Teste de Estanqueidade com A.R.T.

      Nenhum comentário em Teste de Estanqueidade com A.R.T.

Teste de Estanqueidade com A.R.T. – Inspeção Técnica

O objetivo do Teste de Estanqueidade é  localizar vazamentos e atender as Exigências legais:
Comprovação da estanqueidade do sistema de gases combustíveis
Comprovação em conformidade com a ISO 14001 e OHSAS 18001.
Comprovação técnica e legal de que a empresa atende a segurança, qualidade e meio ambiente.

O objetivo do Teste de Estanqueidade é localizar vazamentos e atendimento as Exigências legais: Comprovação da estanqueidade do sistema de gases combustíveis Comprovação em conformidade com a ISO 14001 e OHSAS 18001

Teste de Estanqueidade

Teste de Estanqueidade com A.R.T.
É necessário para obtenção de A.V.C.B., Alvarás e Licenças
Prevenção de vazamento de Gazes e combustíveis etc.
Procedimentos de Teste de Pressão
Redução de custo nas apólices de seguro
Redução do Seguro Patrimonial
Reduzir riscos de incêndio e explosões
Relatório de inspeção e conformidade técnica teste.
A tubulação será submetida ao Teste de Estanqueidade. O teste deverá ser 1,5 vezes a pressão de utilização ou 9.8 kpa. (2.000mmca).
Antes do início do teste de pressão do sistema de tubulação, será realizado exame visual de todas as linhas que compõem o sistema.
Serão adotadas as medidas de segurança, principalmente nos lugares que ofereçam riscos para o pessoal ou para as instalações.
Serão removidos caso aja equipamentos e acessórios como:  instrumentos, separadores de linha, purgadores e controladores pneumáticos e demais dispositivos que causem restrição ao fluxo. Os discos de ruptura, válvulas de segurança, de alivio e discos de ruptura serão isolados do sistema e retiradas sendo substituídas por peças provisórias quando necessário.
O fluído de teste será bloqueado através de tampão, raquete, chapa de bloqueio ou bujão flange cego.
As ligações nos limites do sistema, e as situadas na entrada de equipamentos serão verificadas durante a pré-operação.
Todas as válvulas estão sujeitas ao teste de pressão, inclusive as de bloqueio situadas nos limites do sistema.
As válvulas de retenção serão pressurizadas no sentido da abertura; se não for possível, será travado a parte móvel na posição aberta; Todas as outras válvulas serão mantidas na posição aberta.

Validade do Laudo: É recomendável renovação anual ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização do Laudo.

Saiba Mais:
Veja o que a NR 13 aborda sobre Teste de Estanqueidade
13.4.1.4 Toda caldeira deve ter afixada em seu corpo, em local de fácil acesso e bem visível, placa de identificação indelével com, no mínimo, as seguintes informações: a) nome do fabricante; b) número de ordem dado pelo fabricante da caldeira; c) ano de fabricação; d) pressão máxima de trabalho admissível; e) pressão de teste hidrostático de fabricação; (Vide condições na Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014) f) capacidade de produção de vapor; g) área de superfície de aquecimento; h) código de projeto e ano de edição.
Teste de Estanqueidade
13.4.1.6 Toda caldeira deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalada, a seguinte documentação devidamente atualizada: a) Prontuário da caldeira, fornecido por seu fabricante, contendo as seguintes informações: ­ código de projeto e ano de edição; ­ especificação dos materiais; ­ procedimentos utilizados na fabricação, montagem e inspeção final; ­ metodologia para estabelecimento da PMTA; ­ registros da execução do teste hidrostático de fabricação;
13.4.4.3 As caldeiras devem obrigatoriamente ser submetidas a Teste Hidrostático – TH em sua fase de fabricação, com comprovação por meio de laudo assinado por PH, e ter o valor da pressão de teste afixado em sua placa de identificação.
13.4.4.3.1 Na falta de comprovação documental de que o Teste Hidrostático – TH tenha sido realizado na fase de fabricação, se aplicará o disposto a seguir: a) para equipamentos fabricados ou importados a partir da vigência desta NR, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial; b) para equipamentos em operação antes da vigência desta NR, a critério do PH, o TH deve ser realizado na próxima inspeção de segurança periódica.
13.5.1.4 Todo vaso de pressão deve ter afixado em seu corpo, em local de fácil acesso e bem visível, placa de identificação indelével com, no mínimo, as seguintes informações: a) fabricante; b) número de identificação; c) ano de fabricação; d) pressão máxima de trabalho admissível; e) pressão de teste hidrostático de fabricação; (Vide condições na Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014) f) código de projeto e ano de edição.
Teste de Estanqueidade
13.5.1.6 Todo vaso de pressão deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalado, a seguinte documentação devidamente atualizada: a) Prontuário do vaso de pressão a ser fornecido pelo fabricante, contendo as seguintes informações: ­ código de projeto e ano de edição; ­ especificação dos materiais; ­ procedimentos utilizados na fabricação, montagem e inspeção final; ­ metodologia para estabelecimento da PMTA; ­ conjunto de desenhos e demais dados necessários para o monitoramento da sua vida útil; ­ pressão máxima de operação; ­ registros documentais do teste hidrostático; ­ características funcionais, atualizadas pelo empregador sempre que alteradas as originais;
13.5.4.3 Os vasos de pressão devem obrigatoriamente ser submetidos a Teste Hidrostático – TH em sua fase de fabricação, com comprovação por meio de laudo assinado por PH, e ter o valor da pressão de teste afixado em sua placa de identificação.
Teste de Estanqueidade
13.5.4.3.1 Na falta de comprovação documental de que o Teste Hidrostático-TH tenha sido realizado na fase de fabricação, se aplicará o disposto a seguir: a) para equipamentos fabricados ou importados a partir da vigência desta NR, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial; b) para equipamentos em operação antes da vigência desta NR, a critério do PH, o TH deve ser realizado na próxima inspeção de segurança periódica.
Teste de estanqueidade – tipo de teste de pressão realizado com a finalidade de atestar a capacidade de retenção de fluido, sem vazamentos, em equipamentos, tubulações e suas conexões, antes de sua entrada ou reentrada em operação. Teste hidrostático – TH – tipo de teste de pressão com fluido incompressível, executado com o objetivo de avaliar a integridade estrutural dos equipamentos e o rearranjo de possíveis tensões residuais, de acordo com o código de projeto.