Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas

      Comentários desativados em Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas

Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas

O objetivo do Teste de Estanqueidade é localizar vazamentos e atender as Exigências legais:
Comprovação da estanqueidade do sistema de gases combustíveis.
Comprovação em conformidade com a ISO 14001 e OHSAS 18001 e NACE TM0284:2016: avaliação de tubulações e vasos de pressão em aços para resistência a fraturas induzidas por hidrogênio.
Comprovação técnica e legal de que a empresa atende a segurança, qualidade e meio ambiente.
Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas:

Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas

Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas

Teste de estanqueidade é um ensaio  geralmente feito com nitrogênio em baixos níveis de pressão, que demonstra se um sistema de tubulação apresenta ou não vazamentos. se for utilizado água para realização do teste é chamado teste hidrostático.
Vantagens de utilizar o  Gás Nitrogênio: O nitrogênio infiltra em microfuros permitindo melhor identificação de pontos frágeis e de vazamentos muito pequenos  o que facilita o sensor na captação do ruído, pois o nitrogênio força a passagem dos fluídos pelo furo.

Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas necessário  para:
Obtenção de A.V.C.B., Alvarás, Licenças
Exigido na NAD (Notificação para Apresentação de Documentos) do MTE.
Prevenção de vazamento de Gazes, combustíveis, agua etc.
Procedimentos de Teste de Pressão
Redução de custo nas apólices de seguro
Redução do Seguro Patrimonial
Reduzir riscos de incêndio e explosões
Relatório de inspeção e conformidade técnica teste.
A tubulação será submetida ao Teste de Estanqueidade.
O teste deverá ser 1,5 vezes a pressão de utilização ou 9.8 kpa. (2.000mmca).
Antes do início do teste de pressão do sistema de tubulação, será realizado exame visual de todas as linhas que compõem o sistema.
Serão adotadas as medidas de segurança, principalmente nos lugares que ofereçam riscos para o pessoal ou para as instalações.
Serão removidos caso aja equipamentos e acessórios como:  instrumentos, separadores de linha, purgadores e controladores pneumáticos e demais dispositivos que causem restrição ao fluxo. Os discos de ruptura, válvulas de segurança, de alivio e discos de ruptura serão isolados do sistema e retiradas sendo substituídas por peças provisórias quando necessário.
O fluído de teste será bloqueado através de tampão, raquete, chapa de bloqueio ou bujão flange cego.
As ligações nos limites do sistema, e as situadas na entrada de equipamentos serão verificadas durante a pré-operação.
Todas as válvulas estão sujeitas ao teste de pressão, inclusive as de bloqueio situadas nos limites do sistema.
As válvulas de retenção serão pressurizadas no sentido da abertura; se não for possível, será travado a parte móvel na posição aberta; Todas as outras válvulas serão mantidas na posição aberta.
Emissão da ART (Anotação De Responsabilidade Técnica) junto ao CREA.

Validade do Laudo: É recomendável renovação anual ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização do Laudo.

Saiba mais sobre Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas:
A NACE TM0284:2016 – Evaluation of Pipeline and Pressure Vessel Steels for Resistance to Hydrogen-Induced Cracking fornece um conjunto padrão de condições de teste para uma avaliação consistente de tubulações e vasos de pressão em aços e compara os resultados de testes de diferentes laboratórios relativos aos resultados da absorção de hidrogênio gerado pela corrosão do aço em H2S úmido. Descreve duas soluções de ensaio, Solução A e Solução B, e inclui os procedimentos especiais para ensaiar as tubulações de linha de pequeno diâmetro, paredes finas, soldados com resistência elétrica e sem costura. O ensaio destina-se a avaliar a resistência à fratura induzida por hidrogênio (passo a passo) e não a outros efeitos adversos de ambientes ácidos tais como a fratura por tensões de sulfeto, a formação de caroços ou a perda de peso devido à corrosão. Seus complementos são a NACE MR0175 e a ISO 1556.
Esta norma estabelece um método de ensaio para avaliar a resistência de tubulações e vasos de pressão em aço por Hydrogen-Induced Cracking (HIC) causada pela absorção de hidrogênio a partir da corrosão aquosa de sulfeto. São fornecidos detalhes sobre o tamanho, número, localização e orientação dos tipos a serem retirados de cada forma de produto de aço, como tubulação, chapas, acessórios e flanges.
Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas:
Os procedimentos ou requisitos especiais para os ensaios de pequeno diâmetro (diâmetro nominal [DN] de 50 a 150, tamanho nominal do tubo [NPS] 2 a 6), parede fina (espessura de parede até 6 mm [0,2 pol]), electric-resistance welded (ERW) e tubos sem costura estão incluídos. As amostras de ensaio retiradas de tubos de parede fina de pequeno diâmetro devem ser ensaiadas da mesma forma que as amostras de ensaio retiradas de outros tubos, exceto quando indicado de outra forma nesta norma.
O método de ensaio consiste em expor amostras de ensaio não submetidas a esforço a uma das três soluções de ensaio padrão – Solução de Ensaio A, uma solução de salmoura acidificada constituída por cloreto de sódio (NaCl) e ácido acético (CH3COOH) dissolvido em água destilada ou deionizada saturada com H2S a temperatura ambiente e pressão; ou Solução de Ensaio B, uma solução sintética de água do mar saturada com H2S à temperatura e pressão ambiente; ou Solução de Teste C, uma solução tamponada constituída por cloreto de sódio (NaCl) e acetato de sódio (CH3COONa) dissolvido em água destilada ou deionizada saturada com gás contendo misturas de H2S e CO2 à temperatura e pressão ambiente, permitindo realizar ensaios a diferentes concentrações de H2S, a pressões na gama de 0,001 a 1 bar.
Após um tempo especificado, as amostras de teste são removidas e avaliadas. O comprimento do ensaio pode não ser suficiente para desenvolver uma fratura máxima em qualquer aço dado, mas foi considerado adequado para este ensaio. No ensaio de aptidão para utilização, são selecionados o ambiente de ensaio e as pressões parciais dos gases adequados à aplicação pretendida.
Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas:
As condições de ensaio não duplicam todos os aspectos das condições de serviço, por exemplo a temperatura, mas permitirão uma discriminação suficiente da aplicabilidade dos aços candidatos. Ver parágrafo 8.1.5 e notas associadas. Esta norma não inclui critérios de aceitação ou rejeição. No entanto, as orientações são fornecidas na NACE MR0175/ISO 15156 – Parte 2, Seção 8 e Anexo B do EFC 16.6.
Para informações adicionais, a presença ou ausência de HIC nos tipos expostos pode ser avaliada por ensaios ultrassônicos automatizados antes da seccionamento e exame metalográfico. Um procedimento é fornecido no Apêndice A (não obrigatório).
Os reagentes para a Solução de Teste A devem ser um gás inerte (azoto, argônio ou outro gás não reativo adequado) para purgar, gás H2S, NaCl, CH3COOH e água destilada ou deionizada. Os reagentes para a solução de ensaio B devem ser um gás inerte para purga, gás H2S e água do mar sintética.
Os reagentes para a Solução de Ensaio C devem ser um gás inerte para purgar, uma mistura de H2S e dióxido de carbono (CO2), com teor de H2S suficiente para produzir a pressão parcial de H2S especificada, NaCl, CH3COONa, ácido clorídrico (HCl) ou hidróxido de sódio (NaOH) para se obter o pH especificado e água destilada ou deionizada. O H2S é altamente tóxico e deve ser manuseado com cuidado. Ver Anexo B (não obrigatório).
Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas:
O NaCl, CH3COOH, CH3COONa, HCl e NaOH devem ser produtos químicos de qualidade reagente. A absorção do hidrogênio gerado pela corrosão do aço em um ambiente úmido de sulfeto de hidrogênio (H2S) pode ter vários efeitos que dependem das propriedades do aço, processos de fabricação ou de formação, as características do ambiente e outras variáveis.
Um efeito adverso observado nos aços de oleodutos e de vasos de pressão é o desenvolvimento de fraturas ao longo da direção do rolamento do aço. Rachaduras em um plano tendem a se ligar com as existentes em planos adjacentes para formar etapas em toda a espessura. As fissuras podem reduzir a espessura efetiva da parede até que a tubulação ou o vaso de pressão fique sobrecarregado e rompa.
A fratura é às vezes acompanhado de bolhas de superfície. Várias falhas de serviço atribuídas a tal quebra foram relatadas. Os termos fratura por passos (stepwise cracking – SWC), craqueamento por pressão de hidrogênio, craqueamento por bolhas e craqueamento por passos induzido por hidrogênio foram utilizados no passado para descrever a fratura deste tipo nos aços de tubulação e de vasos de pressão, mas são agora considerados obsoletos. O termo fratura induzida por hidrogênio (hydrogen-induced cracking – HIC) tem sido amplamente utilizado para descrever esse tipo de fratura e foi adotado pela NACE International. Portanto, ele é usado em todo este método de ensaio padrão.
FONTE: Equipe Target.
Teste de Estanqueidade Tubulações Metálicas: