curso análise de acidentes de trabalho, o que é o curso análise de acidentes de trabalho, pra que serve o curso análise de acidentes de trabalho, aonde fazer o curso análise de acidentes de trabalho, como fazer o curso análise de acidentes de trabalho, porque fazer o curso análise de acidentes de trabalho, quando fazer o curso análise de acidentes de trabalho, quanto custa o curso análise de acidentes de trabalho,

Curso Analise Acidentes de Trabalho

Curso Análise de Acidentes de Trabalho

Nome Técnico: Curso Capacitação Análise de Acidentes de Trabalho

Cód: 15214

O objetivo do Curso Análise de Acidentes de Trabalho, consiste em aumentar a conscientização dos colaboradores sobre custos diretos e indiretos dos acidentes, as obrigações legais utilizando exercícios práticos a fim capacitar os participantes nas etapas das investigações e análises, incluindo formulários de pesquisa, entrevistas e elaboração de relatórios relevantes.
Nosso Curso Análise de Acidentes de Trabalho aborda conhecimentos para realização de pesquisas sobre acidentes no local de trabalho, visando favorecer aos participantes a absorção dos papéis e responsabilidade relacionados ás investigações e análises de acidentes de trabalho.

Escolha Seu Plano

100% Presencial

16 Horas - Com Experiência

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Semipresencial/Reciclagem

08hs EAD / 08hs Presenciais

Nossa Sede ou In Company DDD 11

Outros Locais Consultar

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

EAD (Ensino a Distância)

40 Horas - Com Experiência

Totalmente Online

Imperdível!

R$ 
Consultar

Por Pessoa/Turma (PagSeguro)

Preços Especiais

para Empresas/Turmas

Consulte

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático:
Curso Análise de Acidentes de Trabalho;
Conceitos e definições;
Objetivo;
Redução dos riscos e proteção aos trabalhadores;
Compreensão da linguagem da análise;
Abordagem das razões para se analisar eventos adversos;
Porque devemos analisar eventos adversos relacionados com o trabalho;
Quais são os ganhos com a execução de boa análise;
Sistemas de análise de eventos adversos;
Benefícios resultantes de sistema de análise de eventos adversos;
Abordagem dos fatores ou condições relacionados com a ocorrência de eventos adversos;
Determinação dos eventos adversos que devem ser analisados;
Quem deve participar da análise dos eventos adversos?
Quando a análise de eventos adversos deve começar?
O que a análise de eventos adversos deve abranger?
O que faz uma análise ser adequada?
Procedimentos a serem adotados pelas empresas em caso de eventos adversos; Análise de eventos adversos;
Fase I – Coleta de dados;
Fase II – Análise das informações;
Fase III – Identificação das medidas de controle;
Fase IV – Plano de ação.

Complementos
Prevenção de acidentes;
Procedimentos e noções de primeiros socorros;
Exercícios práticos;
Percepção dos riscos e fatores que afetam as percepções das pessoas;
Impacto e fatores comportamentais na segurança;
Fator medo;
Consequências da Habituação do risco;
A importância do conhecimento da tarefa;
Entendimentos sobre Ergonomia;
Análise de posto de trabalho;
Riscos ergonômicos;
Avaliação Teórica e Prática;
Certificado de Participação;

Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis e suas atualizações:
ABNT NBR 14280 – Cadastro de acidente do trabalho – Procedimento e classificação, Esta Norma fixa critérios para o registro, comunicação, estatística, investigação e análise de acidentes do trabalho, suas causas e consequências, aplicando-se a quaisquer atividades laborativas;

NR – 05 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA;

Atenção:
EAD Ensino a Distância, Presencial e Semipresencial

Base Legal – Norma Técnica 54 Ministério do Trabalho
RESPONSABILIDADES – Como a capacitação em SST é obrigação trabalhista a ser fornecida pelo empregador a seus trabalhadores em razão dos riscos oriundos da atividade explorada, é de inteira responsabilidade do empregador garantir sua efetiva implementação, sujeitando-se às sanções administrativas cabíveis em caso de uma capacitação não efetiva ou ainda pela capacitação de má qualidade que não atenda aos requisitos da legislação. É indispensável observar que, ainda que se opte pela realização de capacitação em SST por meio de EaD ou semipresencial, é salutar que toda capacitação seja adaptada à realidade de cada estabelecimento. É que o trabalhador está sendo capacitado pelo empregador para atuar em determinado espaço, logo, uma capacitação genérica não irá atender às peculiaridades de toda e qualquer atividade econômica. Veja na íntegra Nota Técnica 54 do Ministério do Trabalho MT Clique Aqui

Carga Horária

Carga Horária:
Curso Análise de Acidentes de Trabalho;

Participantes sem experiência:
Carga horária mínima = 40 horas/aula

Participantes com experiência:
Carga horária mínima = 16 horas/aula

Atualização (Reciclagem):
Carga horária mínima = 08 horas/aula

Atualização (Reciclagem):É recomendável anualmente: ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Certificado:Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Critérios dos Certificados da Capacitação ou Atualização:
Nossos certificados são numerados e emitidos de acordo com as Normas Regulamentadoras e dispositivos aplicáveis:
Emissão da A.R.T. (Anotação de Responsabilidade Técnica);
Nome completo do funcionário e documento de identidade,;
Conteúdo programático;
Carga horária;Cidade, local e data de realização do treinamento;
Nome, identificação, assinatura e qualificação do(s) instrutor(es);
Nome, identificação e assinatura do responsável técnico pela capacitação;
Nome e qualificação do nosso Profissional Habilitado;
Especificação do tipo de trabalho e relação dos tipos de espaços confinados;
Espaço para assinatura do treinando;
Informação no Certificado que os participantes receberam DVD contendo material didático (Apostila, Vídeos, Normas etc.) apresentado no treinamento.
Evidencias do Treinamento: Vídeo editado, fotos, documentações digitalizadas, melhoria contínua, parecer do instrutor: Consultar valores.

Causas do Acidente Trabalho:
Falta de cuidados do empregado;
Falta de alerta do empregador;
Mesmo efetuando todos os Treinamentos e Laudos obrigatórios de Segurança e Saúde do Trabalho em caso de acidente de trabalho o empregador estará sujeito a Processos tipo:
1- Inquérito Policial – Polícia Civil;
2- Perícia através Instituto Criminalista;
3- Procedimento de Apuração junto Delegacia Regional do Trabalho;
4- Inquérito Civil Público perante o Ministério Público do trabalho para verificação se os demais trabalhadores não estão correndo perigo;
5- O INSS questionará a causa do acidente que poderia ser evitado e se negar a efetuar o pagamento do benefício ao empregado;
6- Familiares poderão ingressar com Processo na Justiça do Trabalho pleiteando danos Morais, Materiais, Luxação, etc.;
7- Tsunami Processuais obrigando o Empregador a gerar Estratégia de Defesas mesmo estando certo;
8- Apesar da Lei da Delegação Trabalhista não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinamento (responsável em vigiar e na tem que realmente vigiar;
9- Não prever que se aplica a culpa em cooper vigilando ao Empregador mas apenas a responsabilidade de entregar o equipamento de treinar vale frisar que o Empregador também fica responsável em vigiar);
10- Quando ocorre um acidente além de destruir todo o “bom humor” das relações entre os empregados ou também o gravíssimo problema de se defender de uma série de procedimento ao mesmo tempo, então vale a pena investir nesta prevenção.
Salientamos que o empregado não pode exercer atividades expostos a riscos que possam comprometer sua segurança e saúde.
Sendo assim podem responder nas esferas criminal e civil, aqueles expõem os trabalhadores a tais riscos.

Rescue Cursos

Nossos Cursos são completos e dinâmicos

Reproduzir vídeo

Saiba mais sobre o Curso Análise de Acidentes de Trabalho:
Razões para se analisar;
Eventos adversos;
Identificar o que está errado e adotar medidas de controle nos locais de trabalho existem riscos e medidas de controle que devem ser adotadas para eliminá-los ou reduzi-los a fim de prevenir acidentes e doenças;
A ocorrência de um evento adverso indica que as medidas de controle de risco eram inadequadas ou insuficientes;
Porque analisar eventos adversos relacionados com o trabalho?
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho:
Acidentes e doenças relacionados ao trabalho causam sofrimento e problemas para os trabalhadores, suas famílias, outras pessoas e as empresas;
Acidentes e doenças relacionados ao trabalho geram custo elevado para as empresas e para a sociedade;
Análises de eventos adversos constituem importante ferramenta para o desenvolvimento e refinamento do sistema de gerenciamento de riscos;
Adequada avaliação das condições de segurança e saúde proporciona conhecimento dos riscos associados com as atividades laborais, contribuindo para a transformação das condições de trabalho;
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho:
Medidas de controle de risco bem planejadas, associadas com supervisão adequada, monitoramento e gestão efetiva de SST, podem garantir que as atividades no trabalho sejam seguras;
Além dos motivos acima relacionados, diversas razões legais justificam a realização das análises:
Curso Análise de Acidentes de Trabalho:
As Normas Regulamentadoras (NR) do MTE determinam que as empresas analisem e capacitem os trabalhadores para realizar análises de acidentes de trabalho;
As Normas Regulamentadoras exigem ainda que os empregadores planejem, controlem e monitorem as condições de SST, inclusive fornecendo aos trabalhadores informações sobre riscos e medidas de controle;
A Previdência Social, por meio de ações regressivas, pode pleitear o ressarcimento dos benefícios decorrentes de acidentes e doenças do trabalho cujos fatores relacionados incluam a não observação das normas de segurança e saúde no trabalho;
A legislação previdenciária prevê a majoração das alíquotas do Seguro de Acidente do Trabalho – SAT em função da incidência de acidentes e doenças relacionados ao trabalho na empresa;
A Constituição Federal, em seu artigo 7º, inciso XXVIII, estabelece indenização por danos decorrentes do trabalho;
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho:
O Código Civil prevê indenizações em certas circunstâncias, independentemente de dolo ou culpa por parte das empresas;
O que se ganha com uma boa análise?
A identificação das maneiras pelas quais as pessoas estão expostas a riscos que podem afetar sua segurança e saúde;
A compreensão do que ocorreu, de como o trabalho foi realmente executado e de como e por que as coisas deram errado;
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho:
O reconhecimento de deficiências no controle de riscos no trabalho de forma a possibilitar alterações e melhorias da gestão de SST;
A possibilidade de troca de informações sobre os riscos entre empresas, fabricantes e fornecedores;
Sistema de análise de eventos adversos;
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho: A necessidade da análise de um evento adverso específico já foi definida neste Guia. Entretanto, é importante que se organize um Sistema de Análise de Eventos Adversos no qual seja valorizado o conhecimento dos fatores relacionados a vários acidentes, incidentes e circunstâncias indesejadas ocorridos numa empresa, setor econômico, região geográfica, etc;
As informações decorrentes das análises de vários eventos adversos potencializam a capacidade de solução de problemas e ampliam a qualidade da gestão de SST;
Benefícios resultantes de um sistema de análise de eventos adversos;
Prevenção de outros eventos adversos, similares ou não, que possam ter os mesmos fatores geradores;
Treinamento Análise de Acidentes de Trabalho:
Prevenção de danos ambientais e de impactos negativos na imagem da empresa;
Evitar perdas econômicas geradas pela redução da capacidade produtiva
decorrentes de eventos adversos repetidos e por indenizações;
Ampliação das habilidades de solução de problemas.

Importante:
Quando se tratar de Máquinas e Equipamentos  é obrigatório, imediatamente antes da movimentação, a realização de:
01 – Elaboração da Análise Preliminar e Risco -APR
02 – Permissão de Trabalho (PT)
03 – Checar EPIs e EPCs
04 – Verificar o Manual de Instrução do Equipamento;
04 – Verificar o Laudo de Inspeção Técnica do Equipamento e dos Pontos de Ancoragem com ART quando for o caso;
05 –  Manter Equipe de Resgate equipada;
06 – Reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos, contemplando as atividades que serão desenvolvidas, o  processo de trabalho, os riscos e as medidas de proteção, conforme análise de risco, consignado num documento a ser arquivado contendo o nome legível e assinatura dos participantes;
a) Inspeção visual;
b) Checagem do funcionamento do rádio;
c) Confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os envolvidos na operação;
07- A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de trabalho, dentre outros envolvidos na operação, no mínimo, sobre os seguintes perigos:
a) Impacto com estruturas externas;
b) Movimento inesperado;
c) Queda de altura;
No caso de içamento verificar os ricos específicos:
08 – A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do cesto, operador do equipamento, sinaleiro designado e supervisor da operação.
09 – A equipe de Resgate equipada deve permanecer a tempo de resposta dentro dos padrões  de  zero a 10 minutos.

Saiba mais: Curso Análise de Acidentes de Trabalho: Consulte-nos.

Atualize seu conhecimento!

Os Melhores Cursos e Treinamentos