Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático

      Nenhum comentário em Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático

Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático

Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático em conformidade com Protocolo Samu 192 Emergências Clínicas SUPORTE BÁSICO DE VIDA e Protocolo 2015 Guidelines  American Heart Association e suas atualizações:
É recomendado que todas as pessoas e especialmente  profissionais envolvidos com a área da saúde e segurança do trabalho realizem o Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático.

Treinamento DEA - Desfibrilador Externo Automático

Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático

Conteúdo Programático: Curso DEA (Desfibrilador Externo Automático):
Emergência Clínica;
Identificação da Emergência;
Importância do SAMU -192;
Aspectos Clínicos Relevantes para o Leigo;
Parada cardiorrespiratória;
Algoritmo Universal;
A MRCP;
Massagem Cardíaca Externa;
Desfibrilação;
Fibrilação Ventricular: Conceito e Importância;
Desfibrilador Automático Externo – DEA;
Parada cardiorrespiratória na Criança;
Urgências Traumáticas;
Trauma;
Choque Hemorrágico;
Queimaduras;
Aspectos legais e éticos do uso do DEA no Brasil;
Anatomia e fisiologia do Sistema Circulatório;
Avaliação do Cenário;
Cinemático do trauma;
Avaliação Inicial: Vias Aéreas; Respiração; Circulação;
Ressuscitação Cardiopulmonar;
RCP e DEA;
Desfibrilação Precoce;
Como utilizar o DEA;
Diferentes modelos de DEA;
Inspeção e Manutenção do DEA;
Marca-passo e Desfibriladores Implantados;
O que é DEA;
Quando utilizar o DEA;

Clique no vídeo para assistir Curso  D.E.A (Desfibrilador Externo Automático).

Clique no vídeo para assistir Entrevistas em emissoras de TV sobre Primeiros Socorros e DEA.
Clique no vídeo para assistir Treinamento  D.E.A (Desfibrilador Externo Automático).

Carga Horária: Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático
Capacitação participantes sem experiência  – Carga horária  mínima = 08 horas/aula
Capacitação participantes com experiência – Carga horária  mínima =  04 horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 04 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o  aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem): É recomendável anualmente ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Para saber mais sobre o Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático:
Lei nº 14.621 que institui a obrigatoriedade do Desfibrilador Externo Automático (DEA) em locais públicos.
LEI MUNICIPAL Nº 14.621, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007 Diário Oficial da Cidade; São Paulo, SP, 12 dez. 2007. P. 1 (Projeto de Lei nº 18/06, do Executivo) Altera o art. 1º da Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005.
GILBERTO KASSAB, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, nos termos do disposto no inciso I do artigo 84 do seu Regimento Interno, decretou e eu promulgo a seguinte lei:
Art. 1º. O art. 1º da Lei nº 13.945, de 7 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de aparelho desfibrilador externo automático em locais que designa e que tenham concentração/circulação média diária de 1.500 (mil e quinhentas) ou mais pessoas, passa a vigorar com a seguinte redação:
Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático
“Art. 1º. Os aeroportos, shopping centers, centros empresariais, estádios de futebol, hotéis, hipermercados e supermercados, casas de espetáculos e locais de trabalho com concentração acima de 1.000 (mil) pessoas ou circulação média diária de 3.000 (três mil) ou mais pessoas, os clubes e academias com mais de 1.000 (mil) sócios, as instituições financeiras e de ensino com concentração ou circulação média diária de 1.500 (mil e quinhentas) ou mais pessoas, ficam obrigados a manter, em suas dependências, aparelho desfibrilador externo automático.
§ 1º. Com a finalidade de estabelecer os parâmetros de conduta a serem seguidos na utilização do desfibrilador externo automático, a capacitação deverá ser promovida por meio de curso ministrado de acordo com as recomendações do Conselho Nacional de Ressuscitação.
§ 2º. Os estabelecimentos e órgãos públicos abrangidos pelo disposto no “caput” deste artigo deverão promover a capacitação de todos os integrantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA, de todo o efetivo da Brigada de Incêndio e da Brigada de Emergência, além de mais dois funcionários por turno, por aparelho.
§ 3º. Os estabelecimentos que contarem com serviço médico em suas dependências deverão manter responsável técnico médico presente durante todo o período de funcionamento.” (NR)
Art. 2º. Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 11 de dezembro de 2007, 454º da fundação de São Paulo.
GILBERTO KASSAB, PREFEITO
Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 11 de dezembro de 2007.
CLOVIS DE BARROS CARVALHO, Secretário do Governo Municipal.
Curso DEA – Desfibrilador Externo Automático:  Consulte-nos.

Deixe uma resposta