Busca Rápida

Curso Operador de Maçarico NR 18  e NR 34

Conteúdo programático:
Descrição e identificação dos riscos associados ao Maçarico e as proteções específicas
Funcionamento das proteções; como e por que devem ser usadas;
Como e em que circunstâncias uma proteção pode ser removida, e por quem, sendo na maioria dos casos, somente o pessoal de inspeção ou manutenção;

Curso Operador de Maçarico
Curso Operador de Maçarico

Os princípios de segurança na utilização de Maçarico
Segurança para riscos mecânicos, elétricos e outros relevantes;
Método de trabalho seguro do Maçariqueiro;
Permissão de trabalho Conforme Item  NR 34.4.2.2
Atividade com maçarico;
Riscos no Corte e Solda a Gás;
Cilindros de Gases;
Sistemas de Alimentação de Gases;
Características dos Gases Utilizados (Acetileno, Oxigênio, GLP)
Mangueiras de Gases;
Tipos de Maçaricos;
EPI e EPC;
Equipamentos do processo de corte;
Cuidados e Regulagem de pressão de  oxigênio e acetileno;
Como acender o maçarico;
Como proceder em ambientes confinados;
Check-list– Inspeção diária do maçarico;
Prevenção de Acidentes + Primeiros Socorros;
Referências Normativas aos dispositivos aplicáveis:NR 06, NR 12, NR 18, NR 34, NR 20;

Nome Técnico do Curso/Treinamento: NR 18 Segurança na Operação de Maçarico.

Carga Horária: Curso Operador de Maçarico
Capacitação participante sem experiência:  Carga horária mínima = 16 horas/aula
Capacitação  participante com experiência: Carga horária  mínima  = 08 horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 04 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem):  O empregador deve realizar treinamento periódico ANUAL e sempre que ocorrer qualquer das seguintes situações conforme NR 12:
NR 12.144. Deve ser realizada capacitação para reciclagem do trabalhador sempre que ocorrerem modificações significativas nas instalações e na operação de máquinas ou troca de métodos, processos e organização do trabalho.
NR 12.144.1 O conteúdo programático da capacitação para reciclagem deve atender às necessidades da situação que a motivou, com carga horária mínima que garanta aos trabalhadores executarem suas
atividades com segurança, sendo distribuída em no máximo oito horas diárias e realizada durante o horário normal de trabalho.
NR 18.14.2.1 Os operadores devem ter ensino fundamental completo e devem receber qualificação e treinamento
específico no equipamento, com carga horária mínima de dezesseis horas e atualização anual com carga horária mínima de quatro horas.

Saiba mais sobre o Curso Operador de Maçarico
NR 18.11 Operações de Soldagem e Corte a Quente
18.11.1 As operações de soldagem e corte a quente somente podem ser realizadas por trabalhadores qualificados.
18.11.2 Quando forem executadas operações de soldagem e corte a quente em chumbo, zinco ou materiais revestidos de cádmio, será obrigatória a remoção por ventilação local exaustora dos fumos originados no processo de solda e corte, bem como na utilização de eletrodos revestidos.
18.11.3 O dispositivo usado para manusear eletrodos deve ter isolamento adequado à corrente usada, a fim de se evitar a formação de arco elétrico ou choques no operador.
18.11.4 Nas operações de soldagem e corte a quente, é obrigatória a utilização de anteparo eficaz para a proteção dos trabalhadores circunvizinhos. O material utilizado nesta proteção deve ser do tipo incombustível.
18.11.5 Nas operações de soldagem ou corte a quente de vasilhame, recipiente, tanque ou similar, que envolvam geração de gases confinados ou semiconfinados, é obrigatória a adoção de medidas preventivas adicionais para eliminar riscos de explosão e intoxicação do trabalhador, conforme mencionado no item 18.20 – Locais confinados.
18.11.6 As mangueiras devem possuir mecanismos contra o retrocesso das chamas na saída do cilindro e chegada do maçarico.
18.11.7 É proibida a presença de substâncias inflamáveis e/ou explosivas próximo às garrafas de O2 (oxigênio).
18.11.8 Os equipamentos de soldagem elétrica devem ser aterrados.
18.11.9 Os fios condutores dos equipamentos, as pinças ou os alicates de soldagem devem ser mantidos longe de locais com óleo, graxa ou umidade, e devem ser deixados em descanso sobre superfícies isolantes
NR 18.22 Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas

18.22.1 A operação de máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por trabalhador qualificado e identificado por crachá.
18.22.2 Devem ser protegidas todas as partes móveis dos motores, transmissões e partes perigosas das máquinas ao alcance dos trabalhadores.
18.22.3 As máquinas e os equipamentos que ofereçam risco de ruptura de suas partes móveis, projeção de peças ou de partículas de materiais devem ser providos de proteção adequada.
18.22.4 As máquinas e equipamentos de grande porte devem proteger adequadamente o operador contra a incidência de raios solares e intempéries.
18.22.5 O abastecimento de máquinas e equipamentos com motor a explosão deve ser realizado por trabalhador qualificado, em local apropriado, utilizando-se de técnicas e equipamentos que garantam a segurança da operação.
18.22.6 Na operação de máquinas e equipamentos com tecnologia diferente da que o operador estava habituado a usar, deve ser feito novo treinamento, de modo a qualificá-lo à utilização dos mesmos.
18.22.7 As máquinas e os equipamentos devem ter dispositivo de acionamento e parada localizado de modo que:
a) seja acionado ou desligado pelo operador na sua posição de trabalho;
b) não se localize na zona perigosa da máquina ou do equipamento;
c) possa ser desligado em caso de emergência por outra pessoa que não seja o operador;
d) não possa ser acionado ou desligado, involuntariamente, pelo operador ou por qualquer outra forma acidental;
e) não acarrete riscos adicionais.
18.22.8 Toda máquina deve possuir dispositivo de bloqueio para impedir seu acionamento por pessoa nãoautorizada.
18.22.9 As máquinas, equipamentos e ferramentas devem ser submetidos à inspeção e manutenção de acordo com as normas técnicas oficiais vigentes, dispensando-se especial atenção a freios, mecanismos de direção, cabos de tração e suspensão, sistema elétrico e outros dispositivos de segurança.
18.22.10 Toda máquina ou equipamento deve estar localizado em ambiente com iluminação natural e/ou artificial adequada à atividade, em conformidade com a NBR 5.413/91 – Níveis de Iluminância de Interiores da ABNT.
18.22.11 As inspeções de máquinas e equipamentos devem ser registradas em documento específico, constando as datas e falhas observadas, as medidas corretivas adotadas e a indicação de pessoa, técnico ou empresa habilitada que as realizou.
18.22.14 Os trabalhadores devem ser treinados e instruídos para a utilização segura das ferramentas, especialmente os que irão manusear as ferramentas de fixação a pólvora.
18.22.15 É proibido o porte de ferramentas manuais em bolsos ou locais inapropriados.
18.22.16 As ferramentas manuais que possuam gume ou ponta devem ser protegidas com bainha de couro ou outro material de resistência e durabilidade equivalentes, quando não estiverem sendo utilizadas.
18.22.17 As ferramentas pneumáticas portáteis devem possuir dispositivo de partida instalado de modo a reduzir ao mínimo a possibilidade de funcionamento acidental.
18.22.17.1 A válvula de ar deve fechar-se automaticamente, quando cessar a pressão da mão do operador sobre os dispositivos de partida.
18.22.17.2 As mangueiras e conexões de alimentação das ferramentas pneumáticas devem resistir às pressões de serviço, permanecendo firmemente presas aos tubos de saída e afastadas das vias de circulação.
18.22.17.3 O suprimento de ar para as mangueiras deve ser desligado e aliviada a pressão, quando a ferramenta pneumática não estiver em uso.
18.22.17.4 As ferramentas de equipamentos pneumáticos portáteis devem ser retiradas manualmente e nunca pela pressão do ar comprimido.
ALERTAS E PRECAUÇÕES
– EXTREMAMENTE INFLAMÁVEL
– Conteúdo sob pressão
– Pode conter gás butano
– Mantenha esta unidade fora do alcance de crianças – Leia e siga todas as instruções de operação antes de tentar utilizar o maçarico.
– Não exponha o queimador ao calor, nem o armazene sob temperaturas acima de 120º F.
– Não armazene em contato direto com a luz do sol.
– Não utilize próximo ao fogo, chamas, faíscas ou materiais combustíveis.
– Jamais utilize um queimador de gás danificado ou com defeitos de funcionamento.
– Não tente modificar a estrutura do  maçarico ou utilizar acessórios não aprovados.
– Certifique-se de ter removido a bateria ao armazenar por longos períodos.
– Permita o resfriamento da unidade antes do armazenamento.
Mantenha o maçarico fora do alcance de qualquer pessoa que não tenha lido todos os alertas e precauções.
Curso Operador de Maçarico:
 INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS OXICOMBUSTÍVEIS
Equipamentos:
  Certifique-se do bom estado de conservação dos equipamentos a serem utilizados;
  Utilize sempre os reguladores para manter uma pressão de trabalho adequada;
  Para cada tipo de gás existe um regulador de pressão específico;
  Nunca opere os equipamentos sem Válvulas Corta-Fogo (VCF RO / RG / MO / MG).
Cilindros:
  Mantenha os cilindros sempre presos de forma apropriada para se evitar quedas;
  Utilize sempre o capacete do cilindro ao transportá-lo;
  Nunca abra a válvula do cilindro com rapidez;
  Por medida de segurança, nunca se posicione a frente ou atrás dos reguladores de pressão;
  No cilindro de acetileno, não abra sua válvula mais do que três quartos de volta.
Curso Operador de Maçarico:
Área de Trabalho:

 A área de trabalho deve ser arejada, estar sempre limpa e isenta de materiais inflamáveis.
Prevenção Contra Incêndio:
 Nunca opere os equipamentos se os mesmos estiverem contaminados com graxa, óleo ou substâncias inflamáveis, pois essas substâncias podem reagir e explodir na presença do oxigênio;
 Mantenha chamas e faíscas longe dos cilindros e das mangueiras;
 Nunca utilize chama para verificar se há algum tipo de vazamento nos equipamentos, na dúvida utilize água e sabão neutro para verificação. As conexões dispensam o uso de vedantes;
 Tenha sempre um extintor de incêndio apropriado no local de trabalho;
 Ao cortar ou soldar reservatórios de substâncias inflamáveis, assegure-se de que não haja resíduos ou vapores dessas substâncias;
 Ao terminar o trabalho, inspecione o local de serviço para verificar possíveis existências de pequenos incêndios.
Curso Operador de Maçarico: Normas de Segurança: 
 A norma regulamentadora NR-6 determina que é obrigatório o uso de equipamento de proteção individual (EPI) adequado para o trabalho;
 A norma regulamentadora NR-18 determina que é obrigatório o uso de mecanismos de proteção contra o retrocesso de chama, nas saídas dos reguladores de pressão e nas entradas do maçarico.

Treinamento NR 34 Admissional e Trabalho em Altura

NR 34.3 Capacitação e Treinamento
34.3.1 É considerado trabalhador qualificado aquele que comprovar conclusão de curso específico para sua atividade em instituição reconhecida pelo sistema oficial de ensino.
34.3.2 É considerado profissional legalmente habilitado o trabalhador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe.
34.3.3 É considerado trabalhador capacitado aquele que receba capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional legalmente habilitado.

Conteúdo  Programático: Treinamento NR 34 Admissional e Trabalho em Altura
34.3.4.1 O treinamento admissional deve ter carga horária mínima de seis horas, constando de informações sobre:
a) os riscos inerentes à atividade;
b) as condições e meio ambiente de trabalho;
c) os Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC existentes no estabelecimento;
d) o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual – EPI.
34.3.4.2 O treinamento periódico deve ter carga horária mínima de quatro horas e ser realizado anualmente ou quando do retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias.
34.3.5 A capacitação deve ser realizada durante o horário normal de trabalho.
34.3.5.1 Ao término da capacitação, deve ser emitido certificado contendo o nome do trabalhador, conteúdo
programático, carga horária, data e local de realização do treinamento e assinatura do responsável técnico.
34.3.5.2 O certificado deve ser entregue ao trabalhador e uma cópia deve ser arquivada na empresa.
34.3.5.3 A capacitação será consignada no registro do empregado.
34.3.6 O trabalhador deve receber o material didático utilizado na capacitação.

NR 34.6 Trabalhos em Altura 
34.6.1 As medidas de proteção contra quedas de altura devem atender à NR-35 e ao disposto neste item.
34.6.2 Metodologia de Trabalho
34.6.2.1 Na execução do trabalho em altura devem ser tomadas as seguintes providências:
a) isolamento e sinalização de toda a área sob o serviço antes do início das atividades;
b) adoção de medidas para evitar a queda de ferramentas e materiais, inclusive no caso de paralisação dos trabalhos;
c) desenergização, bloqueio e etiquetagem de toda instalação elétrica aérea nas proximidades do serviço;
d) instalação de proteção ou barreiras que evitem contato acidental com instalações elétricas aéreas, conforme procedimento da concessionária local, na inviabilidade técnica de sua desenergização;
e) interrupção imediata do trabalho em altura em caso de iluminação insuficiente ou condições meteorológicas adversas, como chuva e ventos superiores a quarenta quilômetros por hora, dentre outras.
34.6.2.2 Pode ser autorizada a execução de trabalho em altura em condições com ventos superiores a quarenta quilômetros por hora e inferiores a cinquenta e cinco quilômetros por hora, desde que atendidos os seguintes requisitos:
a) justificada a impossibilidade do adiamento dos serviços por meio de documento apensado à APR, assinado por profissional de segurança e saúde no trabalho e pelo responsável pela execução dos serviços, consignando as medidas de proteção adicionais aplicáveis;
b) realizada mediante operação assistida por profissional de segurança e saúde no trabalho e pelo responsável pela execução das atividades.

Nome Técnico do Curso/Treinamento: Treinamento NR 34 Admissional e Trabalho em Altura

Carga Horária: Treinamento NR 34 Admissional e Trabalho em Altura
Capacitação participante sem experiência:  Carga horária mínima = 16 horas/aula
Capacitação  participante com experiência: Carga horária  mínima  = 08 horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 08 horas/aula

Certificado: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem): NR 34.3.4 O empregador deve desenvolver e implantar programa de capacitação, compreendendo treinamento admissional, periódico e sempre que ocorrer qualquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) acidente grave ou fatal.

Treinamento NR 34 Admissional e Trabalho em Altura: Consulte-nos.

Curso Utilização de Gases NR 34

O Objetivo do Curso Utilização de Gases NR 34 é conscientizar os trabalhadores dos riscos existentes no manuseio de gases, preparando os para sempre se antecipar a possíveis falhas, evitando assim incidentes e acidentes, visando conservar o Patrimônio da empresa e principalmente a Saúde e Segurança dos colaboradores que transitam pelos ambientes com gases.

Curso Utilização de Gases NR 34
Curso Utilização de Gases NR 34

Conteúdo Programático: Curso Utilização de Gases NR 34
Conscientização da importância das especificações dos fabricantes dos gases;
FISPQ – Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos;
Reguladores de Pressão;
Dispositivo contra retrocesso de chama em cilindros com gases inflamáveis;
Quanto ao circuito de gás, devem ser observadas;
A inspeção antes do início do trabalho, de modo a assegurar a ausência de vazamentos e o seu perfeito estado de funcionamento;
Manutenção com a periodicidade estabelecida no procedimento da empresa, conforme especificações técnicas do fabricante/fornecedor;
Método adequado de armazenamento de cilindros de gás;
Conscientização dos riscos na utilização de gases em Espaços Confinados;
Conservação dos cilindros de gás;
Instruções de Segurança;
EPIs e EPCs;
Referência Normativa NR 34.

Carga Horária: Curso Utilização de Gases NR 34
Capacitação Carga horária mínima = 08 horas/aula
Atualização (Reciclagem) Carga horária mínima = 08 horas/aula

Certificação: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o  aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

 Atualização (Reciclagem): É recomendável anualmente ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Curso Utilização de Gases NR 34. Consulte-nos.

Saiba mais sobre Curso Utilização de Gazes NR 34:
34.5.5 Utilização de gases
34.5.5.1 Nos trabalhos a quente que utilizem gases devem ser adotadas as seguintes medidas:
a) utilizar somente gases adequados à aplicação, de acordo com as informações do fabricante;
b) seguir as determinações indicadas na Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos – FISPQ;
c) usar reguladores de pressão calibrados e em conformidade com o gás empregado.
34.5.5.2 É proibida a instalação de adaptadores entre o cilindro e o regulador de pressão.
34.5.5.3 No caso de equipamento de oxiacetileno, deve ser utilizado dispositivo contra retrocesso de chama nas alimentações da mangueira e do maçarico.
34.5.5.4 Quanto ao circuito de gás, devem ser observadas:
a) a inspeção antes do início do trabalho, de modo a assegurar a ausência de vazamentos e o seu perfeito estado de funcionamento;
b) manutenção com a periodicidade estabelecida no procedimento da empresa, conforme especificações técnicas do fabricante/fornecedor.
34.5.5.5 Somente é permitido emendar mangueiras por meio do uso de conector, em conformidade com as especificações técnicas do fornecedor/fabricante.
34.5.5.6 Os cilindros de gás devem ser:
a) mantidos em posição vertical, fixados e distantes de chamas, fontes de centelhamento, calor ou de produtos inflamáveis;
b) instalados de forma a não se tornar parte de circuito elétrico, mesmo que acidentalmente;
c) transportados na posição vertical, com capacete rosqueado, por meio de equipamentos apropriados, devidamente fixados, evitando-se colisões;
d) quando inoperantes e/ou vazios, mantidos com as válvulas fechadas e guardados com o protetor de válvulas (capacete rosqueado).
34.5.5.7 É proibida a instalação de cilindros de gases em ambientes confinados.
34.5.5.8 Sempre que o serviço for interrompido, devem ser fechadas as válvulas dos cilindros, dos maçaricos e dos distribuidores de gases.
34.5.5.9 Ao término do serviço, as mangueiras de alimentação devem ser desconectadas.
34.5.5.10 Os equipamentos inoperantes e as mangueiras de gases devem ser mantidos fora dos espaços confinados.
Curso utilização de Gases NR 34: Contrate-nos.

Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente

NR 34.5.7 Devem ser empregadas técnicas de APR para:
a) determinar as medidas de controle;
b) definir o raio de abrangência;
c) sinalizar e isolar a área;
d) avaliar a necessidade de vigilância especial contra incêndios (observador) e de sistema de alarme;
e) outras providências, sempre que necessário.

Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente
Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente

Conteúdo Programático:
Carga horária mínima: 08 (oito) horas
4.1 Módulo Geral: aplicável a todas as especialidades de trabalho a quente.
Carga horária mínima: 04 (quatro) horas;
Conteúdo programático: Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente
a) Estudo da NR-34, Item 34.5;
b) Identificação de Perigos e Análise de Riscos
Conceitos de Perigos e Riscos;
Técnicas de Identificação de Perigos e Análise de Riscos;
APP e APR – Análise Preliminar de Perigos e Análise Preliminar de Riscos.
c) Permissão para Trabalho – PT;
d) Limite inferior e superior de explosividade;
e) Medidas de Controle no Local de Trabalho
Inspeção Preliminar
Controle de materiais combustíveis e inflamáveis
Proteção Física
Atividades no entorno
Sinalização e Isolamento do Local de Trabalho;
Inspeção Posterior para controle de fontes de ignição
f) Renovação de Ar no Local de Trabalho (Ventilação/Exaustão);
g) Rede de Gases (Válvulas e Engates);
h) Ergonomia;
i) Doenças ocupacionais;
j) FISPQ.
l) Normativas: NR 34 e NR 18.

Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente:
4.2 Módulo Específico: aplicável às diferentes modalidades de trabalho a quente:
Carga horária mínima: 04 (quatro) horas para cada uma das modalidades
Conteúdo programático:
4.2.1 Atividade com Solda – Riscos e Formas de Prevenção: (04 horas)
Riscos da Solda Elétrica;
Radiações Não Ionizantes;
Gases e Fumos Metálicos;
Máquinas de Solda;
Cabos de Solda;
Eletrodos;
Circuito de Corrente de Solda;
Riscos nas Soldas com Eletrodos Especiais;
Riscos nas Soldas com Processos Especiais (Arco Submerso , Mig, Mag, Tig)
Riscos na Operação de Goivagem;
EPI e EPC.
Proteção Elétrica – Quadros, Disjuntores e Cabos de Alimentação
4.2.2 Atividade com maçarico – Riscos e Forma de Prevenção: (04 horas)
Riscos no Corte e Solda a Gás;
Cilindros de Gases;
Sistemas de Alimentação de Gases;
Características dos Gases Utilizados (Acetileno, Oxigênio, GLP);
Mangueiras de Gases;
Maçaricos.
EPI e EPC.
4.2.3 Atividades com Máquinas Portáteis rotativas – Riscos e Forma de Prevenção: (04 horas)
Equipamentos de Corte e Desbaste;
Acessórios: Coifas, Disco de Corte, Disco de Desbaste, Escova, Retífica, Lixa e Outros;
Sistema de Segurança;
Proteção Física contra Faíscas;
Proteção Elétrica – Quadros, Disjuntores e Cabos de Alimentação;
EPI e EPC.
4.2.4 Outras atividades a quente – Riscos e Forma de Prevenção: (04 horas)
Conteúdo definido de acordo com a atividade, identificados na APR.

Carga Horária: Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente
Capacitação  Carga horária  mínima =  Módulo geral 04  horas/aula + Módulo específico ao menos uma atividade de 04 horas/aula podendo chegar a 04 atividades = 16 horas
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 08 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem): É recomendável anualmente ou sempre que  ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

34.5.7 Devem ser empregadas técnicas de APR para:
a) determinar as medidas de controle;
b) definir o raio de abrangência;
c) sinalizar e isolar a área;
d) avaliar a necessidade de vigilância especial contra incêndios (observador) e de sistema de alarme;
e) outras providências, sempre que necessário.
34.5.8 Antes do início dos trabalhos a quente, o local deve ser inspecionado, e o resultado da inspeção ser registrado na Permissão de Trabalho.
34.5.9 As aberturas e canaletas devem ser fechadas ou protegidas, para evitar projeção de fagulhas, combustão ou interferência em outras atividades.
34.5.10 Quando definido na APR, o observador deve permanecer no local, em contato permanente com as frentes de trabalho, até a conclusão do serviço.
34.5.10.1 O observador deve receber treinamento ministrado por trabalhador capacitado em prevenção e combate a incêndio, com conteúdo programático e carga horária mínima conforme o item 1 do Anexo I
Curso Básico de Segurança para Trabalhos a Quente: Consulte-nos.

Treinamento Admissional NR 34

O objetivo do Treinamento Admissional NR 34 é conscientizar os novos colaboradores sobre os riscos relativos as atividades, preparando-os para executar todos os serviços nos trabalhos da Indústria da Construção e Reparação Naval visando sempre em primeiro lugar a Saúde e Segurança de todos os trabalhadores envolvidos.

Curso Admissional NR 34
Treinamento Admissional NR 34

Conteúdo Programático: Treinamento Admissional NR 34
NR 34.3.4.1 Medidas preventivas e riscos de acidentes do trabalho;
Riscos inerentes à atividade;
Definição de acidente, incidente, ato e condição insegura;
Condições e meio ambiente de trabalho;
Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC existentes no estabelecimento;
Uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual – EPI.
A importância da APR (Análise Preliminar de Riscos)

Carga Horária: Treinamento Admissional NR 34
Capacitação Carga horária mínima = 06 horas/aula
Atualização: Deve ser periódica = 04 horas/aula

Certificação: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem):  É recomendável  periodicamente  ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.
34.3.4 O empregador deve desenvolver e implantar programa de capacitação, compreendendo treinamento admissional, periódico e sempre que ocorrer qualquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) acidente grave ou fatal.

Saiba mais sobre  Treinamento Admissional NR 34
34.3 Capacitação e Treinamento
34.3.1 É considerado trabalhador qualificado aquele que comprovar conclusão de curso específico para sua atividade em instituição reconhecida pelo sistema oficial de ensino.
34.3.2 É considerado profissional legalmente habilitado o trabalhador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe.
34.3.3 É considerado trabalhador capacitado aquele que receba capacitação sob orientação e responsabilidade de
profissional legalmente habilitado.
34.3.4 O empregador deve desenvolver e implantar programa de capacitação, compreendendo treinamento admissional,
periódico e sempre que ocorrer qualquer das seguintes situações:
a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;
b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;
c) acidente grave ou fatal.
34.3.4.1 O treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 06 (seis) horas, constando de informações sobre:
a) os riscos inerentes à atividade;
b) as condições e meio ambiente de trabalho;
c) os Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC existentes no estabelecimento;
d) o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual – EPI.
34.3.4.2 O treinamento periódico deve ter carga horária mínima de 04 (quatro) horas e ser realizado anualmente ou quando do retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias.
34.3.5 A capacitação deve ser realizada durante o horário normal de trabalho.
34.3.5.1 Ao término da capacitação, deve ser emitido certificado contendo o nome do trabalhador, conteúdo programático, carga horária, data e local de realização do treinamento e assinatura do responsável técnico.
34.3.5.2 O certificado deve ser entregue ao trabalhador e uma cópia deve ser arquivada na empresa.
34.3.5.3 A capacitação será consignada no registro do empregado.
34.3.6 O trabalhador deve receber o material didático utilizado na capacitação.
Treinamento admissional NR 34 : Consulte-nos.

Curso NR 34 – Condições Meio Ambiente  Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval

A Norma Regulamentadora – NR 34  estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção à segurança, à saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da indústria de construção e reparação naval.
NR 34.1.2 Consideram-se atividades da indústria da construção e reparação naval todas aquelas desenvolvidas no âmbito das instalações empregadas para este fim ou nas próprias embarcações e estruturas, tais como navios, barcos, lanchas, plataformas fixas ou flutuantes, dentre outras.

 

Curso Admissional NR 34
Treinamento Admissional da NR 34

Treinamento Admissional NR 34

O objetivo do Treinamento Admissional NR 34 é conscientizar os novos colaboradores sobre os riscos relativos as atividades, preparando-os para executar todos os serviços nos trabalhos da Indústria da Construção e Reparação Naval visando sempre em primeiro lugar a Saúde e Segurança de todos os trabalhadores envolvidos.

 

Treinamento NR 34 – Trabalho na Indústria Construção e Reparação Naval
Curso NR 34 – Trabalho na Indústria Construção e Reparação Naval

Curso NR 34 – Trabalho na Indústria Construção e Reparação Naval

A Norma Regulamentadora – NR 34  estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção à segurança, à saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da indústria de construção e reparação naval.

 

 

Treinamento básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34
Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34

Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34

NR 34.5.1 Para fins  da NR 34 considera-se trabalho a quente as atividades de soldagem, goivagem, esmerilhamento, corte ou outras que possam gerar fontes de ignição tais como aquecimento, centelha ou chama. As medidas de proteção contemplam as de ordem geral e as específicas, aplicáveis, respectivamente, a todas as atividades inerentes ao trabalho a quente e aos trabalhos em áreas não previamente destinadas a esse fim.

 

Treinamento Utilização de Gases NR 34
Curso Utilização de Gases NR 34

Curso Utilização de Gases NR 34

O Objetivo do Curso Utilização de Gases NR 34 é conscientizar os trabalhadores dos riscos existentes no manuseio de gases, preparando os para sempre se antecipar a possíveis falhas, evitando assim incidentes e acidentes, visando conservar o Patrimônio da empresa e principalmente a Saúde e Segurança dos colaboradores que transitam pelos ambientes com gases.

 

Curso Interpretação e Aplicação da NR 34
Curso Interpretação e Aplicação da NR 34

Curso Interpretação e Aplicação da NR 34

O objetivo do Curso Interpretação e Aplicação da NR 34 consiste em definir referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores conforme a NR 34 estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção à segurança, à saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da indústria de construção, reparação e desmonte naval. E em todas as atividades econômicas, sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas Regulamentadoras – NR aprovadas pela Portaria n.º 3.214/78, de 8 de junho de 1978, nas normas técnicas oficiais e, na ausência ou omissão destas, nas normas internacionais aplicáveis. 

Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34

Observador de Trabalho a quente: Vigilância especial contra incêndios de trabalhador capacitado, denominado observador, que permanece em contato permanente com os trabalhadores que executam trabalhos a quente, monitora os trabalhos e o seu entorno, visando detectar e combater possíveis princípios de incêndio.

Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34
Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34

NR 34.5 Trabalho a Quente
34.5.1 Para fins desta Norma, considera-se trabalho a quente as atividades de soldagem, goivagem, esmerilhamento, corte ou outras que possam gerar fontes de ignição tais como aquecimento, centelha ou chama.
34.5.1.1 As medidas de proteção contemplam as de ordem geral e as específicas, aplicáveis, respectivamente, a todas as atividades inerentes ao trabalho a quente e aos trabalhos em áreas não previamente destinadas a esse fim.

Conteúdo programático: Curso básico para observador de Trabalhos a Quente
a) Classes de fogo;
b) Métodos de extinção;
c) Tipos de equipamentos de combate a incêndio;
d) Sistemas de alarme e comunicação;
e) Rotas de fuga;
f) Equipamento de proteção individual e coletiva;
g) Práticas de prevenção e combate a incêndio.

Carga Horária: Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34
Capacitação  Carga horária  mínima =  08   horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 08 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem): É recomendável anualmente ou sempre que  ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Medidas de Ordem Geral
34.5.2 Inspeção Preliminar
34.5.2.1 Nos locais onde se realizam trabalhos a quente deve ser efetuada inspeção preliminar, de modo a assegurar que:
a) o local de trabalho e áreas adjacentes estejam limpos, secos e isentos de agentes combustíveis, inflamáveis, tóxicos e contaminantes;
b) a área somente seja liberada após constatação da ausência de atividades incompatíveis com o trabalho a quente;
c) o trabalho a quente seja executado por trabalhador capacitado, conforme item 4 do Anexo I. (alterada pela Portaria MTE n.º 1.897, de 09 de dezembro de 2013)

Goivagem: Processo de corte por eletrodo de grafite para remoção de raízes de solda imperfeitas e dispositivos auxiliares de montagem, entre outros.
Curso básico para observador de Trabalhos a Quente NR 34:  Consulte-nos.

Rescue Cursos 2018 – Todos os direitos reservados.