Curso de Primeiros Socorros Nível 2

      Nenhum comentário em Curso de Primeiros Socorros Nível 2

Curso de Primeiros Socorros Nível 2

O curso aborda conteúdos e práticas básicas relativos a conceitos, técnicas e procedimentos referentes ao atendimento de primeiros socorros e à Ressuscitação cardiopulmonar (RCP) envolvendo diferentes tipos de lesões.
Objetivos de aprendizagem: Curso Primeiros Socorros – Nível 02
Ao final da capacitação, o profissional deverá:
Compreender noções básicas de atendimento inicial às vítimas de acidentes;
Identificar e diferenciar os tipos de ferimentos;
Aplicar técnicas e procedimentos de atendimento inicial apropriados a cada tipo de emergência;
Compreender os protocolos e aspectos legais e éticos nos atendimentos de emergência em empresas;
Identificar o tipo de emergência clínica apresentada;

curso de primeiros socorros

Curso de Primeiros Socorros

Conteúdo Programático: Curso Primeiros Socorros – Nível 02
Avaliação da Cena
Solicitação imediata do Serviço Médico de Emergência
Análise Primária:
Respiração
Pulso
Nível de Consciência
Grandes Hemorragias

Análise Secundária:
Temperatura corporal
Pressão arterial
Avaliação das pupilas
Avaliação de cor e umidade da pele
Avaliação de resposta muscular
Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP)
Principais causas
Protocolo 2015 – AmericanHeart Association e suas atualizações;
Protocolo Samu 192 Emergências Clínicas SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Reconhecimento da Parada Cardiorrespiratória (PCR),
Compressões e Frequência da massagem cardíaca
Desmaio
Causas
Sinais e sintomas
Entorses e Luxações
Sinais e sintomas
Convulsão
Identificação
Principais causas
Sinais e Sintomas
Hemorragia Externa
Identificação
Estancamento Sanguíneo
Distúrbios causados pelo calor
Insolação
Tipos de Queimaduras (1º, 2º e 3º grau)
Por: Fogo, Substâncias Químicas
Queimaduras por baixa temperatura
Legislação e Normalização

Clique no vídeo para assistir  Treinamento Curso Primeiros Socorros Nível 2

Carga Horária:
Capacitação participantes Carga horária  mínima = 16 horas/aula
Atualização (Reciclagem)   – Carga horária  mínima = 08 horas/aula

CERTIFICAÇÃO: Será expedido o Certificado para cada participante que atingir o  aproveitamento mínimo de 70% (teórico e prático) conforme preconiza as Normas Regulamentadoras.

Atualização (Reciclagem): É recomendável anualmente ou se ocorrer evento que indique a necessidade de atualização.

Saiba mais sobre o Curso Primeiros Socorros Nível 2:
CONSENTIMENTO FORMAL: Um paciente adulto, quando consciente e com clareza de raciocínio poderá dar o consentimento formal para a assistência. Esse consentimento é habitualmente expresso verbalmente. O paciente deverá ser informado de que você é um Socorrista, com treinamento em Primeiros Socorros. Além disso, é importante que o paciente saiba: 1. Sua identificação (nome); 2. Por que determinados cuidados são necessários serem prestados no próprio local. 3. Os procedimentos que estão sendo realizados.
CONSENTIMENTO IMPLÍCITO: Nas situações de emergência em que o paciente esteja inconsciente, confuso ou gravemente ferido, ou ainda em condições em que seja impossível obter o seu consentimento, preste imediatamente a assistência. Considere que o paciente daria o consentimento, caso tivesse condições de expressar o seu desejo de receber os cuidados e tratamento. O consentimento implícito pode ser adotado também nas situações de acidentes com menores de idade desacompanhados dos pais ou responsáveis legais ou no atendimento de pessoas com distúrbios mentais, alcoolizadas ou drogadas. Quando a vida do paciente estiver em risco em razão das lesões sofridas é pertinente que seja levado ao hospital mesmo contra a sua vontade, desta maneira, opta-se por preservar o bem maior que é a vida. Nestes casos e naqueles em que houver recusa expressa do paciente é válido que para a sua proteção legal, arrume no mínimo 2 testemunhas idôneas que tenham presenciado a recusa e, logo após o atendimento, dirija-se para o Distrito Policial da área em que ocorreu a emergência e solicite a elaboração de um Boletim de Ocorrência Policial de Preservação de Direitos. Lembre-se de que às vezes o paciente recusa o atendimento que lhe é oferecido em razão de princípios éticos ou morais ou apenas está em situação de estresse, ou ainda psicologicamente afetada pela emergência. É seu dever tentar convencê-lo de que deve receber assistência médica, antes de tomar qualquer decisão de exceção.
DIREITOS DO PACIENTE: Como Socorrista, você não deve comentar os detalhes do atendimento de um paciente com seus amigos, familiares ou pessoas da comunidade (incluindo imprensa ou outros órgãos de comunicação). Você não deverá fornecer a identificação do paciente a pessoas que delas não tenha o dever de ter o conhecimento; ao comentar sobre o acidente, não deverá repetir o que foi dito pelo paciente ou descrever um comportamento inadequado ou qualquer aspecto da aparência pessoal. Ao cometer esta falta você transgredirá a privacidade do paciente, quebrando o sigilo. A necessidade do sigilo não se aplica quando você é questionado pelos policiais civis ou militares presentes no local, pessoal do Resgate do Corpo de Bombeiros ou do Serviço de Atendimento Médico às Urgências, pelo médico responsável pelo atendimento do paciente no hospital ou, também ao testemunhar em tribunal de justiça. Poderá ser solicitado que você relate as informações obtidas junto ao paciente e aos acompanhantes.
BIO SEGURANÇA: Como primeira preocupação numa cena de emergência atente exclusivamente para a segurança.
Estabeleça como prioridade a sua segurança pessoal. O desejo de ajudar as pessoas que têm necessidade de atendimento pode favorecer o esquecimento dos riscos no local. Em seguida, atente para a segurança do local da ocorrência e para a segurança da próprio paciente. Tenha a certeza de que está em segurança, ao aproximar-se do paciente, e que permanecerá em segurança, enquanto presta o atendimento.
Parte das preocupações do Socorrista com a sua segurança pessoal está relacionada com a própria proteção contra as doenças infecciosas. Evite, quando estiver avaliando ou prestando atendimento ao paciente contato direto com o sangue do paciente e outros fluídos corpóreos, tais como vômitos, fezes, urina, suor, etc.
Utilize para a sua proteção pessoal:
1. Luvas apropriadas de vinil ou de látex; 2. Máscara facial de bolso, com válvula e filtro para os procedimentos de ventilação artificial ou outro tipo de máscara que impeça o contato com microrganismos veiculados pela respiração do paciente; 3. Óculos protetores, para evitar o contato nos olhos com respingos de fluidos corporais, durante certos procedimentos; 4. Aventais e máscaras faciais descartáveis são outros itens importantes na proteção individual em determinadas ocasiões.
CORRENTE DA SOBREVIVÊNCIA:  A Corrente da sobrevivência são os passos para o atendimento de primeiros socorros desde o reconhecimento da necessidade de ajuda até os procedimentos de pós ressuscitação. A corrente de sobrevivência é formada por 5 elos que são o reconhecimento e pedido de ajuda, após o início das compressões cardíacas, desfibrilação precoce, transporte e cuidados pós ressuscitação. Essa cadeia formada para a parada cardiorrespiratória também pode ser usada em qualquer situação de emergência que envolva o risco de morte. Ex. no elo de compressão cardíaca pode ser feito um contenção de hemorragia, no de desfibrilação no trauma pode ser usado como imobilização e vice e versa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.