de óleo, é justamente ali que a sujeira vai grudar-se. Quando os cabos são regularmente limpos não é requerido nenhum método pesado de limpeza para tirar a poeira que tiver sido acumulada por alguns meses. Isso também elimina a necessidade de dispor de materiais de consumo para limpeza que são controlados e perigosos. Ao invés disso, uma limpeza leve contínua deve ser feita. Usando um lubrificador do tipo de mecha com almofada de feltro, coloque a almofada contra os cabos de tração. Quando a sujeira está incrustada e lubrificação não é necessária, escovas de limpeza, como as mostradas na figura 40 abaixo, também podem ser utilizadas. À medida que o elevador funciona, os cabos são limpos. Depois disso, transfira o lubrificador para outra máquina. Um outro método também eficiente é comprimir um pedaço de carpete de fibra natural no topo da máquina e, então, os cabos de tração serão limpos enquanto se movimentam. Não use carpete sintético porque as suas fibras são não biodegradáveis e pode piorar as coisas. Não deixe o carpete sozinho em contato com os cabos, mas retire-o ao encerrar a limpeza dos cabos. Carpete embebido em óleo pode ser um perigo potencial para um incêndio.
Curso Elevador de Cabo de Aço:
Se, por acaso, os cabos de tração forem excessivamente lubrificados, os métodos acima também podem ser usados para remover o excesso de lubrificante.
A frequência de limpeza dos cabos de tração, assim como a lubrificação, deve ser determinada pelo pessoal da conservadora. E, para saber se a limpeza está sendo feita regularmente, ao supervisor dos serviços basta dar uma olhadinha nos cabos de tração. Se eles estiverem cobertos por uma poeira aveludada, puxe a orelha do pessoal da manutenção, pois faz muito tempo que não são limpos. Se, de outro modo, os cabos estiverem com uma aparência de que estão envolvidos por uma mangueira preta, avise pessoal da manutenção, pois os cabos estão super lubrificados e sujos.
Importante:
Quando se tratar de Máquinas e Equipamentos de Elevação é obrigatório, imediatamente antes da movimentação, a realização de:
01 – Elaboração da Análise Preliminar e Risco -APR
02 – Permissão de Trabalho (PT)
03 – Checar EPIs e EPCs
04 – Verificar o Manual de Instrução do Equipamento;
04 – Verificar o Laudo de Inspeção Técnica do Equipamento e dos Pontos de Ancoragem com ART
05 –  Manter Equipe de Resgate equipada;
06 – Reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos, contemplando as atividades que serão desenvolvidas, o  processo de trabalho, os riscos e as medidas de proteção, conforme análise de risco, consignado num documento a ser arquivado contendo o nome legível e assinatura dos participantes;
a) Inspeção visual;
b) Checagem do funcionamento do rádio;
c) Confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os envolvidos na operação.
07- A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de trabalho, dentre outros envolvidos na operação, no mínimo, sobre os seguintes perigos:
a) Impacto com estruturas externas;
b) Movimento inesperado;
c) Queda de altura;
i) Outros específicos associados com o içamento.
08 – A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do cesto, operador do equipamento, sinaleiro designado e supervisor da operação.
09 – A equipe de Resgate equipada deve permanecer a tempo de resposta dentro dos padrões  de  zero a 10 minutos.

Curso Elevador de Cabo de Aço: Consulte-nos.

 

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos